Sem privilégios

Procurado para falar a respeito do chamamento público, o prefeito Samuca Silva lembrou que, mesmo que nenhum empresário apareça para assumir as linhas da Sul Fluminense, ele poderá contratar uma empresa diretamente, sem privilégios.

aQui: O que o senhor fará no dia 7 de dezembro caso não apareça nenhuma empresa interessada nas linhas da Sul Fluminense?
Samuca:
O contrato emergencial pode ser feito com a escolha direta de uma empresa. Fizemos um chamamento para garantir a competitividade, sem qualquer privilégio. A solução definitiva é a licitação. O contrato emergencial é uma medida para dar resposta imediata à população. Assim, se eventualmente não aparecer nenhuma empresa, vamos contratar uma diretamente.

aQui: Se uma empresa aparecer e conseguir o serviço, isso significará, praticamente, a morte da Sul Fluminense, que só terá as linhas intermunicipais para se manter. O que diz a respeito?
Samuca:
Não respondo pela empresa. Toda oportunidade a ela foi dada em 24 meses e nada mudou. Tá na hora da população ter um transporte de qualidade.

aQui: No edital do chamamento, por que não incluíram nenhuma cláusula sobre aproveitamento dos funcionários da Sul Fluminense?
Samuca:
A nova licitação (que está pendente no TCE, grifo nosso) faz esta previsão. Este contrato emergencial oferecerá uma serviço adicional à população com base no meu decreto de caducidade. Estamos permitindo a sobreposição temporária nas linhas da Sul Fluminense.

Deixe uma resposta