segunda-feira, janeiro 17, 2022

Barrada

Nova Dutra fecha acesso a cachaçaria e impede caminhões de circularem

Na quarta, 1°, o prefeito Rodrigo Drable gravou um vídeo às margens da Via Dutra, em Floriano, para denunciar uma prática que a CCR Nova Dutra vem fazendo desde que assumiu a primeira concessão da estrada, por volta de 2000: fechar o acesso de moradores e empresas instaladas ao longo da rodovia. Indignado, Drable reclamou que a concessionária fechou o acesso à Fazenda da Cachoeira – uma das propriedades mais importantes da região de Floriano e também uma das mais antigas. “Lá dentro tem caminhão carregado, carregado e preso, impedido de sair”, reclamou, mostrando os blocos de concreto que impedem entrada e saída da Fazenda.
A propriedade, de 1717, já foi residência do ex-presidente da República Floriano Peixoto. Hoje abriga um alambique que produz, artesanalmente, a Cachaça Rochinha, conhecida e premiada até na Europa. A empresa exporta mais de 600 mil litros por ano de cachaça e emprega dezenas de funcionários. Diariamente, caminhões entram e saem da Fazenda carregados da bebida. Só que, na quarta, eles entraram na propriedade, mas não conseguiram sair, porque os acessos foram fechados. “A produção da Fazenda está interrompida (..) isto é algo que a rodovia tem feito em vários trechos e por todo o seu trajeto. É uma covardia”, desabafou Drable.
No vídeo, Drable pede até a ajuda do presidente Bolsonaro para resolver o problema. “Por favor, presidente, corrija essa covardia, não só com Barra Mansa, mas com todos os produtores que estão à margem da Dutra”, apelou. O vídeo foi enviado à CCR Nova Dutra pelo aQui, com um pedido de resposta. Mas a assessoria de imprensa do grupo que administra a estrada pediu um prazo para enviar uma nota que ia além da data de fechamento da edição.
Outras vezes
Essa não é a primeira vez que a CCR fecha um acesso a uma propriedade ou a um bairro residencial ao longo do seu trajeto. Em 2018, colocou barreiras de concreto no acesso ao bairro São José, em Porto Real, obrigando moradores e trabalhadores de uma oficina próxima a contornarem por outros acessos para entrar e sair da cidade. O mesmo aconteceu em Resende, na altura do bairro Fazenda da Barra. Em Barra Mansa, impede até a abertura de uma grande churrascaria, sem contar que outros empreendimentos vivem tendo problemas com a empresa, que se mostra sempre irredutível em ‘fazer cumprir as regras’. Só que ela própria não cumpre o ‘combinado’. Exemplo maior foi que ignorou a obrigação prevista em edital de construir uma terceira pista na Serra das Araras.
Tem mais. Em março, a Nova Dutra bloqueou mais uma entrada em Barra Mansa: a de acesso à fábrica de cal IcalBam. A empresa funciona no KM-262 há mais de 40 anos e teve os dois acessos fechados. Representantes da IcalBam, trabalhadores, fornecedores, transportadoras e até o prefeito Rodrigo Drable tentaram reverter a situação para convencer a CCR a retirar o bloqueio, mas foi em vão. Os blocos de concretos foram colocados nas entradas e quem quiser que dê a volta. Um desrespeito, digno de uma ditadura, mesmo que econômica!

Artigo anteriorBarrados na cidade
Artigo seguinteGrampos Barra Mansa
ARTIGOS RELACIONADOS

“Não enganei ninguém”

Luto sem fim

Grampos Barra Mansa

LEIA MAIS

“Não enganei ninguém”

Luto sem fim

Grampos

Grampos Barra Mansa

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp