quinta-feira, julho 18, 2024
CasaEditoriasVolta RedondaVolta Redonda sedia o 6º Festival de Curimba do Sul Fluminense

Volta Redonda sedia o 6º Festival de Curimba do Sul Fluminense

Evento acontece neste domingo, 12, no Memorial Zumbi, na Vila Santa Cecília

Volta Redonda vai sediar neste domingo (12), a partir das 10h30, a sexta edição do Festival de Curimba do Sul Fluminense – “As Encantadas da Jurema” – no Memorial Zumbi, na Vila Santa Cecília. A programação começa com a Feira das Marias, com itens de artesanato e produtos de terreiro; na sequência, acontece o show do grupo Samba de Mãe, com Camila Gabriela e Banda, às 13h. A abertura oficial do festival será às 14h, com a apresentação dos jurados e de Madruska, a Contadora de Histórias.

No primeiro bloco, com tema livre, vão se apresentar a Casa de Caridade Caboclo Ventania, do município de Valença; Tupam (Terreiro de Umbanda Paz e Amor), de São Paulo; Florescência Feminina, de Volta Redonda; e Tenda Espirita Vó Cambinda e Tia Chica, de Pinheiral. A fase encerra com apresentação de Mãe Iassan Pery, liderança religiosa do Norte Fluminense e escritora com trajetória dentro da cultura e musicalidade de terreiro.

Em seguida, se apresentam os concorrentes no tema especial “As Encantadas da Jurema”: Tupam (Terreiro de Umbanda Paz e Amor), de São Paulo; Tenda Espirita Vó Cambinda e Tia Chica, de Pinheiral; Casa de Caridade Caboclo Ventania, de Valença; e Templo de Jurema Caboclo Tupinambá, de Volta Redonda.

Ao final dessa fase do festival, haverá apresentação do músico e pesquisador alagoano Sapopemba e da cantora e compositora pernambucana Alessandra Leão, que foi indicada ao Grammy Latino.

Recebem troféus os três primeiros colocados para o tema livre, o melhor intérprete e a melhor torcida. O primeiro colocado da “Melhor Cantiga Tema Especial – As Encantadas da Jurema” recebe troféu e um jogo de atabaques artesanais. Além disso, o vencedor na categoria “Especial” tem vaga garantida para concorrer ao prêmio “Atabaque de Ouro 2024”, que acontece anualmente no Rio de Janeiro.

De acordo com o produtor cultural Sid Soares, o Pai Pequeno, do Centro Espírita Nossa Senhora da Guia (CENSG), que abriga o Coletivo Kekerê – que organiza o festival com apoio da Prefeitura de Volta Redonda – o evento é de grande relevância cultural.

“O festival promove ações de preservação patrimonial, cultural e religiosa, tendo a Curimba como elo na preservação dos saberes afro-brasileiros e originários. É um evento gratuito, que se firma como referência cultural e ferramenta para a promoção, preservação e difusão da cultura preta e do combate ao racismo religioso”, disse.

Foto de arquivo – Secom/PMVR.

ARTIGOS RELACIONADOS

LEIA MAIS

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp