Curtas 1250

Fátima Lima, vice-prefeita de Barra Mansa, recebeu na segunda, 3, a visita da escritora Rita de Cássia da Silva Terra de Souza. Na pauta do encontro, o projeto ‘Leiturar’, iniciativa que visa incentivar o hábito da leitura em crianças da rede municipal de ensino. Presenteada pela autora com o livro “Ninfa”, a professora Fátima Lima falou sobre a importância do projeto. “Assim como a Rita, que foi inspirada por mim quando eu era professora, devemos continuar incentivando nossas crianças à leitura. Se nós queremos formar cidadãos conscientes, é necessário desenvolver trabalhos de leitura e escrita, mostrando a importância que o livro pode fazer na vida deles. É isso que a prefeitura vem trabalhando nas escolas com o Projeto Leiturar”, avaliou.
Para quem não sabe, de acordo com Rita, uma de suas inspirações para seguir na carreira foi a própria Fátima Lima. “Como minha professora na quarta série, ela me deu o primeiro livro que li. Era ‘Zezinho Dono do Porquinho Preto’, me lembro até hoje. Acredito que seja de extrema importância o incentivo à leitura, porque ela muda vidas”, ressaltou a escritora.

A abertura da exposição “Pop Lacre”, do artista plástico Anco Márcio, contemplado pela Lei de Incentivo à Cultura Aldir Blanc, foi realizada na segunda, 3, no Espaço das Artes Zélia Arbex, na Vila. Os trabalhos, feitos através de ensaios fotográficos, desenhos e colagens utilizando materiais que são descartados como lixo e que podem ser reciclados, poderão ser vistos até quinta, 27. “Utilizo o lacre de alumínio retirado das latas de cerveja e refrigerante como elemento principal das minhas obras, mas não descarto a utilização de outros materiais reciclados para a composição de outros trabalhos”, explicou.
Anco (na foto) já participou de várias exposições individuais e coletivas em Volta Redonda, Resende, Piraí e Amsterdam, na Holanda. Além disso, coleciona prêmios, como os que recebeu da Galeria Rio Sul (Rede Globo); MAM (Museu de Arte Moderna) de Resende, entre outros.
Por conta das medidas de prevenção à Covid-19, o Espaço das Artes continua fechado para visitação, mas o público poderá visualizar as obras do lado de fora, através dos vidros da galeria. A exposição também pode ser conferida no site da secretaria de Cultura, em https://cultura.voltaredonda.rj.gov.br.

 

O Zoológico de Volta Redonda voltou a funcionar na terça, 4, mantendo a regra de só permitir o acesso de um número reduzido de visitantes por conta das medidas de prevenção contra a Covid-19. Inicialmente, está liberada a entrada de 300 pessoas por período, manhã e tarde, das 8 às 11h30min e das 13 às 16h30min, de terça a domingo. Só para os desavisados, o Zoo da cidade do aço, ao contrário do que prevê um decreto do governo do Estado, não funciona à noite. Na capital, o Zoo fecha às 22 horas.
Quanto às visitas ao ‘Recinto de Imersão’ no zoológico de Volta Redonda, elas estão temporariamente suspensas em decorrência do período reprodutivo dos animais. “Nesse momento, os animais se tornam mais reclusos, necessitando de mais silêncio e tranquilidade, sendo até grave qualquer forma de interferência desta condição. Após o nascimento e desenvolvimento primário dos filhotes, a visitação será retomada”, prometeu o coordenador do Zoo, biólogo Jadiel Teixeira. Aos interessados em ver os bichos, é necessário fazer o agendamento prévio do passeio através do site da prefeitura: agendaverde.voltaredonda.rj.gov.br. Para muitos, nos dias da semana, a regra seria desnecessária. É, pode ser!

O prefeito de Volta Redonda, Antônio Francisco Neto, assistiu na sexta, 30, à apresentação de um projeto de rotas integradas para a prática de cicloturismo no Sul Fluminense. A proposta, elaborada pela Agência Líder de Desenvolvimento Regional do Médio Paraíba, ADR-Líder Vale, instalada na cidade do aço, tem como objetivo ligar as cidades da região, através de um circuito turístico, que poderá ser feito de bicicleta. O vice-presidente da ADR, Evandro Glória, explicou que, com a conclusão da etapa de desenvolvimento do projeto, agora será trabalhada a fase de implantação do circuito. “Firmamos um contrato com uma empresa que fará a gestão operacional e administrativa do circuito e será responsável por promover eventos ciclísticos e demais esportes para integração e promoção turística, lazer e esportes entre os municípios”, frisou Glória.

A Escola de Hipismo da Fundação Beatriz Gama já está funcionando desde quinta, 5, quando foi reaberta pelo governo Neto. O projeto oferece aulas gratuitas a crianças de 8 a 15 anos, matriculadas na rede municipal de ensino. Detalhe: a unidade adquiriu mais oito cavalos, que ficarão disponíveis aos alunos. Os treinos acontecem na pista de hipismo da Ilha São João, às terças, quartas, quintas e sextas; das 8 às 11 horas, e das 14 às 17 horas. Para participar, basta levar um documento que comprove a matrícula em uma escola municipal. “Este projeto mudou a vida de muitas crianças. Temos relatos de que algumas eram relapsas, desligadas, e passaram a ter mais foco, porque é um esporte em que é preciso ter muita disciplina e foco. É uma terapia muito boa”, disse o diretor-presidente da FBG, Vitor Hugo Gonçalves..

Deixe uma resposta