Pé no acelerador

IMG_0332

A indústria automobilística do Sul Fluminense, que há quase dois anos andou em ponto morto, finalmente pisou no acelerador. As empresas deste segmento estão contratando e podem ofertar até quase mil novos postos de trabalho. De um modo geral, o setor é um dos que mais crescem no país registrando – de janeiro a agosto – mais de 4 mil vagas abertas. Na região, a Nissan, a MAN e a Peugeot estão com processo seletivo para contratar, juntas, cerca de 400 trabalhadores. Só na MAN existem 300 vagas. O anúncio de empregos na fábrica de caminhões e ônibus de Resende foi feito na quinta, 14, durante o lançamento da nova linha de veículos desenvolvida no Centro de Engenharia da MAN.

 

A nova família de caminhões, batizada de Delivery, chega ao mercado com versões de 3,5 a 13 toneladas de capacidade de carga, usadas para a distribuição urbana de produtos. Para desenvolver a nova linha, a MAN vai contratar 300 operários e poderá abrir um novo turno de produção. Segundo a assessoria de imprensa da marca, dos 300 novos contratados, 200 atenderão a demanda das linhas de produção de caminhões e ônibus, enquanto os outros 100 irão para o recém-criado Customer Forum – um centro de atendimento para clientes das marcas MAN e Volks Caminhões e Ônibus.

 

Durante o lançamento da linha Delivery, o presidente e CEO da MAN, Roberto Cortes, disse que a fábrica de Resende, cuja jornada em um turno completo já demanda horas extras em três sábados por mês até dezembro, não terá férias coletivas este ano. A empresa também deu início a uma negociação com o Sindicato, para o pagamento de horas extras na unidade fabril. “Estamos confiantes de que as economias do Brasil e da América Latina continuarão a sua curva de retomada para os próximos meses e anos. Mantivemos nossos investimentos, que culminaram agora com o lançamento da nova família Delivery, nos levando a novos segmentos de mercado. E já iniciamos um novo ciclo de aportes, que somarão mais R$ 1,5 bilhão até 2021”, afirmou Roberto Cortes.

 

A decisão de aumentar o efetivo em quase 10% vem da constatação, pela direção da companhia, de que há um crescimento de vendas sustentável no mercado doméstico de caminhões desde o início do ano. “A média diária de vendas de caminhões estava em 150 em janeiro e hoje já chega a 280. Quando percebemos essa tendência de crescimento há alguns meses, decidimos: vamos contratar”, disse Cortes, que confessou que gostaria de contar com os operários na fábrica nos quatro sábados de cada mês. “Mas me pediram pelo menos um de folga”, contou, demonstrando pressa em acelerar a produção da nova linha Delivery. As novas contratações na MAN seguem até o final de outubro.

 

Outra que também está contratando é a Peugeot Citröen. A montadora francesa abriu 60 vagas para moradores de Porto Real, inclusive com vagas para portadores de deficiência. A seleção está prevista para acontecer na segunda, 18, no Horto Municipal. Segundo a empresa, as novas vagas são para operador de produção para ambos os sexos, com ensino médio completo e disponibilidade para trabalhar em regime de turno. O processo seletivo será realizado com o apoio e a parceria da prefeitura de Porto Real.

 

Em julho foi a vez da Nissan passar a operar em dois turnos, o que levou à contratação de 600 operários. Desde a inauguração, há três anos, a fábrica em Resende só havia funcionado com uma única turma. Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Silvio Campos, finalmente o setor automotivo está reagindo e sinalizando uma tímida melhora da economia brasileira. “Agora sim a gente pode falar em retomada do crescimento no setor automotivo”, comemorou Silvio. 

Deixe uma resposta