sexta-feira, fevereiro 23, 2024
CasaEditoriasEspecialParcerias de ocasião

Parcerias de ocasião

Candidatos ‘de fora’ firmam parceria com políticos do Sul Fluminense em busca de votos

Mateus Gusmão

No dia 2 de outubro, cerca de um milhão de eleitores do Sul Fluminense poderão ir às urnas para votar em políticos que sonham em chegar à Alerj, Câmara, Senado, a governador e presidente da República. Cada voto será disputado a tapa, no sentido figurado, é claro. Motivo: o excesso de candidatos a deputado estadual e federal. É que se não bastassem os mais de 30 pré-candidatos de origem regional, diversos políticos ‘de fora’ – os chamados forasteiros – começaram a fincar bandeiras pela região e a formar dobradinhas com candidatos e cabos eleitorais em Volta Redonda e Barra Mansa, entre outras cidades.
Nas eleições de 2018, as dobradinhas até que funcionaram. Pelo que o aQui apurou, dos 20 candidatos mais votados em Volta Redonda para a Câmara Federal, 11 não eram da região. Tem mais. Nove dos 11 foram eleitos. Isso prova que a estratégia dos ‘forasteiros’ de buscar votos fora dos seus redutos eleitorais de origem – mesmo que não muitos – pode ajudar. E nas eleições de 2022, é claro, a jogada vai se repetir.
Quem já conseguiu uma parceria em Volta Redonda e Barra Mansa é a jovem Dani Cunha (UB), pré-candidata a deputada federal. Ela, que é filha do ex-deputado Eduardo Cunha, firmou ‘dobradinha’ com o vereador Betinho Albertassi (UB), que será candidato à Alerj. Os dois têm rodado o Sul Fluminense realizando reuniões com políticos aliados e, principalmente, com lideranças evangélicas. Dani conta, por exemplo, com apoio dos vereadores Hálison Vitorino (PP de Volta Redonda) e Deco (PSC de Barra Mansa).
Outro vereador que não esconde estar aliado a um político ‘de fora’ é Renan Cury (SD), que deve sair candidato à Alerj. O comunicador, o mais votado para vereador nas últimas eleições, está apoiando o nome do doutor Luizinho (PP), que buscará sua reeleição para a Câmara. Na terça, 21, Renan se encontrou com o parlamentar. “Agenda no Rio de Janeiro com o deputado federal Doutor Luizinho, enviando mais R$ 1 milhão para a saúde de Volta Redonda”, registrou Renan em suas redes sociais. Na eleição passada, o candidato de Renan obteve 1.755 votos na cidade do aço.
O vereador Rodrigo Furtado (PSC) também não esconde de ninguém que vai apoiar um candidato ‘de fora’. Na segunda, 20, fez as honras da Casa para o deputado federal Vinicius Farah (PSD), pré-candidato à reeleição e que foi secretário de Desenvolvimento Econômico do governo Cláudio Castro, com direito a reunião na sede da Aciap-VR. Durante o dia, os dois visitaram alguns empresários, como Mauro Campos, o Maurinho. Chegaram a almoçar com os funcionários de Maurinho em um canteiro de obras. Farah, aliás, obteve 810 votos de volta-redondenses no pleito passado.
Já o deputado federal Chiquinho Brazão (UB) adotou estratégia diferente. Estaria apoiando candidatos que vão concorrer, assim como ele, à Câmara Federal. O objetivo é simples: fazer com que ajudem a conquistar votos para o União Brasil e contribuir para que a legenda possa eleger mais deputados. De 10 a 12, calcula, segundo informações obtidas pelo aQui. “Ele (Brazão) está ajudando a lançar o nome do vereador Neném, do ex-prefeito Samuca Silva, do empresário Geraldinho do Gelo e do ex-prefeito e ex-deputado federal Paulo Baltazar à Câmara pelo União Brasil”, disse uma fonte do aQui, ressaltando que Brazão tem um forte aliado na cidade do aço: Luciomar Branco, chefe do posto do Detran no Sul Fluminense (ver foto).
O vereador Jari (PSB), que será candidato à reeleição na Alerj, estaria patrocinando as candidaturas do ex-prefeito de Pinheiral, José Arimathéa, e do jovem Raone Ferreira, à Câmara Federal. Ambos moram em Volta Redonda, mas Jari estaria disposto a ceder espaço, e votos, para um político ‘forasteiro’. Trata-se de Waldeck Carneiro, hoje deputado estadual, que é pré-candidato a federal. Os dois, inclusive, desenvolvem agendas juntos por cidades da região.
Quem também vai investir no Sul Fluminense – e pesado – é Daniela do Waguinho (UB), pré-candidata à reeleição pelo União Brasil. Disposta a permanecer em Brasília, Daniela conta com a ajuda do poderoso marido, o atual prefeito de Belford Roxo e que é presidente estadual do UB, Waguinho Carneiro. Na cidade do aço, ela conta com apoio do ex-vereador Washington Granato, atual superintendente do Inea na região. Em 2018, Granato conquistou 1.099 votos para Daniela só em Volta Redonda. Pretende, confessa, dobrar a votação de Daniela contando com a ajuda de políticos de peso, como Mauricio Batista, que é pré-candidato à Alerj.
O velho e manjado deputado federal Júlio Lopes (PP) é outro que vai reaparecer no Sul Fluminense todo serelepe à busca de votos. Ele conta, para variar, com a ajuda do ex-vereador Maurício Pessoa. Detalhe: em 2018, o parlamentar, que dizem ser um dos donos de uma rádio na cidade do aço, obteve apenas 441 votos em Volta Redonda. Já o deputado Gutemberg Reis (MDB), de Duque de Caxias, que acaba de perder a indicação para o TCE, conta com apoio do vereador Vampirinho (Republicanos) para tentar dobrar o resultado de 2018, quando só obteve 189 votos.
Luiz Lima (UB), deputado federal pra lá de alinhado com o presidente Bolsonaro, é outro que espera aumentar a votação na região. No pleito passado, sendo boicotado pelo governo Samuca, obteve 882 votos. Agora o parlamentar se aproximou do prefeito Neto e, além disso, obteve apoio de diversos profissionais de educação física da cidade do aço por ter desenvolvido um projeto de escolinha de futebol pago pelo governo Federal no bairro Água Limpa, o que gerou empregos para vários profissionais.
Uma boa notícia para os candidatos ‘de fora’ é que três dos políticos mais votados em 2018 não serão candidatos à Câmara. Marcelo Freixo (PSB), que obteve 3.757 votos em Volta Redonda para deputado federal, será candidato ao governo do Estado. O deputado federal Alessandro Molon (PSB), que teve o apoio de 1.767 volta-redondenses, deve ser candidato ao Senado. E Flordelis, que teve 846 votos nas eleições passadas, não poderá ser candidata, já que está presa acusada de matar o próprio marido. Não é nada, não é nada, mas são cerca de cinco mil votos perdidos pelas ruas de Volta Redonda.

Voando alto
A manhã de quinta, 23, foi quente na região com a denúncia veiculada pelo Uol de que o governador Cláudio Castro, pré-candidato a reeleição, teria usado um helicóptero da frota do estado para prestigiar, na noite de 14 de junho, o lançamento da pré-candidatura de reeleição do deputado estadual Marcelo Cabeleireiro. Segundo o site, Castro teria voado de Nova Friburgo, na Região Serrana, até Barra Mansa, e teria dado a desculpa, por meio de sua assessoria de imprensa, de que teria usado o helicóptero por “recomendações e protocolos de segurança dos chefes de Estado” e “para desempenho de atividades próprias do serviço público”.
A desculpa foi rebatida pelo Uol ao mostrar que o compromisso em Barra Mansa não fazia parte da agenda oficial de Cláudio Castro. Tem mais. Que ao justificar o uso da aeronave, Castro teria articulado com Marcelo Cabeleireiro e Rodrigo Drable, prefeito de Barra Mansa, uma agenda-relâmpago, com a ida dos três políticos a um restaurante popular que está sendo reformado pelo estado em Barra Mansa sob o pretexto de vistoriar a obra. A ‘inspeção’, aliás, chegou a ser noticiada por vários jornais locais, incluindo o aQui.
Só que, segundo o Uol, baseando-se em suas fontes, Castro teria ficado poucos minutos inspecionando a obra do Restaurante Popular, “onde apenas posou para fotos com os aliados em um local vazio para, em seguida, ir para o evento político de Marcelo Cabeleireiro”, que foi realizado no Ilha Clube. A festa reuniu, como o aQui mostrou na edição passada, além de Cláudio Castro e Drable, os prefeitos de Volta Redonda, Rio Claro, Barra do Piraí, vários pré-candidatos e cerca de duas mil pessoas. Todas cantaram o ‘Parabéns pra você’, já que Marcelo Cabeleireiro estava completando 57 anos.
O prefeito Rodrigo Drable, procurado pelo aQui para comentar as afirmações do Uol, inicialmente disse, de forma irônica, que não esteve no helicóptero oficial usado por Cláudio Castro para ir para Barra Mansa. Quanto à visita às instalações do futuro Restaurante Popular, Drable preferiu enaltecer o empreendimento. “O restaurante do Povo será inaugurado em breve. Serão servidas milhares de refeições todos os dias. Sinto uma alegria imensa, é uma gratidão ao governador que não cabe no peito”, pontuou. Já o deputado estadual Marcelo Cabeleireiro preferiu não responder aos questionamentos do aQui.

 

 

Artigo anterior
Artigo seguinte
ARTIGOS RELACIONADOS

LEIA MAIS

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp