Grampos

24.07.18.Doação de Tapetes-Grupo Viver -SMF (3)_cor1

Tapetes (I) – A secretaria de Fazenda da prefeitura de Volta Redonda doou 32 tapetes (ver foto) ao grupo Vih-Ver para que eles possam ser vendidos em um bazar para arrecadar fundos para o grupo de assistência aos soropositivos. O Vih-Ver, que pode receber 14 internos, atualmente tem nove pacientes e o trabalho de assistência 24h é realizado por voluntários, que se revezam em turnos. 

 

Tapetes (II) – O subsecretário de Fazenda, Jorge Luis dos Santos, que acompanhou o coordenador do Departamento de Atividades Econômicas e Sociais da secretaria, Wagner Jardim Chaves, no momento da entrega, explicou o processo de doação de qualquer produto, como no caso dos tapetes. “A SMF não fica com os produtos sob custódia eternamente. Depois dos prazos e recursos legais, todos são doados a entidades beneficentes do município”, afirmou.

 

 

Escritório Central – Como em uma fraca novela mexicana, as negociações entre Benjamin Steinbruch e Samuca Silva sobre o Escritório Central da CSN, que tiveram mais um capítulo na quarta, 25, não deram em nada. O próximo já está marcado para agosto. Só não se sabe a gosto de quem… Aliás, eita novelinha chata, não concordam?    

 

Da série perguntar não ofende… – O que será que Márcio Lins, ex-diretor da CSN, atual presidente do IPPU-VR, tem dito ao prefeito Samuca Silva a respeito dos problemas relacionados à escória do Volta Grande e, em especial, ao pó preto que sai das chaminés da Usina Presidente Vargas? Há quem diga que como ex-diretor da fábrica da CSN, Lins sabe de tudo…

 

Greve (I) – Os trabalhadores da CSN Prada, em Resende, começaram a semana em estado de greve. A paralisação começou na segunda, 23, por conta do baixo valor da PPR oferecida pela empresa. Segundo informações do Sindicato, a CSN queria pagar apenas R$ 400,00, valor recusado pelos funcionários.  

 

Greve (II) – De acordo com o Sindicato, a CSN Prada tentou de várias maneiras desestabilizar o movimento grevista, inclusive parando os ônibus de transporte de funcionários no acostamento da Dutra para obrigar os trabalhadores a andar cerca de 5 km debaixo de sol. A solução encontrada pelo Sindicato foi fretar um ônibus para fazer o transporte dos operários.

 

Greve (III) – Vendo que a adesão da greve era de 100%, a CSN chamou o Sindicato para apresentar uma proposta para pôr fim à paralisação: PPR de R$ 766,53 para quem ganha até R$3,2 mil, e R$ 459,92 para quem ganha acima de R$ 3,2mil. E ainda um cartão-alimentação no valor de R$ 180,00, com participação de 5% dos trabalhadores e um crédito extra de R$ 120,00 em única parcela e sem o desconto dos funcionários.

 

Acordo coletivo – Os trabalhadores da UPV rejeitaram, com 4.040 votos, a proposta da CSN de reajuste salarial pelo INPC (1,5%). A votação foi na quarta, 25, na praça Juarez Antunes. O resultado foi o seguinte: 192 votaram a favor da CSN, 4040 contra a empresa. O sindicato apurou ainda 3 votos nulos e 7 em branco. A CSN já foi comunicada oficialmente do resultado.

 

Reajuste – As siderúrgicas brasileiras devem aumentar em 10% o preço do aço já  a partir da próxima semana.

 

Excelsior – A Transportadora Excelsior comemorou o Dia do Motorista, 25 de julho, com a formatura de 11 novos carreteiros que cursaram e se formaram na Escolinha de Motoristas Excelsior. A iniciativa existe há mais de 20 anos e estimula a formação profissional. Os 11 novos motoristas recém formados já foram contratados pela empresa.

 

Táxi – Moradores de um bairro de classe média de Volta Redonda estão assustados. Não é para menos. Em dois dias, uma casa foi invadida e uma moradora rendida à luz do sol. Detalhe: um táxi, da cor amarela, placa do Rio de Janeiro, foi visto circulando pelas ruas do bairro. Todo cuidado é pouco. 

Gol – Um dos moradores, inclusive, quase foi assaltado por dois rapazes que ocu-pavam um Gol branco, cuja placa não foi anotada.

 

BO – Um dos moradores assaltados teria tentado registrar o caso junto à PM de Volta Redonda, mas teve dificuldade. Segundo relato de uma testemunha, os PMs teriam dito que estavam muito atarefados. Que desculpa esfarrapada, não é mesmo?  

 

Iluminação – Temendo pelo pior, moradores decidiram procurar a secretaria de Serviços Públicos da prefeitura de Volta Redonda solicitando que a iluminação do bairro, precária à noite, fosse checada. E, melhorada, se fosse o caso. Toninho Orestes, titular da pasta, atendeu ao pedido dos moradores com extrema urgência. Nota 10.

 

Palestra Leila Navarro – que seria um dos cinco mais notáveis palestrantes brasileiros, sendo a única mulher no rol – estará em Volta Redonda na segunda, 30, e terça, 31, para participar de um ‘evento aberto ao público’.  Vai ensinar “Como virar o jogo na vida pessoal e profissional”. Embora aberta ao público, os ingressos custam a partir de R$ 60,00.

 

Irritado – O vereador Paulo Conrado anda meio que aborrecido com o Palácio 17 de Julho.

 

Vita (I) – Para muitos voltarredondenses, a entrevista exclusiva que Ruy Muniz, novo dono do Hospital Vita, concedeu ao aQui – edição 1107 – foi simplesmente desastrosa. Pior. O teria deixado ainda mais isolado junto ao meio médico da cidade do aço.  Em São Paulo foi pior, revela uma fonte.

 

Vita (II) – A entrevista ao aQui teria deixado Ruy Muniz bem mais distante de realizar ‘seu sonho’ de assumir a operação do Vita em Volta Redonda. “Ele simplesmente atacou todo mundo: Justiça, Ministério Público, Corpo Clínico do Hospital, Administrador do Hospital e CSN”, avalia a fonte, pedindo anonimato. “É sempre bom lembrar que ele comprou o Vita por R$ 1 sem consultar ninguém, inclusive a CSN, que movia um despejo contra o hospital, sendo assunto público e notório em Volta Redonda”, acrescentou, para logo concluir: “Com essa atitude (a entrevista ao aQui), Ruy Muniz atraiu ainda mais desconfiança sobre seu nome e passado. Na CSN, dificilmente ele voltará a ser recebido”, dispara.

 

Vita (III) – É bem possível que nos próximos dias os médicos que aderiram ao Hospital das Clínicas de Volta Redonda, criado para assumir o ex-Vita, sejam chamados para assinar o contrato social da empresa. E, de quebra, para participar de um evento social em comemoração à criação do HC.

 

Avante – O professor universitário Benevenuto Santos, presidente do diretório do Avante em Volta Redonda, é pré-candidato a deputado federal. Seu nome deve ser oficializado durante convenção da legenda, marcada para sexta, 3, em Rio Bonito.

O jovem é neto de Benevenuto dos Santos Neto, ex-prefeito de Volta Redonda, nomeado no período da ditadura militar para comandar o Palácio 17 de Julho.

 

Perdendo – Embora negue, o ex-prefeito Neto pode vir a perder seu cargo de assessor da secretaria Estadual de Fazenda. É que o Ministério Público insiste em pedir sua exoneração (ver página 9) por entender que ele está inelegível e não poderia atuar no serviço público por oito anos, já que teve duas contas rejeitadas pelo TCE e pela Câmara de Volta Redonda. Vale lembrar que Neto recebe R$ 12 mil mensais.

 

2020 – Deixando ou não o cargo que ocupa no governo Pezão, o pedido do MP demonstra que o ex-prefeito não terá vida fácil se tentar se candidatar novamente a prefeito em 2020, como prega. Neto diz que poderá ser candidato mesmo com as contas rejeitadas por não ter havido dolo no seu governo. Coisa que o MP não concorda..

 

Eleição – Por falar em inelegibilidade, o Tribunal de Contas da União (TCU) enviou à Justiça Eleitoral na quinta, 26, uma lista com 7,4 mil nomes de gestores públicos que estão inelegíveis. O motivo: todos tiveram suas contas rejeitadas.

 

MPF – O Ministério Público Federal recomendou à prefeitura de Angra dos Reis mais transparência nos critérios e seleção dos candidatos ao programa habitacional ‘Minha Casa, Minha Vida’. A recomendação do MPF foi feita com base em dois inquéritos civis públicos que apuram irregularidades na concessão de imóveis do programa na localidade da Banqueta, na Japuíba. Detalhe: Munir Francisco, irmão de Neto e pré-candidato a deputado estadual, era o responsável pelo projeto de Angra até pedir para deixar o cargo de secretário de Ação Social do governo Fernando Jordão.  

 

Gasolina – Os preços dos combustíveis em Volta Redonda começaram a cair após a alteração na lei que flexibiliza a instalação de novos postos de gasolina na cidade. O Procon-VR detectou uma queda de até R$ 0,20 em alguns postos. Outra boa notícia: a cidade do aço deve ganhar, em breve, mais três postos e uma distribuidora de combustível. Detalhe: uma vai se instalar na Rodovia do Contorno.

 

GNV – Pena que o Procon-VR não tenha checado o preço do GNV que é cobrado nos postos da cidade do aço. Tá de ‘arrancar o couro’.

 

Emprego (I) – O prefeito Samuca Silva esteve na segunda, 23, no Palácio Guanabara, para se reunir com o governador Pezão e com o deputado estadual Christino Áureo. Na pauta do encontro, o decreto que Pezão deverá assinar sobre a ‘convalidação dos incentivos fiscais’ às empresas que querem se instalar no estado. A convalidação vai gerar igualdade entre os municípios para atrair empresas, prevê.

 

Emprego (II) – Na conversa, Samuca informou a Pezão que algumas empresas estariam querendo se instalar na cidade do aço. “Criaram um mito de que Volta Redonda não tem terra. Isso é mentira. Temos parques industriais, áreas públicas e privadas. Estamos empenhados em atrair mais empresas e gerar emprego e renda”, disse. A expectativa do prefeito é que até o final do ano o município ofereça cerca de três mil empregos. Seiscentos serão criados para atender a empresa de call center que está deixando Piraí, terra de Pezão, para se instalar em Volta Redonda.

 

Efetivado – Enock Azevedo virou secretário de Planejamento, Transparência e Modernização da Gestão (Seplag) do governo Samuca. Ele já estava despachando na pasta como interino.

 

Pasta – A secretaria de Transportes está sendo comandada interinamente por Fabiano Andrade, secretário do gabinete de Estratégia Governamental (Gegov). Ele fica até o final das férias de Wellington Silva.

 

Quer ficar – Quando voltar das férias, Wellington Silva deverá dizer a Samuca se era ‘à vera’ o seu pedido de demissão para cuidar de assuntos particulares. É que ele estaria querendo permanecer no posto. O problema é que Samuca já ofereceu a pasta a um aliado. Ou seja, até prova em contrário, Wellington tem tudo para pegar, no Aterrado, o ônibus elétrico da prefeitura em direção ao Retiro, onde mora.

 

Fica – Maycon Abrantes, vice-prefeito de Volta Redonda, teria comunicado a Marcão, que o substituiu à frente da Smac, que não pretende voltar à secretaria da Ação Social. Essa é, sem dúvida, uma boa notícia. 

 

Estrangeiro – Por falar em Maycon, o vice-prefeito de Volta Redonda deve apoiar um nome de fora nas eleições para a Câmara. Mais precisamente o de Christino Áureo, deputado estadual e ex-candidato a prefeito de Macaé em 2012 (não se elegeu). Ele foi da equipe do ex-governador Sérgio Cabral e chegou a ser acusado de ter nomeado funcionários fantasmas quando comandava a secretaria estadual de Agricultura. Ele nega.

 

A conferir – Boatos dão conta que uma clínica médica localizada na Vila deve fechar suas portas na segunda, 30. Tá quebrando por não receber da secretaria de Saúde de Volta Redonda.   

 

Erramos – Diferente do que saiu publicado na matéria sobre o Hospital São João Batista (edição 1.107), não foi o prefeito Nelson dos Santos Gonçalves Francisco que quis desapropriar o hospital em 1971. Nem poderia, já que Nelson foi prefeito – em segundo mandato – de 1973 a 1977. O primeiro mandato dele foi entre 1960 e 1962.

Quem quis desapropriar o HSJB e gerou o comodato entre a UHG e a prefeitura que perdura até hoje foi Francisco Torres, que governou a cidade entre 1971 e 1972.

 

Unimed (I) – Como o aQui antecipou com exclusividade, a Unimed Volta Redonda comprou a Unimed Angra dos Reis. A aquisição foi aprovada por 93% dos médicos presentes à Assembleia Geral Extraordinária, realizada em 12 de julho. Entre os 7% que votaram pelo não, a maioria estaria temendo a falta de segurança na cidade da Costa Verde. “Angra dos Reis está à beira de um colapso, em todos os sentidos. Começa pela (falta de) segurança e termina em investimentos, pois todo mundo estaria quebran-do”, justificou um deles.

 

Unimed (II) – Coincidência ou não, nos últimos dias já se podia verificar um grande número de veículos, com placa de Angra dos Reis, circulando pela cidade do aço, especialmente na Vila, hoje dominada por clínicas e consultórios dos cooperados da Unimed. “São clientes da Unimed Angra dos Reis à procura de atendimentos”, acrescentou a fonte.

 

Unimed (III) – A expectativa, conforme nota enviada aos jornais pela assessoria de imprensa da Unimed VR, é que a cooperativa assuma a gestão do hospital de Angra dos Reis a partir de quarta, 1º de agosto. “Nosso maior compromisso é entregar a melhor experiência do cuidar aos nossos clientes, prezando sempre pela qualidade no atendimento, desenvolvimento das pessoas e segurança dos processos”, destacou o presidente da Unimed, Luiz Paulo Tostes, lembrando que a operação prevê a ampliação da área de ação da Unimed Volta Redonda. Com isso, a partir de 1º de agosto, a cooperativa poderá comercializar planos de saúde para Angra dos Reis, Paraty e Ilha Grande.

 

Unimed (IV) – Outra novidade anunciada pela assessoria de imprensa é a incorporação de mais de 10 mil clientes da Unimed Angra dos Reis. “A transferência da carteira seguirá os trâmites legais da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), órgão regulador do mercado de plano de saúde. Assim que concluído, todos os beneficiários serão comunicados por meio dos canais oficiais da Cooperativa e poderão ser atendidos na rede assistencial da cidade de Volta Redonda”.

 

Unimed (V) – Ou seja: vai continuar tendo muito carro de Angra pelas ruas da cidade do aço.

 

Esportes (I) –  O deputado federal Deley de Oliveira (PTB) conseguiu liberar duas emendas para reformar e revitalizar instalações esportivas em Volta Redonda. Parte dos recursos deverá ser aplicada nos campos de futebol do Aero Clube e no ginásio da Ilha São João. As emendas passam de R$ 1 milhão e foram incluídas por Deley ao Orçamento Geral da União. No caso dos campos, o valor da emenda é de R$ 545.199,52 e a primeira parcela, para iniciar as obras, será de R$ 272.599,76.

 

Esportes (II) – Para o ginásio da Ilha São João, a reforma terá R$ 505.753,95. A primeira parte já liberada é de R$ R$ 252.876,98.

 

Esportes (III) – Deley agora passará a correr atrás de outra verba – de R$ 1 milhão – para construção de dois campos de futebol society na São Geraldo e na Água Limpa.

 

Balanço – Candidato à reeleição, Deley diz que em 2017 conseguiu verbas para a rede de saúde de Volta Redonda. “Foram R$ 567 mil para compra de equipamentos para o São João Batista; R$ 1,8 milhão para custeio e manutenção de unidades de saúde nos bairros, bem como R$ 200 mil para equipamentos para o Hospital do Retiro”, exemplifica.

lua_cor1

Luto – A Assembleia Legislativa do Estado do Rio decretou luto oficial de três dias pelo falecimento, na manhã de ontem, sexta, 27, do deputado José Luiz Anchite (PP), aos 73 anos. Anchite foi prefeito de Barra do Piraí e exercia seu primeiro mandato como deputado estadual. O parlamentar estava internado em um hospital na cidade de Volta Redonda há cerca de uma semana, e faleceu por complicações renais.

Deixe uma resposta