Cabo de guerra

O prefeito Samuca Silva está bufando de raiva. Não é para menos. Em pé de guerra com vereadores da oposição, e alguns que ensaiam abandonar o Palácio 17 de Julho já de olho em 2020, o chefe do Executivo voltarredondense entrou em uma fria graças ao setor Jurídico da prefeitura, que perdeu o prazo para vetar uma matéria que modifica a famosa ‘taxa de luz’, anteriormente aprovada pela Câmara. “A procuradoria da prefeitura tinha que levar a mensagem para ser sancionada ou vetada. Não podia perder o prazo, a não ser que tenha sido orientada a assim agir”, avaliou uma fonte do aQui.

Ela pode estar certa. Mas a verdade é que o prejuízo será grande. Política e financeiramente. Para que se tenha ideia, a lei em vigor previa a cobrança da taxa de iluminação pública de quem consumia acima de 200kw. Agora, a cobrança só será feita de quem consumir acima de 600kw. “A isenção vai atingir até 90% da população”, diz a fonte. “A prefeitura deixará de arrecadar cerca de R$ 500 mil por mês”, acrescentou.

O que pode deixar Samuca mais irritado ainda é que a mudança na taxa de luz, que gerou muita polêmica na época, partiu de um projeto apresentado pelo vereador Neném, hoje na oposição. Ligado ao ex-prefeito Neto, o parlamentar ganhou o apoio de Granato, ex-presidente da Casa, e de Luciano Mineirinho, entre outros. “O Neném vai faturar isso politicamente”, sentenciou a fonte.

Não é bem assim. É que a fonte revela que o prefeito Samuca Silva guarda um trunfo na manga. Um senhor trunfo, que vai tirar o sorriso de Neném & Cia. “O Samuca vai entrar com processos individuais de improbidade  administrativa por renúncia de receita contra cada vereador que aprovou a alteração da lei. Ou seja, contra Neném, contra Granato, contra Luciano Mineirinho e etc”, pontuou.

Prazo

Como perdeu o prazo para sancionar ou vetar o projeto de Neném, coube ao prefeito, por lei, devolver a mensagem à Câmara. E Edson Quinto, que assumiu a presidência da Casa, ontem mesmo, sexta, 18, teria promulgado a nova lei, o que deverá criar o maior quiproquó político do ano. Afinal, vários vereadores vão estar com a cabeça a prêmio se Samuca realmente processá-los por improbidade administrativa.  

Veja como ficou a nova cobrança da Taxa de Iluminação Pública em Volta Redonda:   

Residencial

Até 600 KWH – R$ 7,80

De 601 a 700 KWH – R$ 12,00

De 801 a 900 KWH – R$ 18,00

De 901 a 1.000 KWH – R$ 30,00

De 1.001 a 2.000 KWH – R$ 42,00

Acima de 2.000 KWH – R$ – 60,00

 

Comercial

Até 800 KWH – Isento

De 801 a 1.000 KWH – R$ – 12,00

De 1.001 a 1.200 KWH – R$ – 24, 00

De 1.201 a 1.400 KWM – R$ – 36,00

De 1.400 a 2.000 KWH – R$ – 72,00

De 2.001 a 3.000 KWH – R$ 100,00

De 3.001 a 4.000 KWH – R$ – 170,00

De 4.001 a 5.000 KWH – R$ – 200,00

De 5.001 a 6.000 KWH – R$ – 250,00

Acima de 6.000 KWH – R$ – 300,00

 

Industrial

Até 1.000 KWH – Isento

De 1.001 a 1.500 KWH – R$ – 40,00

De 1.5001 a 2.000 KWH – R$ – 70,00

De 2.001 a 3.000 KWH – R$ – 140,00

De 3.001 a 5.000 KWH – R$ – 300,00

De 5.001 a 10.000 KWH – R$ – 600,00

De 10.001 a 15.000 KWH – R$ – 1.000,00

Acima de 15.000 KWH – R$ – 1.600,00

 

Deixe um comentário