Mão única

Por Roberto Marinho

Os moradores da São Geraldo ficaram aliviados quando a Rodovia do Contorno, depois de 20 anos em obras, foi finalmente inaugurada no início do ano passado. Afinal, deixariam de conviver com milhares de caminhões que trafegavam há décadas pela rua principal do bairro, a Capitão Benedito Lopes Bragança. E, há algumas semanas, ficaram animados quando o Park Sul abriu suas portas ao público. É que, tendo o shopping como vizinho, poderiam dar um rolê bem pertinho de casa. Quem sabe a pé. Também ficaram esperançosos quando a prefeitura de Volta Redonda prometeu que melhoraria o trânsito em toda a região.

Mas nem tudo está dando certo. Saíram os caminhões, e rodovia e ruas passaram a ser usadas por motoristas de carros mal educados. Irresponsáveis, até. Além disso, alguns deles passaram a se exibir, transformando o trecho da BR-393 à rotatória do Portal da Saudade em uma ‘pista de corrida’, conforme reclamações enviadas ao e-mail do aQui. “O (trânsito) negócio melhorou com a Rodovia do Contorno, com a saída dos caminhões. Mas mesmo assim, sem quebra-molas, sem lombada eletrônica, sem faixa de pedestre, está dando medo de andar até na calçada. As pessoas apostam corrida de carro e moto, do shopping (Park Sul) até a Avenida Amaral Peixoto. Os veículos passam a 100 km por hora”, relatou uma moradora.

Outra foi além. Garantiu que não é só o racha dos motoristas irresponsáveis que preocupa os moradores dos bairros no entorno do shopping. Atividades corriqueiras, segundo ela, como tirar e entrar com o carro na garagem ou simplesmente atravessar a rua representam uma verdadeira aventura. “É impossível sair com o carro da garagem. Atravessar a rua – a qualquer hora do dia ou da noite – é um risco para crianças e adultos. E agora tudo aumentou com o novo shopping. Ou seja, estão investindo milhões, mas esqueceram de coisas básicas no caminho. Aí os moradores sofrem com a falta de educação dos motoristas e o descaso da prefeitura”, disse a aposentada Lúcia Ferreira de Castro, 63, que completou: “Para piorar, há cadeiras de bares e objetos de comerciantes na calçada ao longo de toda a rua (Capitão Benedito Lopes Bragança)”.

Problema antigo
O pedido dos moradores por melhorias de segurança da principal via do bairro não é novo. Vem desde o governo Neto, quando a Suser era comandada com mão de ferro por Paulo Barenco, que não aceitava sugestões. Nem ordens do ex-prefeito. “Já cobrei na época do Neto. Chamei a televisão, que fez reportagem com o Barenco. Um cara de pau, disse que pintaria a faixa de pedestre no outro dia. Nunca mais apareceu”, disse, indignada, D. Lúcia.

Há algum tempo atrás, os moradores chegaram a se reunir e divulgaram uma nota sobre o trânsito no bairro, mas nem isso sensibilizou as autoridades do governo anterior ao de Samuca. “De dia, trânsito caótico, buzina, falta de educação. De noite e de madrugada, veículos em disparada a 100 km/h e acidentes fatais”, diz um trecho da nota, que continua: “É necessária uma intervenção urgente da prefeitura na Rua Capitão Benedito Lopes Bragança, com instalação de semáforos, redutores de velocidade e faixas de pedestres. E eventual implantação de mão única”, sugerem.

Os moradores até apresentam sugestões ao prefeito Samuca Silva. “Tá na hora de você fazer o que o Neto não fez. Não perca essa oportunidade. Não podemos esperar mais!!”. Está dado o recado.

Providências
Ocupando a secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana, Mauricio Batista ficou responsável por resolver o caótico problema de trânsito deixado pelos seus antecessores – Barenco e Wellington. Inclusive foi obrigado a correr contra o tempo para mexer no entorno do Park Sul, com a criação, em menos de um mês, de uma saída temporária para o acesso ao shopping.

Em rápido contato com a reportagem, Mauricio diz estar ciente dos novos problemas na Rodovia dos Metalúrgicos e na Rua Capitão Benedito Lopes Bragança. “A pista (do shopping) ficou mesmo muito longa”, reconheceu. E para evitar que vire pista de corrida, o titular da pasta de Transportes anunciou que está estudando a implantação de faixas suspensas ao longo do trajeto. “A faixa suspensa na verdade é um quebra-molas mais longo com faixa de pedestres junto”, explicou.

Outra providência tomada para atender alguns moradores dos bairros Jardim Normândia e Village Santa Helena foi retomar o sinal de trânsito, implantado goela abaixo por Barenco, entre as ruas Capitão Benedito Lopes Bragança e Tuiuti. Apesar de ser muito pouco respeitado pelos motoristas, o sinal deveria voltar a funcionar na tarde de quarta, 14.

Mauricio Batista também decidiu criar uma nova faixa de pedestres bem em frente à Escola Municipal Domingos Maia. A faixa que existe na esquina continuará existindo para quem quiser correr o risco de ser atropelado por um motorista que entrar à direita na Tuiuti ou à esquerda na Capitão Lopes Bragança. Mas, os alunos poderão ir para a escola sem correr riscos se usarem a nova faixa (ver foto).

Deixe uma resposta