terça-feira, maio 24, 2022

Grampos

Sacolas plásticas (I) – Até que enfim uma boa notícia: os estabelecimentos comerciais de Volta Redonda já não podem mais cobrar para fornecer sacolas plásticas descartáveis biodegradáveis, sacolas de papel, ou de qualquer outro material aos seus clientes. O presidente da Câmara, Sidney Dinho, promulgou a Lei Municipal 5.915, que já foi até publicada no Diário Oficial na quinta, 20. Coube ao Poder Legislativo promulgar a nova legislação, já que o prefeito Neto, digamos, ficou em cima do muro: não quis sancionar e nem vetar a lei.

Sacolas plásticas (II) – De autoria do vereador Lela, a Lei 5915 foi aprovada em novembro pela Câmara de Volta Redonda. “O fornecimento deverá ser gratuito, sem qualquer tipo de ônus das sacolas descartáveis que não poluam o meio ambiente para o transporte de produtos adquiridos pelos consumidores”, diz a lei. Em caso de descumprimento, o estabelecimento será advertido, para se adequar. Em caso de reincidência, os fiscais devem multar o local em valores que variam de R$ 4.340 a R$ 17.360.

Por telefone – A manhã de quinta, 20, foi atípica quando da entrevista do prefeito Neto ao programa Dário de Paula. Inicialmente, foi por telefone, já que o elevador do prédio onde a rádio funciona estava com problemas e Neto nunca iria subir 10 andares para ser entrevistado. “Eu não estou em condições de subir”, confessou.

Covid (I) – O segundo fato atípico é que Dário de Paula não estava. Foi substituído por Renan Cury, dublê de comunicador e vereador. Motivo: Dário tinha contraído o vírus da Covid-19 e estava em isolamento social.

Covid (II) – Por falar no vírus, outro dublê de comunicador e vereador também contraiu o vírus da Covid-19. Foi Betinho Albertassi, da Rádio 88.

 

Covid (III) – Quem teve mais azar foi o ex-vereador Maurício Batista, que no dia do seu aniversário, na quarta, 19, voltou a contrair o vírus da Covid-19. Passou a noite de molho na cama.


Compasso de espera (I) – Na entrevista a Renan Cury, vereador que é da sua base política na Câmara de Volta Redonda, Neto foi provocado a falar da possibilidade de voltar a criar medidas restritivas para o comércio por conta da Covid-19. Neto negou, mas… “Renan, a princípio não pretendemos de forma alguma fechar o comércio, fechar o shopping. Isso não passa pela nossa cabeça, mas, logicamente, estamos esperando um pouco mais para ver como vai ficar essa situação (de contaminação) toda”, disse o prefeito, aproveitando para falar do jogo de estreia do Voltaço no Carioca de 2022, marcado para o Raulino, com a presença de público. “Com certeza para o jogo do Volta Redonda, a capacidade não será de 20 mil pessoas como está hoje. Vamos fazer alguma restrição, mas deixar a torcida prestigiar”, justificou.

Compasso de espera (II) – Com aquela sua mania de elogiar até quem não merece, Neto disse a Renan que Milton (aquele que usa a Clínica da Cidadania para fazer política, aproveitando todo mundo que tem QI) estaria “fazendo um trabalho belíssimo no estádio para tirar aquela sujeira toda que tem nas cadeiras”. Será que o rapaz mudou de profissão?
Compasso de espera (III) – Voltando ao fechamento do comércio, Neto foi taxativo: “Nossa intenção é esperar um pouco mais para ver como vai ficar a situação. Mas não pretendemos fechar igrejas, fechar templos, o comércio. Vamos esperar para ver essa situação toda para ver o que fazer”, pontuou.

Cirurgias de catarata – Como o assunto morreu, Neto passou a falar que a prefeitura de Volta Redonda vai retomar as cirurgias de catarata. “Vão retornar. Se eu não me engano será no dia 20 de fevereiro. O resultado é muito positivo e nós estamos terceirizando algumas cirurgias eletivas para tentar zerar a fila. Não é fácil, mas vamos conseguir”, adiantou. Segundo Neto, o seu governo já fez cinco mil cirurgias de cataratas.

Cirurgias – Neto também anunciou a Renan que a prefeitura de Volta Redonda vai fazer cerca de duas mil cirurgias de ginecologia e vesícula.

Arquitetos (I) – A saia-justa, se é que se pode dizer que existe, foi quando Renan abordou o problema dos arquitetos que trabalham para a prefeitura e que reclamam de uma lei, aprovada na Câmara, e que até hoje não saiu do papel. Lei que alterou para cima o salário dos profissionais de arquitetura. Neto foi irônico na resposta. “Renan, como eu gostaria de dizer para eles e para todo o funcionalismo público que o Poder Público iria gastar R$ 6 milhões e pouco por ano para atender 64 engenheiros e arquitetos”. Ou seja, vão ficar a ver navios.

Arquitetos (II) – Segundo o prefeito, a lei sancionada pelo ex-prefeito Samuca Silva estaria sendo questionada judicialmente. “Estamos indo na Justiça mostrando que é infuncional (sic) não só essa lei, mas outras também”, comentou, lembrando que o ex-prefeito teria ‘escolhido algumas categorias e dado mais de 20 milhões de reais por ano’ (de reajuste). “Atendeu menos de 500 funcionários públicos, onde você tem 12 mil, isso é covardia”, completou.

Arquitetos (III) – Neto foi além. “Eu gostaria muito de dizer o contrário para o funcionário público, pros 64 engenheiros e arquitetos, que a grande maioria merece muito mais que esse reajuste, mas eu, infelizmente, não tenho condição nenhuma de fazer isso”, disparou, aproveitando para prometer que, se tiver ajuda de Claudio Castro, ele poderá continuar pagando em dia rigorosamente o funcionário público. “Mas não posso fazer maluquice. Gostaria muito de poder atender o funcionário público”, destacou.

Gelado – A Guarda Municipal de Volta Redonda espera gastar até R$ 69 mil na compra de três aparelhos de ar-condicionado para a sua sede. A licitação vai ocorrer em 2 de fevereiro. Os modelos dos aparelhos são ‘splits’: dois de 60 mil BTU e um de 36 mil BTU.

Combustível – O posto de combustível Nova VR, que fica na Beira-Rio, passou a fornecer gasolina para a Câmara de Volta Redonda. A licitação foi homologada e, pelo serviço durante um ano, a empresa vai receber R$ 54 mil.

Folga – Mesmo com as festividades de carnaval canceladas em Volta Redon-da, os servidores da Câmara de Vereadores – e os parla-mentares – vão ganhar uns dias de folga durante a Festa de Momo. O presidente Sidney Dinho decretou ponto facultativo de 28 de fevereiro a 4 de março nas dependên-cias da Casa de Leis.

Teste – A secretaria de Saúde de Volta Redonda homologou a licitação para a compra de testes antígenos de Covid-19. A quantidade adquirida não foi divulgada. A vencedora é a Vida Biotecnologia, de Belo Horizonte (MG). O valor total da compra será de R$ 829 mil.

Da série “perguntar não ofende”… – Por onde anda a secretária de saúde de Volta Redonda, Conceição Souza? Estaria com a Covid-19 e em isolamento social em Piraí, cidade onde mora? Estaria de férias, mesmo sabendo que os casos de Covid-19 estão explodindo em Volta Redonda? Ou teria pedido o boné?

Mais uma da mesma série… – Por onde anda o comandante da Guarda Municipal? Pediu o boné? Tá de férias? Vai voltar?

Motos – Em release enviado aos jornais, a prefeitura de Volta Redonda anunciou que vai passar a promover ações contra as motos barulhentas que circulam pela cidade do aço. A ideia é promover uma campanha educativa e de conscientização para dimi-nuir o incômodo causado pelos motoqueiros. A ideia pode até ser boa, mas o público-alvo não está nem aí. Ah, esqueceram das pererecas (carros de som), que fazem tanto ou mais barulho que as motos sem escapamento?

Ele voltou (I) – Quem acompanha a trajetória do hoje secretário de Ordem Pública do governo Neto, tenente-coronel Luiz Henrique Monteiro Barbosa, deve se lembrar que ele gostava de mostrar o seu poder, inicialmente como comandante da GM, dando dura em ferros-velhos, lojas de revenda de gás, água etc. Foi quando ganhou a fama de mau.

Ele voltou (II) – Alçado a secretário, Luiz Henrique começa a ‘se destacar’ e mostrar poder. “As ações de fiscalização estão previstas e vão envolver a Guarda Municipal, as polícias Militar e a Civil, além da nossa secretaria, de modo que os condutores irregulares vão sentir a resposta do poder público, através das forças de segurança”, disparou Luiz Henrique, deixando no ar uma ameaça velada aos donos de motos barulhentas.

Ele voltou (III) – A pasta de Luiz Henrique – Ordem Pública – também cismou de arrancar bancas de jornais por ora sem uso. Disse que atendeu pedidos de moradores e comerciantes. Em release, informou que as bancas (duas) estavam sendo usadas “como banheiro, além de acumular lixo na parte de trás, atraindo animais peçonhentos e causando sensação de insegurança aos moradores”, justificou. Tem mais. Disse que as bancas, durante a noite, eram usadas por usuários de drogas. Menos, camarada, menos.

Ele voltou (IV) – Luiz Henrique, conforme sua equipe, vai intensificar os trabalhos de ordenamento da cidade. “Vamos intensificar os trabalhos e continuar a fazer a retirada de carros abandonados em vias públicas dos bairros, poda de árvores, desobstrução de calçadas, entre outros serviços essenciais, acabando com a sensação de insegurança que esses problemas geram”, afirmou. Mostra que já é um supersecretário, atropelando as funções dos secretários de Infraestrutura e Meio Ambiente, entre outros.

Água – As equipes da empresa responsável pela obra de substituição da rede de abastecimento de água da Avenida Beira-Rio já iniciaram as escavações da via e envolvem ainda o assentamento das tubulações nas proximidades da ETA do Belmonte. De acordo com o Saae-VR, 60% do material de ferro fundido que será utilizado na obra já foi entregue. “Estamos conseguindo colocar em prática uma obra tão desejada pelos moradores e que vai melhorar o acesso à água potável para os bairros atendidos pela rede. A população de Volta Redonda merece e essa obra vai marcar a história da nossa cidade”, ressaltou o presidente da autarquia, Paulo Cezar de Souza, o ‘PC’.
A obra vai trocar mais de cinco quilômetros da rede de abastecimento de água na Beira-Rio, com um investimento da ordem de R$ 13 milhões.

Laboratório (I) – O Hospital do Retiro acaba de receber um novo laboratório de análises clínicas com equipamentos de última geração para oferecer exames de hematologia, bioquímica, urinálise, microbiologia, imunohematologia e parasitologia. “Assim que assumimos o governo, praticamente não tinha laboratório, era realizado apenas exame de urina. Com o passar dos meses, conseguimos implantar a gasometria, hematologia e pré-análise da microbiologia. E estávamos levando as amostras para o laboratório central. Agora poderemos realizar todos os exames dentro do hospital, com equipamentos de alta tecnologia”, destacou Márcia Cury, diretora da unidade.

Laboratório (II) – Márcia Cury, diretora do Hospital do Retiro, cometeu, digamos, um ato falho ao comemorar o novo laboratório de análises clínicas da unidade de saúde, que dará mais agilidade ao atendimento médico. “Assim que assumimos o governo, praticamente não tinha laboratório, era realizado apenas exame de urina”, disse. O problema é que a moça se esqueceu que, durante o governo do ex-prefeito Samuca, ela também foi diretora – durante mais de um ano – do Hospital do Retiro.

Uma fera – Os prefeitos da região Sul Fluminense devem estar uma fera com o alcaide de Pinheiral, Ednardo Barbosa, que anunciou na segunda, 17, um reajuste salarial de 13,05% para todos os servidores do município já a partir de janeiro. O índice terá que ser aprovado pelos vereadores da cidade. Quem terá a coragem de ficar contra?

Boato – Esse circula por várias cidades da região: dá conta que o prefeito de Barra do Piraí, Mário Esteves, estaria apenas fazendo ‘marolinhas’ com seu nome como provável pré-candidato a deputado federal. Uma fonte do aQui, que pede anonimato, diz, inclusive, que ele já teria confessado a amigos que vai cumprir seu mandato de prefeito até o último dia de 2024. Em compensação, há quem diga que Mário está bem animado. A conferir.

Reforma – A empresa Biota Construções, Serviços de Transportes foi contratada para tocar as obras de reforma do prédio 1 da Arena Esportiva da Voldac. Valor do serviço: R$ 5 milhões e oitocentos mil.

Cutucando a onça (I) – O vereador Renan Cury esteve com o todo-poderoso homem da segurança pública de Volta Redonda, Luiz Henrique. “Infelizmente, nos últimos anos, a cidade, que era referência em segurança, tornou-se evidência em violência” desabafou. Aproveitou para indicar alguns locais onde a pasta da segurança deveria instalar algumas das 700 novas câmeras que o Palácio 17 de Julho comprou e que deverão ser instaladas assim que chegarem. Detalhe: locais de abandono de animais. “Apontei locais que acho necessária a implantação, onde ocorrem abandonos constantes de animais. Tive ajuda da Carminha, da ONG SPA. Aliás, pedi a instalação nas proximidades da ONG”, comentou nas redes sociais.

Cutucando a onça (II) – Renan foi além. Abordou a questão das pessoas em situação de risco. “Também falamos sobre a quantidade de pessoas em situação de rua na cidade. Alguns, precisam de ajuda psiquiátrica e assistência social, mas outros, merecem olhares severos das forças de segurança. A partir da semana que vem, abordagens diárias devem ser iniciadas”, escreveu, indo além. “Infelizmente, alguns órgãos de justiça atrapalham um bom trabalho, já que entendem que um homem, com problemas mentais, histórico de violência e andando com um facão do tamanho de um braço na bolsa, usa do utensílio apenas pra se alimentar. Mas enfim, vamos vencer”, crê Renan.

Chuvas – O temporal de quarta, 19, acabou explodindo no colo da secretaria de Infraestrutura (SMI), que foi obrigada a trabalhar na limpeza das ruas e retirada de árvores até por volta das 23 horas. Jeronimo Telles, titular da pasta, contou que usou 30 homens divididos em seis equipes. Segundo ele, hoje seria preciso cerca de R$ 1 bilhão para recuperar toda a malha viária de Volta Redonda.

Conferência – Volta Redonda vai realizar em 12 de março a 6a Conferência Municipal de Cultura. A convocação já foi assinada pelo prefeito Neto e publicada em Diário Oficial.

Licitação – O governador Cláudio Castro marcou a primeira licitação das obras prometidas ao prefeito Neto. Trata-se da construção de uma nova ponte, ligando o Aterrado à Radial Leste. A licitação deverá ser feita no próximo dia 26 de janeiro.

Folga – Em novo acordo coletivo do Sicomércio com o Sindicato do Empregados do Comércio, ficou decidido que não será mais ponto facultativo o Dia do Comerciário em Volta Redonda, quando todas as lojas fechavam as portas para homenagear os trabalhadores. Agora, o empregado terá direito a ficar em casa, descansando, para celebrar a data no dia do seu aniversário.

 

Artigo anteriorCurtas 1286
Artigo seguinteGeral Barra Mansa
ARTIGOS RELACIONADOS

Grampos

Grampos

Grampos

LEIA MAIS

Lazer

Mudo e com a mão no bolso

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp