Política & Cia

Por Mateus Gusmão

Hora de reavaliar

Daqui a exatos 14 dias, o ainda verde Samuca Silva vai completar seis meses como prefeito de Volta Redonda. Ou seja, já teve tempo suficiente para descobrir, entre seus auxiliares, quem é bom ou não de serviço. E, se cumprir o que prometeu, está na hora de tirar aqueles que não estejam correspondendo às suas expectativas. Um deles, garante uma fonte, deverá ser Leonardo Vidal, diretor-presidente do Saae-VR, que anda acumulando críticas torneiras abaixo.

Na Câmara, por exemplo, a maioria dos vereadores quer a cabeça de Vidal. Alguns entendem que o desgaste de Samuca, no início do ano, com a falta de água, poderia ter sido evitado. Tem mais. Para os parlamentares, Samuca tem boas ideias e disposição. Mas estaria dando ouvidos a quem não entende de política. “Ele precisa mudar a equipe e alguns assessores. E que não se assuste, pois é normal um prefeito fazer mudanças no início de mandato”, destacou um deles. É. Faz sentido!

 

Novidade
O presidente da Câmara, Sidney Dinho (PEN), vai ao Rio de Janeiro em busca de parcerias para a criação da TV Câmara.

Oposição
O Palácio 17 de Julho trabalha com a possibilidade de ter o vereador Carlinhos Santana (SD) na oposição a Samuca até o ano de 2020. “Ele gostou de ser do contra”, justifica um dos colaboradores de Samuca. Tem mais. Ele acredita que Carlinhos pode estar pavimentando uma candidatura a prefeito, com apoio do deputado estadual Edson Albertassi.

Estratégia
A aproximação do prefeito Samuca com o vereador Neném (PSB), do grupo político do ex-prefeito Neto, tem motivo: Neném será presidente da Câmara em 2020 e Samuca não quer ter o presidente do Legislativo no último ano do seu mandato como um inimigo. Prefere tê-lo como amigo, desde já.

Troca
Dois vereadores do PMDB estão prestes a trocar de legenda. Estamos falando de Paulinho do Raio-X e Laydson. Detalhe: Laydson, dublê de pastor e político, já trabalha pensando em 2018.

IPTU Progressivo
Está na mesa do prefeito Samuca um projeto que tem tudo para gerar polêmica: o que regulamenta a cobrança do IPTU Progressivo na cidade do aço. Por ele, quem tem terreno vazio ou prédio abandonado terá que pagar a cada ano um valor maior de IPTU. Se em cinco anos a situação continuar a mesma, o Poder Público poderá desapropriá-lo.
O detalhe é que o projeto, apesar de fundamental para o desenvolvimento de Volta Redonda, deverá enfrentar resistência dos especuladores e latifundiários da cidade. Briga boa essa… Promete grandes emoções e quem não tiver coração forte poderá se candidatar a uma vaga no Portal da Saudade.

Deixe uma resposta