segunda-feira, fevereiro 26, 2024
CasaGERALNas redes

Nas redes

85% dos brasileiros já fizeram alguma compra on-line

O IAB Brasil, associação que tem como objetivo o desenvolvimento sustentável da publicidade digital no país, em parceria com a Offerwise, anunciou os resultados da pesquisa ‘Comportamento de compra on-line: hábitos de compra dos brasileiros na internet e sua relação com anúncios’. E vejam só: mostra que 85% dos brasileiros com acesso à internet já realizaram alguma compra on-line, o que prova como o uso da internet tem impulsionado o crescimento do comércio digital.
Entre os que ainda não aderiram às compras on-line, 32% não o fazem por não ter disponível nenhum método de pagamento, enquanto 31% não possuem interesse e outros 22% não confiam na internet para fazer transações. Já entre os usuários que fazem compras on-line, 64% adquiriram algum produto ou serviço há menos de um mês, evidenciando a consolidação desse hábito entre este público. “O estudo apresenta uma visão aprofundada do comportamento de compra dos brasileiros na internet, evidenciando não apenas o crescimento exponencial do comércio on-line, mas também as preferências dos consumidores e as oportunidades para marcas em um mercado cada vez mais digitalizado”, afirma Cris Camargo, CEO do IAB Brasil.
Outro dado importante apontado pela pesquisa é que 48% dos internautas afirmam fazer mais compras pela internet do que em lojas físicas, enquanto 28% compram tanto on-line quanto off-line. Em relação aos formatos, smartphones são os mais utilizados pelos internautas para comprar on-line: 89% utilizam o dispositivo móvel, enquanto 39% utilizam o notebook ou desktop.
Realizar pesquisas antes de finalizar uma compra é muito comum na jornada on-line, sendo que os sites ou apps das lojas de varejo e marketplaces são os mais utilizados para este fim. Neste sentido, 99% dos usuários afirmam pesquisar antes de efetuar uma compra, seja em sites de varejo, buscadores on- line, sites de avaliações de produtos, redes sociais etc.
“Pesquisar on-line antes de comprar é um comportamento já consolidado, e não há nenhum indício de que isso irá mudar – o que está relacionado a alguns fatores. Nos últimos anos, os consumidores têm à disposição diversas opções para as compras (como sites, aplicativos, lojas on-line), além de diferentes fontes de informações, marcas e produtos. Considerando o contexto econômico, os consumidores ainda estão apertando os cintos e preocupados em fazer o dinheiro valer mais. E, é claro, mais do que nunca, comprar on-line faz parte
do cotidiano desses usuários, que estão cada vez mais familiarizados com as ferramentas disponíveis”, comenta Júlio Calil, Account Director Brazil da Offerwise.
O estudo também indica que os anúncios on- line se mostram muito efetivos entre os consumidores: depois de vê-los, 56% pesquisam mais sobre os produtos para obter informações adicionais e 49% procuram por avaliações e opiniões de outros consumidores sobre o produto. Além disso, 82% afirmaram já ter adquirido um produto ou serviço após ter visto publicidade na internet.
Os fatores que mais chamam atenção nos anúncios são frete grátis (71%) e promoções (70%). No mesmo sentido, os que mais influenciam na decisão de compra dos consumidores são preço (85%) e frete (80%). Em relação aos produtos mais comprados on-line, vestuário e moda (57%), produtos eletrônicos (45%), produtos de beleza e cuidados pessoais (42%) e produtos para o lar (40%) são os mais populares entre os consumidores.
Por fim, o estudo
desenvolvido pelo IAB Brasil e Offerwise oferece insights de como o com- portamento de compra pode mudar de acordo com o gênero, faixa etária e classe social, com os consumidores das classes D e E e com idades entre 18 e 24 anos, sendo os que tendem a comprar mais em lojas físicas do que on-line, enquanto a classe A apresenta o comportamento de compra mais intenso de compras no ecossistema digital.
Sobre o IAB Brasil (Interactive Advertising Bureau – Brasil) – IAB Brasil é uma associação sem fins lucrativos e tem como objetivo promover o desenvolvimento sustentável da publicidade digital no país. Integra uma rede global presente em 45 países que incentiva a criação de boas práticas em planejamento, criação, compra, venda, veiculação e mensuração de ações publicitárias on- line. Em 2023, comemorou 25 anos de atuação no Brasil ao lado de mais de 200 associados, representantes das principais empresas do mercado digital: veículos de mídia, agências, anunciantes, empresas de tecnologia, institutos de pesquisa e consultorias.

Lares menores têm relação mais positiva entre renda e gasto
A média de moradores por domicílio no Brasil caiu de 3,31, em 2010, para 2,79, em 2022, de acordo com o último censo divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa diminuição nos lares impactou, consequentemente, o consumo de bens massivos. É o que aponta um novo estudo da Kantar, líder em dados, insights e consultoria.
Hoje, a maior renda per capita pertence aos lares de jovens independentes (9% da população), enquanto o bolso mais comprometido pertence aos casais com filhos adultos (6%). Isso significa que os lares menores (de uma a duas pessoas) apresentam relação mais positiva entre renda e gasto.
Entre 2014 e 2023, por exemplo, os lares menores aumentaram a média de categorias, pulando quatro categorias, enquanto os demais lares aumentaram apenas duas. Também intensificaram o gasto com marcas Mainstream (+5,5 p.p. em valor contra +4,8 p.p. na média da população) e ainda seguem sendo os maiores compradores de Premium (representaram 18,7% do gasto em 2023).
Por outro lado, esses consumidores abastecem menos. No último ano, eles colocaram menos itens no carrinho (15% a menos em média do que os demais lares). Ainda assim, a quantidade representa um tamanho estável na comparação entre 2022 e 2023.
Em relação aos canais, os lares menores alavancam as compras em estabelecimentos maiores, como Atacarejos (indo de 14,7% de importância em unidades em 2022 para 17,5% em 2023) e Supermercados Convencionais (de 20,5% para 21,3%). No período, ainda aumentaram a penetração três vezes em Atacarejos e seis vezes na Internet.
Vale destacar também que a transformação dos domicílios impacta o tamanho médio das embalagens. Ao olhar um produto específico, como o leite em pó, é possível notar que os lares de uma ou duas pessoas preferem embalagens menores (+5 p.p na representatividade, chegando a 40% de todo o volume comprado). Além disso, buscam formatos com menor custo-benefício, como sacos plásticos, em detrimento às latas.
Sobre a Kantar – A Kantar é a principal empresa global de dados e análises de mercado e uma parceira de marca indispensável para as principais empresas do mundo, incluindo 96 dos 100 maiores anunciantes do planeta.

ARTIGOS RELACIONADOS

7 dicas para sair do sufoco

Leite Humano

Alta Feliz

LEIA MAIS

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp