A foto é do time da SOM (Superintendência de Oficinas Mecânica) da CSN, tirada em 1983, no campo da Fazenda Santa Cecília. Pertence ao acervo do Osvaldo Bondinho.

Em pé da esquerda para a direita: Chamar, Dinamite, Apulam, Toninha Inambu, Madeira, Mico, Sorriso, Ivan e Gonzaga. Agachados : Lio Carepa, Amarelinho, Piroquinha, Rogério, Serginho Chaverinho, Bodinho e o técnico Darcio.

 

Haja sofrimento

Vejam como são as coisas. Durante a semana, um torcedor me perguntou por que tem que sofrer tanto para torcer pelo Voltaço. Difícil de explicar, né? O time tem um histórico de começar bem uma competição e, na reta final, cair de produção. E não tem sido diferente este ano. Começou com uma derrota (3 a 0) para o Altos, depois se recuperou e goleou o Manaus por 5 a 0. Fora de casa, derrotou o Botafogo (PB) por 2 a 1. Tem mais. Deixou o torcedor animado ao arrancar um empate por 0 a 0 diante do Paysandu, no campo do adversário.
Quando todos pensaram que ia engrenar, começou a alternar bons e maus resultados. Empatou com o Santa Cruz (0 a 0) em casa e desperdiçou dois pontos. Recuperou-se com mais um empate diante do Ferroviário por 1 a 1, jogando fora de casa. E voltou a decepcionar ao empatar, no Raulino, contra o fraco Jacuipense por 0 a 0. Mais dois pontos que jogou fora, e eles poderão fazer falta no final da competição. Depois, fez o dever de casa, vencendo o Floresta por 1 a 0, graças à atuação do goleiro Vinícius, que pegou até pensamento. Mas venceu é o que importa. Hoje, sábado, 24, em Tombos, às 11 horas, tem uma prova das 9. Pode vencer o vice-líder do seu grupo, o Tombense, e embalar, como pode arrancar um bom empate. Mas não pode é perder e voltar a decepcionar a sua torcida. Quem viver verá!

Novela
Diz um velho ditado jurídico: “Mais vale um mal acordo do que uma boa demanda”. Foi o que aconteceu no final da novela Volta Redonda & João Carlos. Segundo a diretoria, o atacante abriu mão do dinheiro que teria a receber em troca da sua liberação, afinal ainda teria mais 15 meses de contrato a cumprir. A versão do jogador é outra: Diz que decidiu sair por culpa da diretoria e se diz grato ao Voltaço.

Carro/CBF
A assessoria do Voltaço informando que o carro que o clube recebeu como doação da CBF (doou a todos os clubes que estão na série C,) estaria sendo usado, eventualmente, pelo presidente Flávio Horta. Quanto a não vender o veículo (vale uns R$ 80 mil) para quitar dívidas, tipo INSS de João Carlos ou o 13º dos funcionários do clube, a resposta foi de que existe uma restrição de venda do mesmo. Isso só poderia ocorrem em junho de 2022. Há controvérsias.

História
Sivaldo, ex-ponta do Voltaço, contava que viajando pelo Vitória, da Bahia, ele e Wilton Xavier ficaram perdidos em Paris. Wilton, então, teve uma ideia: “Olha, vamos ligar para o hotel e mandar alguém nos buscar”. Sivaldo perguntou: ”Mas como, se não sabemos falar francês?”. ”Deixa comigo, sô!”, respondeu Wilton, detonando seu francês: ”Pêr fevêr, querer falêr com mistêr Divalmierê, (Divalmir era o supervisor do clube)”. De repente, Wilton desligou o telefone e Sivaldo quis saber o que tinha acontecido. Wilton devolveu: ”Ih, o cara falou: “não entendê e desliguê”. Passaram maus momentos em Paris, né?

Arbitral
Na quarta, 21, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro enviou edital de convocação aos clubes da Série B2 do campeonato carioca para o arbitral que será realizado na próxima terça, 27.
Na pauta, sorteio da Tabela do Estadual de 2021, entre outros assuntos. A informação é de Diogo Oliveira de Paula, publicada no Blog do Barra Mansa F.C.

Dalbert
O blog do Barra Mansa informa também que o lateral-esquerdo Dalbert está de volta ao futebol italiano após atuar pelo Rennes, da França. Deve defender o Cagliari na próxima temporada. O lateral, que é de Barra Mansa, pertence à Internazionale de Milão e chega ao clube da Sardenha por empréstimo com opção de compra pelo valor de 7 milhões de euros. Se a venda for sacramentada, o Leão leva um troco, graças ao mecanismo de solidariedade da Fifa.

Bola fora
Para os jogadores do Boca Júnior, que causaram o maior tumulto em Belo Horizonte após serem eliminados pelo Atlético-MG. Os argentinos, pra variar, foram parar na delegacia, onde foram enquadrados como arruaceiros. Só saíram porque o clube pagou fiança e prejuízos.

 

Deixe uma resposta