Simples estratégias

Por Roberto Marinho

DSC_0087

A bomba que o aQui havia anunciado na edição passada finalmente estourou no meio político de Volta Redonda. Na quinta, 12, em uma entrevista coletiva na pomposa sala de reuniões da CDL-VR, que recentemente o criticou por conta de criar mais um feriado municipal, o de Santo Antônio, acabando com o de Finados, o prefeito Samuca Silva (Podemos) anunciou a desistência da candidatura de dois dos seus mais importantes colaboradores: o vice-prefeito e ex-secretário de Ação Comunitária, Maycon Abrantes, e o assessor especial Fernando Garcia, o Samuquinha. Os dois são filiados ao Solidariedade, e eram candidatos, respectivamente, a deputado federal e deputado estadual.

 

A razão alegada por Samuca para a retirada da candidatura dos nomes mais fortes do seu grupo político é que ele próprio não poderia participar intensamente da campanha eleitoral, para não prejudicar a administração municipal. “Nós precisamos pensar nas pessoas, precisamos pensar em Volta Redonda. E achamos que nesse momento difícil, de crise generalizada, que tanto o Maycon  quanto o Samuquinha podem e devem contribuir muito aqui com Volta Redonda”, justificou Samuca, que completou: “Em uma campanha, como todos sabem, há uma dedicação imensa do prefeito, e eu tenho um compromisso enorme com as pessoas, com a cidade. Colocar o prefeito 24 horas pensando em campanha poderia prejudicar a administração da cidade. Nossa prioridade é Volta Redonda”, disparou.

 

Sobre a possibilidade de vir apoiar outros nomes, como Baltazar, Zoinho e Márcia Cury, entre outros, Samuca disse que no momento ainda não há nada definido. “Estamos avaliando”, ponderou, aproveitando para indiretamente dar uma alfinetada no grupo do ex-prefeito Neto, classificando como “projeto de poder” a candidatura do irmão de Neto, o ex-secretário de Ação Comunitária, Munir Francisco.

 

“O governo não terá os dois (Maycon e Samuquinha) como candidatos. O que não quer dizer que o governo não irá apoiar alguém; vamos apoiar quem ama Volta Redonda, e quem efetivamente não pense em um projeto de poder e sim em um projeto de pessoas para a nossa cidade, para a nossa região”, afirmou Samuca, que emendou: “Obviamente que vamos escolher no momento oportuno essas pessoas que amam Volta Redonda”, disse, de forma irônica.

 

Ao longo da entrevista, Samuca chegou a citar o nome do ex-deputado federal Zoinho – “Pesquisem e vejam quem foi o deputado federal que mais trouxe recursos para Volta Redonda, vocês vão descobrir quem é o Zoinho”, disse, mas em seguida foi enfático ao dizer que não eram declarações de apoio: “De forma alguma isso é apoio, não mesmo”, disparou.

 

O prefeito também afirmou que não sabe quando e onde Maycon e Samuquinha retornarão ao governo. “Já conversamos sobre isso, mas os dois não retornarão imediatamente, porque existem outras possibilidades, isso é uma discussão interna. Depois da semana do aniversário da cidade (terça, 17), vamos avaliar qual será o próximo passo”, disse. 

Desempenho nas urnas

Samuca também refutou a ideia – que corre nos bastidores da política local – de que o fraco desempenho de Maycon e Samuquinha nas pesquisas de intenção de voto tenha sido o motivo da renúncia dos dois, já que uma derrota nas urnas enfraqueceria o seu grupo político. “Em uma eleição se ganha e se perde. É lógico que perdendo se fragiliza (o grupo político, grifo nosso). Mas pode ter certeza que com a força do Samuca, com a aprovação que temos nas ruas, teríamos a chance da vitória”, avaliou o prefeito, afirmando ainda que as coligações são um fator chave para uma eleição. “Posso garantir que o fato decisivo foi essa dedicação que precisaríamos ter, e o prefeito precisa efetivamente se dedicar ao município”, pontuou.

 

Samuca revelou ainda que no período entre julho e agosto a receita do município cai bastante, e por isso seria fundamental uma dedicação exclusiva dos dois ex-candidatos ao governo. “Eu não estou parando em Volta Redonda. Preciso correr atrás de possibilidades de projetos para a cidade”, argumentou.

 

Ainda na avaliação de Samuca, a retirada dos nomes de Maycon e Samuquinha não abre espaço para outros grupos políticos. “O espaço seria maior se não conseguíssemos eleger os dois, com certeza”, apontou, afirmando que “a única certeza” é que nenhum candidato do grupo político do ex-prefeito Neto terá o apoio de membros do governo Samuca.

Por último, Samuca garantiu que a prioridade do Podemos (a sua) é a candidatura do senador Álvaro Dias à presidência da República, que estará em Volta Redonda a partir de segunda, 16. Ele, entretanto, lembra que o Solidariedade (partido de Maycon e Samuquinha) chegou a filiar vários possíveis candidatos. “Não (foi) à toa. Estratégia é tudo”, arrematou Samuca. Ele está certo.

Deixe uma resposta