quinta-feira, julho 18, 2024
CasaColuna SocialColuna Social

Coluna Social

Na próxima sexta, 17, o Gacemss (Grêmio Artístico e Cultural Edmundo de Macedo
Soares e Silva) completará 78 anos de fundação. Entre os eventos, gratuitos ou não, destaque para a exposição “Acervo de Banalidades”, de Leandro e Silva, inaugurada na quinta, 9, e que poderá ser vista até o dia 24 na Galeria de Arte Cílio Bastos, de segunda a sexta, das 13 às 18 horas. É a primeira individual do artista volta-redondense, que articula temas relacionados à memória da cidade do aço, principalmente aquela ligada à história dos trabalhadores. Na noite do aniversário, a Fundação CSN vai apresentar o show “Nossas Raízes – Tambores de Aço”. Será às 19 horas, com entrada franca, no Teatro Gacemss I. A classificação é livre. A orquestra Tambores de Aço é composta por 20 músicos bolsistas, oriundos do ‘Projeto Garoto Cidadão’, com 13 a 19 anos. Com estilo próprio, o repertório é eclético, influenciado pela música brasileira, caribenha e latino-americana, mantendo viva a identidade cultural dos ex-educandos do ‘Garoto Cidadão’.

A vice-prefeita de Barra Mansa, Fátima Lima, participou na terça, 7, de uma roda de conversa no Cras Pena Forte, na Vila Coringa, quando discutiu diversos temas, como violência doméstica, vivência com os filhos no núcleo familiar, racismo e outras formas de discriminação. Estiveram presentes a coordenadora do Cras, Adriana Gomes, a enfermeira Kelly Cristina Santos e a gerente de Promoção da Igualdade Racial, Deviane Costa. “Como novembro é um mês que tem um feriado dedicado às pessoas negras, que é o dia 20, nós achamos que seria legal convidar pessoas, como a vice- prefeita para estar falando aos nossos assistidos sobre preconceito racial, porque infelizmente ainda vivemos em um país que reproduz muito isso. Chamamos a enfermeira para falar das doenças que afetam especificamente a população negra e tudo isso é muito importante”, detalhou Adriana Gomes. “O mês de novembro é o mês da Consciência Negra e é muito importante manter essa pauta de discriminação racial sempre em discussão e trocar experiências sobre o assunto. Isso deveria ser normal em todos os ambientes, para podermos aprender cada vez mais e melhorar nossos relacionamentos. Nós, como poder público, somos responsáveis por criar políticas e uma delas é promover a igualdade racial, o que é extremamente importante”, pontuou Fátima Lima.
A mesma roda de conversa vai ser realizada em outros Cras, de acordo com o calendário abaixo:
13/11 – 9h – CRAS Vista Alegre 22/11 – 9h – CRAS Morada Verde 28/11 – 14h20 – CRAS Vila Natal 30/11 – 09h45 – CRAS Casa da família

O grupo carioca ‘Os Tapetes Contadores de Histórias’ está comemorando 25 anos de existência e estará em Volta Redonda nos dias 10, sexta, e 11, sábado, para apresentar seus contos e histórias usando tapetes tridimensionais. Será na sede Fundação Cultural CSN, na Vila, em frente ao antigo Recreio dos Trabalhadores. Nas apresentações,
o grupo traz um repertório composto por narrativas da literatura infanto-juvenil e contos de tradição oral. A programação contempla três diferentes espetáculos – Sol, chuva e tapetes (para público de 3 a 6 anos), Palavras Andantes (para o público de 6 a 10 anos) e Ponto De Transmutação (para o público de 11 a 14 anos). “Cremos que a literatura e a oralidade têm o poder de unir comunidades, fortalecer laços e inspirar gerações futuras. O Circuito Tapetes Contadores de Histórias 25 anos é uma celebração da criação do nosso grupo, da diversidade de histórias que o Brasil tem para contar e também um lembrete de que a cultura é uma herança compartilhada por todos nós”, diz Warley Goulart, um dos fundadores d’Os Tapetes Contadores de Histórias.
SERVIÇO:
Circuito Tapetes Contadores de Histórias 25 anos – utilizando tapetes costurados, o grupo Os Tapetes Contadores de Histórias convida pessoas de todas as idades a viajarem pelo mundo através das histórias. No repertório estão os espetáculos Sol, chuva e tapetes, Palavras Andantes e Ponto De Transmutação.
VOLTA REDONDA | Fundação Cultural CSN R. Vinte e Um, 402 – Vila Santa Cecília, Volta Redonda Dia 10 (sexta) – 14h. (escolas)
Dia 11 (sábado) – 16h. (famílias e público geral)

A Sociedade Brasileira de Psicanálise Contemporânea, filiada à American Diplomatic Mission of International Relations Intergovernmental Organization e à American College of Psychosomatic Medicine, representada pelo seu presidente David Jansen Pecis, faz a entrega do diploma de Doutor Honoris Causa ao Dr. Agricio Inácio José do Vale, psicanalista da Escola de Psicanálise da Sociedade Brasileira de Psicanálise Contemporânea, do Rio de Janeiro, um dos colunistas do jornal aQui.

ARTIGOS RELACIONADOS

Coluna Social

Coluna Social

Coluna Social

LEIA MAIS

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp