Reaberto

A polêmica e os riscos de um acidente não assustaram os cerca de três mil voltarredondenses (previsão das autoridades) que foram visitar o Zoológico Municipal durante o último final de semana. A reabertura, debaixo de muito sol, foi por volta das 10 horas. “Nós reabrimos o espaço em respeito à população da cidade. Nas férias escolares as famílias precisam de lazer; por isso, optamos por reabrir mesmo com a obra de andamento”, destacou o prefeito Samuca Silva.

Desde agosto de 2019, o Zoológico está passando por uma reforma. Segundo a prefeitura, o investimento é “de mais de R$ 700 mil em infraestrutura e revitalização do espaço”. Segundo release da equipe de Samuca, o recinto dos animais foi todo reformado, o espaço foi pintado e arborizado com o plantio de 66 mil mudas de plantas ornamentais, e um recinto de imersão estaria sendo construído. “Novos brinquedos adaptados para crianças com deficiência serão instalados no zoológico, além do re-torno dos pedalinhos”, detalharam na nota enviada aos jornais.

Mas nem tudo são flores. A começar pelo risco de um acidente, especialmente com crianças que forem visitar o Zoo. “Reabrir foi uma jogada de alto risco. Não se deve deixar crianças circulando em áreas em obras, mesmo que de longe. Criança é imprevisível. Pode cair quando estiver passando perto de um monte de tijolos e se machucar”, desabafou um pai de família, anunciando que vai esperar o fim da reforma para levar seu filho ao zoológico. 

Outro, que é leitor do aQui, mandou uma mensagem para contestar duas situações. A primeira é o valor do investimento. “A oposição (a Samuca, grifo nosso) deve ter falado em R$ 500 mil de reforma em razão da placa que a própria Prefeitura colocou na entrada do zoo, que aponta o custo de 578 mil. Oras, se passou para R$ 700 mil, penso que o ‘Gestor’ deveria explicar o motivo”, comentou, pedindo anonimato. Para provar o que estava dizendo, ele mesmo mandou a foto da placa na entrada do Zoo.

Não satisfeito, o leitor disse que a diferença de valores seria com a compra de plantas para o próprio Zoo. “O que se fala lá é que se gastou quase R$ 100 mil só com mudinhas de plantas que deverão estar sem vida em 6 meses, pois foram plantadas de qualquer jeito e em local que alaga”, denunciou. “Vá lá pra ver e avaliar”, sugeriu à reportagem, acrescentando que uma rampa, próxima à subida da Arca do Saber, estaria “toda com lodo”.

Versão oficial

O jornal ‘A Voz da Cidade’, de Barra Mansa, chegou a publicar em uma de suas edições, baseando-se supostamente em declarações que teriam sido dadas por Samuca a uma rádio, que do zoológico de Volta Redonda seria reinaugurado no dia 5 de janeiro. E que o investimento seria mesmo de R$ 700 mil. “As pessoas querem vender o caos para se fortalecer em um processo eleitoral, que nem começou ainda. O zoológico teve investimento de R$ 700 mil, e foi fechado temporariamente. Reabrimos sim, mas não reinauguramos”, disparou. “Não estou com pressa de reinaugurar”, completou.


Samuca foi além. Crê que a reabertura do zoológico “foi um princípio básico, de respeito às pessoas, a quem não tem um dinheiro, por exemplo, para pagar um cinema, para quem mais precisa”, defende-se.


Em entrevista a Betinho Albertassi, o prefeito de Volta Redonda comentou que, em termos de segurança aos frequentadores, a prefeitura fez a sua parte. “Tem faixa espalhada pelo zoológico todo dizendo que estamos em obras”, disparou, anunciando, como disse ao aQui, que não foi à inauguração, ops, à reabertura do Zoo. “Eu nem fui lá reinaugurar”, pontuou, adiantando que a inauguração de verdade deverá ocorrer no final de fevereiro ou em março. Palavra de leão. “O zoológico de Volta Redonda vai ser referência estadual e nacional, e sem cobrar nenhum real de ninguém”, prometeu.

Deixe uma resposta