Recado dado

Neto diz que as urnas refletem a opinião pública e lamenta encontrar uma cidade destruída, sem saúde

Roberto Marinho

Eleito, no primeiro turno, para o seu quinto mandato à frente do Palácio 17 de Julho com a expressiva votação de 84 mil votos – 57% dos votos válidos -, Antônio Francisco Neto se prepara para enfrentar enormes desafios. O primeiro será vencer na Justiça Eleitoral um processo que pede a cassação da sua candidatura. “Estamos lutando para validar a escolha de 57% dos eleitores da cidade”, argumenta. Depois, se tomar posse, terá que enfrentar uma pandemia e uma crise econômica, que ameaça, inclusive, o pagamento de funcionários e fornecedores. Crítico em relação ao atual prefeito, Samuca Silva (PSC) – “Arrasaram com a cidade” -, Neto disse que terá que contar com “a união de todos” e ainda modernizar a gestão para tirar a cidade do aço do lugar em que está.
Confira abaixo a entrevista exclusiva de Neto para o aQui.

aQui: O senhor teve uma votação muito expressiva – maior que em 2012 (84.082 votos), e próxima da de 2008 (91.129 votos). O que o senhor pode dizer sobre isso? Acha que a Justiça Eleitoral levará essa votação em consideração ao julgar a sua candidatura?
Neto: As urnas refletem a opinião pública, são sempre a melhor pesquisa, para o bem e para o mal. Ficamos muito felizes com o resultado expressivo, mas principalmente pela recepção que eu e o Faria (Engenheiro Sebastião, vice-prefeito eleito) tivemos em todos os bairros. Foi uma vitória ampla, contra 13 adversários. O segundo colocado teve 18 mil votos e o terceiro, mesmo com a máquina, 13 mil. Acredito que a população mandou seu recado, o recado que vale. O resto é opinião individual de quem se acha analista político.

aQui: O que o senhor achou da composição da Câmara para 2021?
Neto: Acredito que teremos uma relação pautada pelo bem da cidade. Todos os vereadores andaram nas ruas, foram nos bairros e escutaram a população. A cidade está arrasada e só com a união de forças vamos reerguer Volta Redonda. E nesse ponto, digo unir todas as forças que realmente queriam o bem de nossa cidade. Empresário, comerciantes, estudantes, Melhor Idade, taxistas, donas de casa… todos serão importantes.

aQui: O que o senhor achou do fato de nenhuma mulher ter sido eleita para a Câmara?
Neto: Lamentamos muito, pois em nossos governos sempre buscamos privilegiar as mulheres e inseri-las em todos os debates e decisões. Nossas equipes sempre contaram com mulheres valorosas e já anunciei ao menos uma: a Tetê vai para a Educação. E aqui cabe uma ressalva para as eleições: havia muitas mulheres competentes e aptas a exercer um mandato na Câmara.

aQui: Quais serão as novidades na sua equipe? Terá alguém de fora?
Neto: Estamos estudando e anunciando os nomes, até mesmo para que a equipe se apronte, busque informações e planeje o trabalho.

aQui: O senhor teme que, mantendo nomes da sua antiga equipe, possa ser taxado de conservador?
Neto: Vamos ter de modernizar a gestão, atualizar as ideias. Esse é o foco.

aQui: O senhor já chegou a falar com o atual prefeito sobre a transição?
Neto: Não. Facilitamos muito esse processo na última eleição, mas é um direito dele ter essa mesma postura ou não. A nossa prioridade sempre foi Volta Redonda.

aQui: O que mudou do Neto que terminou o governo em 2016 para o Neto que assume a cadeira em 2021?
Neto: O que não mudou eu posso falar com toda certeza: o amor por Volta Redonda e a vontade de trabalhar. Mas, sem dúvidas, nestes quatro anos eu aprendi muita coisa. Bobo é quem acha que sabe tudo e fala demais.

aQui: Mesmo que a Justiça o absolva, o senhor acha que a disputa jurídica em torno da sua candidatura poderá atrapalhar seu governo?
Neto: Nós não fizemos nada de errado, não há qualquer indício mínimo de desvios de recursos ou algo do gênero. Então, estamos lutando para validar a escolha de 57% dos eleitores da cidade. Confiamos na Justiça para que tudo se resolva logo e que possamos começar a trabalhar o quanto antes.

aQui: Diante da crise generalizada – com pandemia, corte de verbas -, quais serão suas primeiras medidas ao assumir?
Neto: Nós temos de olhar com muita urgência para os bairros, que estão muito mal cuidados. Além disso, temos de ver a saúde. Essas duas situações são emergenciais. Sem dúvida, ver o salário do funcionalismo para tentar acabar com atrasos e parcelamentos.
A gente vê isso tudo acontecendo e mesmo com toda a experiência fica assustado. Arrasaram com a cidade.

aQui: Que mensagem o senhor deixaria para a população de Volta Redonda?
Neto: Eu e Faria fizemos uma única promessa e vamos cumprir: jamais vamos decepcionar vocês.

Deixe uma resposta