Violência nas ruas

Roberto Marinho

Na edição passada (no 1.266) o aQui chamou a atenção para a situação da violência em Volta Redonda, onde o número de assassinatos já é praticamente o mesmo que existia antes do aparecimento da Covid-19. E na manhã de quarta, 1o, um assassinato em plena luz do dia, em um dos locais mais movimentados da cidade, infelizmente comprovou que a criminalidade voltou a meter medo em todos. Pior. O homicídio em questão pode ter ocorrido por causa de uma briga de facções ou disputa por território envolvendo traficantes de drogas.
A vítima foi Reginaldo Gomes da Silva, o Naldo, de 47 anos, que, segundo informações obtidas pelo aQui, seria o chefe do tráfico de drogas na região da Vila Brasília. Teria sido morto por estar tentando comandar o tráfico no bairro Santa Cruz. O crime teve características de execução. Segundo relato de testemunhas obtido pela Polícia Militar, Naldo estava em um carro de aplicativo, no banco do carona, quando na esquina entre as ruas 4 e 5, no Conforto, o automóvel foi bloqueado por um Gol prata, e um homem encapuzado, ainda não identificado, saiu do carro atirando em direção a Naldo. O motorista do veículo de aplicativo também foi atingido por um tiro no antebraço, mas conseguiu sair correndo do local. Nesse momento, um segundo homem, também não identificado, se aproximou e disparou mais tiros em direção a Naldo, que teria sido atingido por 22 disparos de pistola 9 mm, tendo morrido na hora. Quanto ao motorista, ele foi socorrido pelo Samu, e foi levado ao Hospital São João Batista. Depois de ouvido pela polícia, foi liberado.
A PM recolheu no local do crime 34 cápsulas deflagradas de pistola 9 mm e R$ 500 em espécie, que estavam com Naldo. Imagens de câmeras de segurança do posto de gasolina, localizado nas imediações, rapidamente tomaram as redes sociais. Sabe-se que, segundo a Polícia Militar, Naldo chegou a ser encaminhado à 93a Delegacia de Polícia no dia 18 de agosto em uma ocorrência ligada ao tráfico de drogas. Na época, ele teria sido flagrado com material para embalar drogas e dinheiro em espécie. Depois de ouvido e autuado por associação ao tráfico, Naldo foi liberado pelas autoridades policiais.
No mesmo dia do assassinato de Naldo, a Polícia Civil deteve a companheira dele, Marina de Fátima Gomes Sarigi, 33, que tinha um mandado de prisão por tráfico de drogas, expedido pelo juiz da 2a Vara Criminal de Volta Redonda. Ela foi condenada a 9 anos e seis meses de prisão.
Mais mortes
O assassinato de Naldo no Conforto não foi o único homicídio em Volta Redonda durante a semana. Na quarta, 1o, a Polícia Militar informou que encontrou os corpos de dois jovens – identificados como Jean Guilherme Oliveira Moraes, 24, e Éder Lúcio dos Reis Silva, 25 – em uma casa abandonada no Açude II. Os dois teriam sido mortos a tiros. A casa onde eles foram mortos seria de Luis Carlos Silva Gonçalves, o Luisinho, que foi morto no mês passado, em um ponto de ônibus, também no bairro. Nenhuma arma ou outro material foi encontrado junto às vítimas.
Em outra ocorrência, também na fatídica quarta-feira, PMs trocaram tiros com dois homens que foram abordados em cima do Elevado Castelo Branco, na Ponte Alta. Os suspeitos, que estavam em uma moto, reagiram a tiros ao pedido dos policiais para que parassem a moto. Os agentes revidaram aos tiros, e um dos suspeitos pulou de cima do elevado, caindo na cobertura de um posto de combustíveis. Ele foi preso e encaminhado ao Hospital São João Batista para atendimento, embora não apresentasse ferimentos graves.
Com o suspeito detido, a PM encontrou uma pistola calibre 9 mm, com numeração raspada e kit rajada; um carregador de pistola 9 mm; oito munições 9 mm; duas munições calibre 38; duas munições calibre 357; um capacete; uma touca ninja; e um aparelho celular.

Ônibus elétrico atropela e mata idosa no Aterrado

Outro acontecimento triste marcou a tarde de quarta, 1, em Volta Redonda. Darcília da Silva Rodrigues, 77, foi atropelada pelo ônibus elétrico do Tarifa Zero, na Avenida Paulo de Frontin, no Aterrado. No acidente, a idosa sofreu o amputamento traumático de uma perna e esmagamento da bacia. Ela foi encaminhada ao Hospital São João Batista, onde passou por uma cirurgia, mas não resistiu e morreu. A motorista do ônibus elétrico entrou em estado de choque com o atropelamento, e também teve que receber atendimento médico.
No local existe um semáforo e uma faixa de pedestres, mas ainda não há informações se o sinal estava aberto para os pedestres ou para os veículos. A prefeitura de Volta Redonda divulgou uma nota de pesar e afirmou que está investigando o acidente.

Deixe uma resposta