Casa Sindical Justiça pode decidir hoje quem manda no Sindicato dos Metalúrgicos

Justiça pode decidir hoje quem manda no Sindicato dos Metalúrgicos

0
62

Está marcada para as 14h30min de hoje, quinta, 16, a audiência de julgamento do mérito da ação que questiona a gestão do Sindicato dos Metalúrgicos. De um lado, Edimar Miguel, presidente em exercício, acusado por seus diretores de nepotismo e má gestão. Do outro, o G5 – grupo da executiva que comandou o Sindicato em março e início de abril, e que trava uma guerra com Edimar pelo poder. As duas partes vão se enfrentar diante do juiz do Trabalho, na sala de audiências da 3ª Vara do Trabalho, quando a Justiça poderá decidir os rumos do Sindicato.
A última audiência foi no dia 24 de abril, quando Edimar e o G5 ficaram diante do juiz Thiago Rabelo da Costa, que adiou para hoje a decisão da ação, dando um prazo para que as partes produzissem provas uma contra a outra. Além dos documentos que provam o nepotismo praticado por Edimar, que empregou a mulher e a filha no Sindicato (hoje elas já não estão mais lá), o G5 pretende apresentar ao juiz as planilhas financeiras da entidade – as mesmas que foram usadas pelo diretor financeiro, Alex Clemente, durante a prestação de contas na semana passada.
Em tutela antecipada (liminar), esse mesmo juiz já tinha reconhecido as mudanças feitas pelo G5 no final de fevereiro, quando Edimar foi afastado da presidência. Na época, o magistrado disse em sua decisão que as mudanças na composição da executiva do Sindicato – que tiraram Edimar da presidência, colocando Odair Mariano – foram legítimas e de acordo com as normas estatutárias. Com base nesta decisão, o G5 permaneceu no comando do Sindicato e negociou acordos importantes nas empresas da base, dentre eles, o ACT da CSN e o acordo extrajudicial com a empresa Racing – uma terceirizada da MAN de Resende, que entrou em recuperação judicial e quase deixou todos os seus 436 funcionários sem os direitos trabalhistas devidos.
Contas – Em relação à prestação de contas, Alex apresentou as planilhas financeiras do Sindicato no dia 9 de maio e mostrou que todos os saques realizados na conta bancária da entidade tinham o aval de Edimar. Em janeiro, Edimar chegou a acusar Alex de desviar cerca de R$ 670 mil das contas do Sindicato, em 142 saques diferentes, mas, na semana passada, os documentos apresentados mostraram que a maioria dos saques foi pedida pelo próprio Edimar para o pagamento de contas e salários dos trabalhadores do próprio Sindicato. Vale lembrar que as planilhas e extratos foram apresentados a contragosto do presidente, que chegou a cancelar a reunião da prestação de contas e não autorizou a divulgação dos dados.
O encontro, no entanto, aconteceu, e Alex conseguiu não apenas apresentar as contas durante reunião transmitida em tempo real pelo Instagram, como também a participação do contador do Sindicato, que checou todos os números e confirmou a lisura dos cálculos. Em áudio gravado posteriormente, o assessor jurídico de Edimar, Tarcísio Xavier, disse que a prestação de contas não valeu, porque não teria sido autorizada pelo presidente. Seja como for, hoje o juiz poderá dar uma decisão em relação a essa disputa pelo poder no Sindicato. O resultado é imprevisível.

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp