Pulando fora

Roberto Marinho

No final do ano passado, a Rede D’Or – uma das maiores empresas de Saúde privada do Brasil, com 54 hospitais próprios e 45 clínicas oncológicas, localizadas em oito estados brasileiros e no Distrito Federal – comprou um terreno de 3,55 mil metros quadrados no bairro Nossa Senhora das Graças. O investimento foi de R$ 5,2 milhões e, pelo que se especulou na época, a empresa iria construir um hospital de 12 andares. A unidade ficaria ao lado do Centro de Saúde da AAP- VR.
Mas, ao que tudo indica, o negócio teria melado, como já tinha ocorrido quando a Rede D’Or andou negociando a compra do hospital da CSN, hoje nas mãos da LIV Saúde. De acordo com fontes ouvidas pelo aQui, a empresa privada teria desistido do projeto depois de verificar que não existiria espaço no mercado local, já ocupado pela Unimed e pelo Hospital Santa Cecília. “Eles teriam que brigar para atender a uma pequena parte do mercado, e por isso teriam desistido de investir em Volta Redonda”, afirmou uma das fontes, pedindo para não ser identificada.
No entanto, a Rede D’Or não deve ter prejuízo, porque o terreno que ela comprou por R$ 5,2 milhões, que pertencia à União, foi adquirido em um leilão judicial, por um preço bem camarada, dada a localização e o tamanho da área. Se colocar o local à venda agora, a Rede D’Or com certeza poderá pedir muito mais do que pagou. O difícil será achar um comprador.
O aQui entrou em contato com a assessoria de imprensa do grupo D’Or e pediu um posicionamento oficial sobre o caso, mas não recebeu nenhum retorno até o fechamento desta edição.

Deixe uma resposta