terça-feira, maio 24, 2022
CasaEditoriasEspecialInfiéis fiéis

Infiéis fiéis

Neto confirma apoio do seu grupo a Cláudio Castro

Como o aQui já noticiou, o grupo do prefeito Neto, que é filiado ao DEM, decidiu por filiar Munir e Deley ao PSD para que saiam pré-candidatos à Assembleia Legislativa e Câmara Federal, respectivamente. A legenda escolhida tem até candidato a governador, o advogado Felipe Santa Cruz, cuja candidatura foi lançada por Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro. Só que os políticos volta-redondenses, vejam só, deverão votar em Cláudio Castro, que é candidato à reeleição pelo PL.
“Eu já tenho candidato a governador. O meu candidato é o Cláudio Castro e o candidato do Munir e do Deley para governador também será o Claudio Castro. As pessoas do Rio sabem disso. Há três meses, quando estávamos conversando (sobre filiação), nós deixamos bem claro isso”, explicou Neto durante entrevista a Dário de Paula na manhã de quinta, 7.
Para mostrar que sua decisão – e do grupo – seria irreversível mesmo que caracterize uma infidelidade partidária por parte dos candidatos que lançou, Neto deixou claro que é uma questão de gratidão do seu grupo do atual governador. “Eu agradeço a esse homem todos os dias. Eu duvido que algum prefeito fale na gratidão que eu tenho pelo governador como a gente faz. Esse governador salvou Volta Redonda, tirou Volta Redonda de um buraco sem tamanho e gratidão não prescreve. Meu (candidato a) governador vai ser o Cláudio Castro e o candidato do Munir e do Deley também. Não escondo de ninguém”, reiterou.
Na entrevista a Dário, Neto também abordou um encontro que teve com o ex-presidente Lula. Mas negou que a reunião tenha sido a ‘portas fechadas’. “O André Ceciliano (presidente da Alerj) me convidou para ter uma conversa com o presidente Lula. Eu estive lá, e ele me tratou com muito carinho. Quando esteve na presidência, ele ajudou Volta Redonda e eu devo muito”, disse, sem citar a ajuda que Lula teria dispensado à cidade do aço. “Não foi reunião de portas fechadas nada, tinham 12 prefeitos lá, a grande maioria, com certeza, vai apoiar o Cláudio Castro, como eu”, pontuou.
Já com relação à ajuda de Ceciliano, Neto não poupou palavras. “O município de Volta Redonda deve muito ao André Ceciliano, que tem nos ajudado em tudo o que a gente precisa. A lei que baixou o ICMS, que está atraindo empresas para Volta Redonda, foi dele, que é do PT”, detalhou, aproveitando para prometer se encontrar com outros candidatos a presidente da República. “Se me convidarem para falar, posso conversar com o Ciro, com o Bolsonaro ou quem quer que seja. Eu irei sem problema nenhum, pois o meu partido é Volta Redonda. Eu sou muito grato às pessoas que ajudam Volta Redonda. O Neto não precisa da ajuda de ninguém, mas Volta Redonda precisa muito”, ponderou, garantindo que nos próximos dias vai lançar uma campanha de agradecimento – em jornais e rádios – aos deputados que ajudaram Volta Redonda. “Mais de 30 deputados ajudaram”, garante.
Segundo Neto, os parlamentares já teriam destinado mais de R$ 340 milhões em emendas pró-Volta Redonda. Dinheiro que, segundo ele, será disponibilizado à prefeitura ainda em 2022. “Vem esse ano ainda”, disparou. “Quem me ajudou a conversar com alguns deputados foi o Pezão. Sou muito grato a todos que me ajudam. Quando você me pergunta se meu candidato a governador vai ser o Cláudio Castro, com certeza, pois sou muito grato a ele”.

Artigo anteriorColuna Social
Artigo seguinteMuita gente
ARTIGOS RELACIONADOS

Crime animal

Pela via legal

Mistério a sete chaves

LEIA MAIS

Lazer

Mudo e com a mão no bolso

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp