Polivalente

ETPC_cor

Apostar na formação técnica junto com o ensino médio é o diferencial de algumas instituições, que encontram no método os instrumentos necessários para um ensino de qualidade. Um dos principais benefícios que os alunos apontam é o conhecimento na prática, por meio de vivências em laboratórios, visitas a universidades e empresas. Desse modo, os alunos saem com mais bagagem e maturidade para encarar o vestibular e os desafios que o ensino superior exige.

 

A ETPC – Escola Técnica Pandiá Calógeras, que antigamente era reconhecida por formar mão de obra para a CSN e outras empresas da região, atualmente proporciona uma formação ampla ao oferecer o ensino médio com curso técnico em diversas áreas e com excelentes resultados. Em 2017, a escola teve 133 alunos aprovados em vestibulares, 71 aprovações em universidades públicas e 23 alunos entre os 10 primeiros colocados. E para quem ainda acha que a ETPC forma apenas engenheiros, as aprovações vão de medicina a design, passando por direito, letras e geologia.

 

O conhecimento prático é uma das características principais da instituição. Durante as aulas, os alunos frequentam os mais de dez laboratórios da escola, têm a oportunidade de fazer estágio em empresas, visitam universidades, centros de pesquisas e desenvolvem projetos científicos. Atividades pouco comuns no ensino médio tradicional e o que atrai alunos e pais interessados em uma formação mais ampla, que prepara o aluno para suas escolhas.

 

Foi o caso do ex-aluno Pedro Miller, que concluiu os estudos na ETPC em 2016 e passou no vestibular de quatro faculdades: UniFOA (Volta Redonda); Inatel com bolsa de 100%, em Santa Rita do Sapucaí (MG); Unicef, em Itajubá (MG); e Unesp em São Paulo. “A ETPC foi muito importante nessa trajetória, pois a qualidade do ensino aliada ao curso técnico me deram mais chances de alcançar meus objetivos”, afirmou o estudante.

 

Além da formação mais completa, o curso técnico tem a vantagem de apoiar  os estudantes na escolha profissional, já que oferece a oportunidade de entrar em contato direto com o mundo do trabalho ainda no ensino médio. O que faz toda a diferença na hora de prestar vestibular e escolher uma carreira. “Foi através do curso técnico em eletrônica que eu conheci a área que estou. Foi esse contato que me influenciou e ajudou a escolher a graduação que curso hoje”, afirmou o ex-aluno, que atualmente está no 2º ano de Engenharia Eletrônica na Unifei em Itajubá (MG).

 

Para o professor Joaquim Lopes Pereira, coordenador dos cursos de Eletromecânica e Mecânica da ETPC, aliar as duas formas de ensino, com qualidade, é o que faz a escola ser destaque na região. “Observo que nossos alunos chegam à faculdade mais maduros, preparados e desenvoltos.  Além disso, ingressam no mercado de trabalho com mais facilidade. Isso porque aliar o ensino médio ao curso técnico favorece a compreensão dos conteúdos iniciais da graduação”. 

 

Sair na frente na universidade é um diferencial ainda pouco lembrado na hora de escolher estudar em uma escola técnica. Para Miller é um dos fatores que mais merecem destaque “Mesmo estando no início do curso já aplico diversos conhecimentos que eu obtive na ETPC, tanto de disciplinas, como prática em fazer relatórios e desenvolvimento de projetos, o que me dá uma vantagem em relação ao outros alunos nesse  começo da universidade”.

Deixe uma resposta