Racha verde

fb_img_1480972102492

Primeiro PSDB, depois PTN, e a glória no PV. Assim é, até o momento, a trajetória político-partidária de Samuca Silva, o prefeito eleito de Volta Redonda. Foi pelo Partido Verde, histórica legenda criada para lutar pelo meio ambiente, que Samuca conseguiu quase 90 mil votos, derrotando caciques da política local. Até aí, só festa na cúpula do PV. O problema é que, ao montar seu secretariado, até prova em contrário, Samuca ignorou a Executiva do partido, que tem à frente Nena Duppré.

 

Prova disso é que o partido, em sua página oficial no Facebook, postou uma imagem onde garante que sua Executiva não participou das conversas sobre a equipe de Samuca. “Um viva ao novo governo que se apresentou. Que tenham êxito na administração da cidade”, diz o texto. “Esclarecemos que nós, da Executiva do PV/VR não participamos da formação do secretariado do Governo Samuca Silva. Entretanto parabenizamos e desejamos sucesso a todos os filiados do PV que vão participar do próximo governo”, escreveram na nota.

 

A imagem (ver ao lado) foi postada no Facebook na manhã de segunda, 8. Mas, horas depois, foi deletada. O motivo não foi explicado. Mas no pouco tempo em que ficou nas redes sociais, a postagem da Executiva do PV foi compartilhada por vários internautas, inclusive  pessoas importantes da legenda. É o caso de Julia Duppré, jornalista que foi coordenadora política da legenda no Sul Fluminense.

 

Outra filiada que também compartilhou a imagem foi a arquiteta Aída Cardoso, do movimento Massa Crítica, que foi candidata a vereadora pelo PV. Em seu perfil oficial, Aída endossou o teor da nota. “Exatamente isto! As escolhas não foram influenciadas ou sugeridas pela executiva do Partido…que defende a Política Pública do Partido Verde. Entrou (sic) 3 filiados do partido no alto escalão, mas a Executiva NÃO PARTICIPOU de diálogo NENHUM”, comentou ela em seu perfil.

 

O aQui chegou a procurar o prefeito eleito Samuca Silva para que pudesse comentar e esclarecer o quiproquó. Mas ele, até o fechamento da edição, não deu nenhum retorno. Julia Duppré também foi procurada e, assim como Samuca, não respondeu as perguntas do jornal. Detalhe: Samuca terá três secretários que são do PV: Maycon Abrantes, o vice-prefeito, que vai assumir a Smac; Dayse Penna, na secretaria de Política Pública para Mulheres; e Alfredo Peixoto, na secretaria do Meio Ambiente.

Nas redes

No Facebook, como não poderia deixar de ser, a nota da Executiva do PV repercutiu. Na página do coordenador da Rede, Adelson Vidal, que compartilhou a informação em seu Facebook, o tema, digamos, ‘bombou’. O presidente do PTC, advogado Daniel Renna, analisou a situação da seguinte forma: “Ficou fácil de analisar, o PV em VR foi barriga de aluguel para o Samuca, porém, alguns dos integrantes do partido acreditavam que estariam presentes na gestão, o que não ocorreu”, disparou.

 

A postagem chamou a atenção de uma das principais lideranças dos verdes na cidade – assessor de confiança de Sa-muca -, Marcos Vinicius Convençal, o popular Marcão do PV. Segundo ele, a nota postada na página do PV não era verdadeira. E disse que ele, com mais de 20 anos de partido e Maycon Abrantes, com nove anos de filiado, participaram do debate. Sobre a postagem, disse que o tema ainda seria discutido. “Ainda não sei o que de fato aconteceu, mas será esclarecido em reunião da executiva”, disse. “E pra finalizar temos em nossos quadros partidários pessoas técnicas e qualificadas, temos 4 secretários e dois presidentes de fundações filiados ao partido”, acrescentou.

 

Um dos momentos mais marcantes do debate entre os internautas, entretanto, se deu na discussão entre o ex-vice-prefeito de Volta Redonda, Nelsinho Gonçalves, e Marcão. Nelsinho insinuou que recebeu uma mensagem da equipe de Samuca oferecendo cargos no governo verde. “É Marcão eu nunca mandei WhatsApp p (sic) ninguém oferecendo espaço em governo não!!!”, disse, sendo respondido pelo verde. “Perdeu uma oportunidade…”, respondeu Marcão. “Prefiro perder com minhas convicções do q ganhar com um projeto destinado ao fracasso”, retrucou Nelsinho. “Tá certo, parabéns”, completou Marcão. Pra quem sabe ler…

Deixe uma resposta