quarta-feira, maio 25, 2022
CasaEditoriasEsporteBate Bola - Sergio Luiz

Bate Bola – Sergio Luiz

Este é o time do time dos Bombeiros da CSN, foto de 1957 e que pertence ao acervo do José Osmar, da Vila. Em pé da esquerda para a direita: Pedro Cavanhaque (diretor), Gabriel (Bié), Gaúcho, Lavecchia, Raimundo, Zé Carlos, Joaquim Roberto, 61 e Roldão. Agachados: Camilo, Wilson, Tarzan, Paulo Fleming, Paulinho e Júlio.

 

Tá ruim, mas tá bom

Esta semana vou plagiar o samba de Zeca Pagodinho, o ‘Tá ruim, mas tá bom, e tenho fé que a vida vai melhorar’. Foi como analisei o empate por 1 a 1 entre Voltaço e Figueirense, na estreia da série C do Brasileiro. O resultado poderia ser melhor. O ideal é que fosse uma vitória, porque empatar em casa é como perder dois pontos e não ganhar nenhum. Mas vou relevar, pois é início de campeonato e tem muita água para passar debaixo desta ponte. Acho até que, para um time que treinou pouco, com jogadores que chegaram às vésperas da partida, o empate não foi de todo ruim.
O time apresentou até um certo padrão de jogo, criando algumas jogadas, principalmente no segundo tempo. Mostrou disposição e arrancou o empate na raça, superando o desentrosamento natural. A vitória poderia ter vindo, se pensassem em formar a equipe já no Estadual e não fizessem do Carioca uma espécie de laboratório, que culminou com a dispensa de oito jogadores por deficiência técnica. Se eram ruins, quem os contratou? Onde estão os famosos ‘observadores’ que vivem atrás de reforços? Chegam e são exaltados como se fossem craques, quando na verdade, nem foram observados. São contratados graças à edição de ‘DVDs’ com os melhores momentos. Mesmo assim, prefiro dar um voto de confiança ao técnico Rogério Corrêa e ao grupo, na esperança de que façam do Raulino o terreiro onde quem tem que cantar de galo é o Voltaço.
Hoje o terreiro será do São José, em Porto Alegre. Para recuperar os dois pontos que deixou de ganhar na cidade do aço, só a vitória interessa ao Voltaço, mesmo debaixo de um solão das 11 horas da matina. Vou na onda do Zeca Pagodinho: “Tá ruim, mas tá bom, e eu tenho fé que o Voltaço vai melhorar”. Quem viver verá!

Reforços
A diretoria do Voltaço anunciou a contratação do atacante Igor Bolt, 21 anos, que foi destaque do Resende, campeão da Taça Rio. Já jogou pelo São Bento-SP e o Grêmio Prudente-SP. Veloz, Bolt era quem puxava os rápidos contra-ataques do time resendense. Boa sorte e que não seja como muitos daqueles que só jogavam no Resende e, no Voltaço, decepcionaram. Outra contratação anunciada, foi do zagueiro Iran Sidny, 26 anos, que foi bicampeão baiano pelo Atlético de Alagoinhas-BA.

Empréstimo
Seguindo a linha de apostar no futuro, o Voltaço emprestou o volante Everton, 18 anos, considerado uma das joias da base para o Flamengo. Na negociação ficou acordado que o Flamengo terá a opção de compra de até 70% dos direitos do atleta, após término do empréstimo daqui a quatro meses. Pergunto: se o garoto tem qualidades, por que não utilizá-lo entre os profissionais? Ganharia experiência e estaria na vitrine do futebol, além de ser, realmente, um reforço.

História
O saudoso locutor olímpico Paulo Miranda contava esta história. Quando iniciava sua carreira, lá pelos idos de 1953/1954, Miranda narrava um jogo entre o time misto do Flamengo e o Barra Mansa, no Leão do Sul. De repente, o árbitro Benjamin Morgado marca pênalti contra o Flamengo. O saudoso Bugio preparou-se para a cobrança e Paulo Miranda, nervoso por ter que narrar um gol do seu Barra Mansa contra o Flamengo, trocou as bolas: “Autorizou Bugio, correu para a bola Benjamin Morgado e… Puta que pariu, a bola foi parar lá na zona”. Que cacetada!

Adversários
Os próximos jogos do Voltaço serão: hoje, sábado. às 11 horas, contra o São José-RS, em Porto Alegre. Na terceira rodada, dia 24, às 11 horas, contra o Altos-PI, em casa. No dia 30, às 15 horas, no Raulino, enfrenta o Atlético do Ceará. O quinto adversário será o ABC, em Natal-RN, dia 8 de maio.

LDVR
A 4ª rodada do campeonato amador de Volta Redonda prossegue neste final de semana com os seguintes jogos: Ajax x Inter Califórnia, Talento Jovem x Eldorado, Delta x Juventude, Meninos da Vila x Inter Clubes, CMA x Santos, Divisa x Barcelona, Boleiros x BV F.C. e Siderlândia x Pela Fé.

Pagode
O show de pagode que acontecerá no dia 28 de maio no Raulino de Oliveira vai render R$ 175 mil aos cofres da prefeitura de Volta Redonda: R$ 100 mil de aluguel e R$ 75 mil de ISS. Só que o Voltaço deverá ficar sem realizar seus jogos em casa, tendo em vista que a recuperação do gramado deverá durar cerca de 45 dias. A empresa que promoverá o show ficou de assumir o compromisso de recuperar os danos que acontecerem, mas a prefeitura deverá promover a troca do gramado.

Bola fora
Para os preços que estão sendo cobrados nos bares do Raulino de Oliveira nos dias de jogos. Uma latinha de cerveja sai por ‘apenas’ R$ 10. Os salgados também custam R$ 10, os refrigerantes, R$ 7, e um copo d’água ‘só’ R$ 5. Detalhe: até prova em contrário, os bares são explorados pelo Voltaço. Para piorar, a sujeira, principalmente nos bares do setor azul, é de arrepiar. Eca! Um torcedor injuriado, presente no jogo de sábado, 9, fez questão de postar um vídeo nas redes sociais para mostrar sua indignação. Ele está certo. Alguém tem que tomar uma providência contra esse absurdo que fazem com os torcedores. É assim que querem que eles voltem a assistir os jogos? Procon neles.

Bola dentro
Para a nova proposta que começou a ser discutida pela Fifa para a próxima Copa do Mundo. Pensa, por exemplo, em aumentar o tempo das partidas de 90 para 100 minutos. A ideia é fazer com que o torneio deste ano seja o mais espetacular dentro e fora de campo, acabando com o “tempo de inatividade” das partidas. Para a Fifa, “as televisões pagam para transmitir 90 minutos, e não apenas 50 que são jogados”. Será?

Artigo anteriorA Páscoa da paz
Artigo seguinteColuna Social
ARTIGOS RELACIONADOS

LEIA MAIS

Lazer

Mudo e com a mão no bolso

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp