Grampos

2018-04-03-PHOTO-00000541 (1)

Daquelas para reclamar (I) – Na tarde de segunda, 2, quem foi à agência do Santander, localizada no Aterrado, na parte da tarde perdeu de 60 a 90 minutos para ser atendido, tanto na fila de idosos quanto de não idosos. Só a jovem funcionária do Supermercados Royal, que aparece na foto, não teve o dissabor. Foi atendida às 15h49min, em cinco minutos, depois de furar a fila de atendimento prioritário, a popular fila dos idosos.

 

Daquelas para reclamar (II) – O detalhe interessante é que a jovem estava acompanhada por um segurança, que devia estar armado, é claro. Como não existe lei nenhuma que garante este tipo de atendimento ‘super especial’, que os clientes do Santander protestem a quem de direito. Pois sacanagem parecia e sacanagem foi com os pobres clientes normais que perderam bons e preciosos minutos de sua tarde.

 

De boca aberta (I) – O secretário de Saúde, Alfredo Peixoto, precisa dar uma dura na sua equipe para olhar com mais carinho para as Clínicas Odontológicas de Volta Redonda. A que funciona no Jardim Tiradentes, por exemplo, está em estado lastimável. Já na recepção, o ar condicionado está pifado, o banheiro masculino interditado, e o bebedouro, quebrado. E isso é só o começo.

 

De boca aberta (II) – Dentro da clínica, no local de atendimento, os profissionais e os pacientes têm que conviver com cadeiras de dentista rasgadas e remendadas, além de pelo menos uma delas estar com a regulagem quebrada – fica parada em uma única posição. Tem mais. Em uma sala de atendimento especial, onde deve ser feito o tratamento de canal, o ar condicionado está quebrado, e os pacientes penam por cerca de uma hora no calor, além do sofrimento do procedimento dentário.

 

De boca aberta (III) – As luminárias de todo o local estão caindo aos pedaços, literalmente, com fios à mostra e peças penduradas. Apesar disso tudo, a equipe se desdobra para prestar um ótimo atendimento.

 

Carimbada – Só para lembrar, a verba do Ministério da Saúde para os CEOs (Centros de Especialidades Odontológicas) é carimbada, ou seja, só pode ser usada no programa de Saúde Bucal. E em julho tem inspeção do Ministério da Saúde na cidade do aço. O município pode perder a verba se os fiscais do Ministério não aprovarem o que vão encontrar.

 

Desenvolvimento (I) – O secretário Estadual de Desenvolvimento Econômico, Christiano Áureo, esteve na segunda, 2, em Volta Redonda para fazer uma palestra com o tema ‘Desenvolvimento Econômico: Desafios e Oportunidades’, destacando a importância da cidade e da região para a retomada da economia do país. Deve-se registrar que falou ainda como secretário, cargo que deixou para tentar uma cadeira de deputado federal.

 

Desenvolvimento (II) – Sem ser político, mas sendo, o ainda secretário estadual disse que duas novas montadoras estão interessadas em se estabelecer no Sul Fluminense. Mas não divulgou quais seriam e nem para qual cidade viriam. “A retomada da economia do estado e do país passa por Volta Redonda e pelo Sul Fluminense”, disparou, gerando o maior tititi entre os prefeitos presentes, afinal, quem não quer uma montadora em suas terras?

 

Desenvolvimento (III) – Samuca Silva é um deles. “Estamos imbuídos de discutir toda a região, pois uma empresa instalada em Piraí pode beneficiar Volta Redonda e vice-versa. Estamos sendo incansáveis para voltar a nossa autoestima com geração de empregos. Volta Redonda tem um papel de liderança natural para todo o Sul Fluminense e também no estado do Rio de Janeiro”, destacou, tendo ao lado os prefeitos Luiz Antônio (Piraí) e Zé Omar (Rio Claro). Verdade ou não, Samuca disse que está negociando a vinda das duas empresas para a cidade do aço.

 

Da série perguntar… – Por que Samuca não coloca na mesa para ver se interessam às montadoras as terras existentes – e sem uso – ao longo da Rodovia dos Metalúrgicos? Se os proprietários – entre eles a CSN e Maurinho, seu assessor, por exemplo – não quiserem vender, é só desapropriar, não é?  

 

Menos, camarada, menos – Por falar no nada popular Maurinho, dublê de empresário e político, ele deu mais uma entrevista aos jornais para vender seu peixe fora do Palácio 17 de Julho. Nela abordou, entre outras, o imposto progressivo, criado para aumentar os impostos dos latifundiários que detêm boa parte das terras de Volta Redonda sem nada fazer para gerar renda e emprego. Vejam o que ele disse: “A questão do IPTU progressivo é muito complexa, pois surgiu de uma visão atrasada, retrógrada e politiqueira de reforma urbana, de âmbito nacional, onde não se leva em conta a cultura de um município, o mercado imobiliário e, principalmente, as alterações das políticas habitacionais”. Entenderam?

 

Menos camarada, menos – Maurinho foi além e o que disse a seguir gera um desconforto para o atual presidente do IPPU-VR, Márcio Lins, que defendeu as cores da CSN durante quase três décadas. “Temos certeza que este trabalho, agora coordenado pelo Márcio Lins, nos trará segurança jurídica de projetar e investir, criando assim inúmeros empregos e atendendo o déficit habitacional de Volta Redonda”.  Será que Márcio Lins assumiu a presidência do IPPU só para atender aos interesses do amigo e da CSN?

 

Menos camarada, menos – Vejam só o raciocínio de Maurinho, que também é presidente do Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil e do Mobiliário do Sul Fluminense), sobre ele e a cidade do aço. “Nós sempre dizemos que o que é bom para a cidade é bom para o Sinduscon e vice-versa”. Há controvérsias.

 

Aniversário – Segunda, 9, a CSN estará completando 77 anos de fundação. Não vai ter festa e nem bolo. E a PLR deve ficar só para o final do mês.

 

Falando nisto – Silvio Campos encaminhou à direção da CSN um ofício solicitando uma reunião para discutir os critérios da PLR. Vale lembrar que em 2016 ficou acertado entre os membro da Comissão que trata do assunto, que seriam divulgados os critérios e metas, durante o ano de 2017, para o pagamento da PLR. Só que isto não teria ocorrido. Segundo Silvio, até o momento não houve convocação para discutir o tema.

 

Aprovada – Em assembleia realizada na terça, 3, os trabalhadores da CSN se manifestaram sobre a elaboração da pauta de reivindicações para a negociação do acordo coletivo 2018/2019. O Sindicato não divulgou o conteúdo da pauta, nem os itens econômicos que serão negociados. Em boletim à classe, Silvio Campos falou da dificuldade que enfrentará nas negociações deste ano, por conta da aprovação da reforma trabalhista e da precarização dos contratos de trabalho.

 

Acordo coletivo – A direção do Sindicato dos Metalúrgicos encaminhou ofício à CSN pedindo reunião para abertura das negociações da campanha salarial 2018/2019. A ideia do Sindicato é que este encontro aconteça antes da data base da categoria, que é 1º de maio. O ofício ainda não foi respondido.

 

Nissan – Os trabalhadores da Nissan, de Resende, aprovaram na quinta, 5, a proposta 1 para a renovação do acordo coletivo 2018/2019. Eles vão receber um reajuste salarial de 2,5%; PLR de R$ 7.500, com adiantamento de R$ 5 mil agora e o restante em 2019; cartão alimentação de R$ 400,00 mais uma incluída no acordo coletivo e já está a disposição do trabalhador que quiser recebe-la.  

 

Transnordestina – A CSN estaria buscando parceria com uma empresa italiana para retomar as obras da Transnordestina. A informação é de que Benjamin Steinbruch estaria negociando com os italianos um aporte de US$ 80 milhões, e como contrapartida estaria oferecendo placas de aço aos investidores. A ferrovia Transnordestina tem 40% de participação do governo federa, que, aliás, está preocupadíssimo com esta possível negociação entre a CSN e investidores italianos.

 

Mantida – O Tribunal de Justiça do Rio manteve a multa ambiental, no valor de R$ 18 milhões, aplicada à CSN pelo INEA por conta da poluição do Rio Paraíba do Sul. A decisão dos desembargadores cabe recurso.

 

Querendo ficar – O ex-delegado adjunto da 93ª DP de Volta Redonda, Marcello Russo, teve que deixar a região para atuar em Duque de Caxias a mando dos milicos. Mas o policial gostou da cidade do aço e do Sul Fluminense, tanto que tem a intenção de ser candidato a deputado estadual. E sua estratégia já começou. Defensor dos animais, Russo foi convidado a dar uma palestra em Resende justamente sobre os direitos dos pets.

 

Também quis ficar – Russo não é o primeiro policial a se apaixonar pela ‘calmaria’ do Sul Fluminense. Antônio Furtado, ex-titular da 93ª DP, também não quis deixar a cidade do aço. Não funcionou nem para um, nem para o outro. Mas vale para massagear o ego.

 

Com legendas (I) – Se você é daqueles que odeiam ver filmes legendados, não vai poder frequentar os cinemas de Volta Redonda. Acontece que o prefeito Samuca Silva elaborou um projeto de Lei, já aprovado pela Câmara, que obriga todas as salas a exibir filmes com legendas, mesmo que a produção seja nacional. O texto da lei não menciona o fato, mas certamente os grandes beneficiados pelo projeto serão os deficientes auditivos.

 

Com legendas (II) – O descumprimento da determinação prevê multa equivalente a 20 UFIVRES, que dará em torno de R$ 67,90. As empresas operadoras de cinema terão prazo de 30 dias para se adequarem.

 

Tour (I) – O prefeito Samuca Silva realizou um tour de fiscalização na quinta, 5, visitando nada mais nada menos que ‘oito obras em oito horas’, como batizou seu mais novo projeto de ver de perto onde o Palácio 17 de Julho está gastando seus recursos. A primeira visita foi ao bairro Água Limpa, onde Samuca checou a reforma da Unidade Descentralizada de Fisioterapia, que deve ser inaugurada na próxima quarta, 11.   

 

Tour (II) – Em seguida, Samuca vistoriou as obras de contenção de um muro na Avenida Nossa Senhora do Amparo, no Santa Rita do Zarur, que devem ser concluídas até o final do mês. 

 

Tour (III)– A terceiro obra visitada por Samuca Silva foi a da limpeza do ‘Córrego de Peixes’, também no Santa Rita do Zarur. A ideia é limpar os cerca de 1,5 quilômetros do córrego. “Moro aqui há mais de 50 anos e nunca tivemos essa limpeza aqui. Com esse trabalho, vou ficar mais tranquila nos dias de chuvas”, avaliou a moradora Maria do Carmo Almeida, a Carminha, de 83 anos.   

Tour (IV) – Para finalizar as visitas antes do rango, Samuca foi até a Rua Cambuquira, ainda em Santa Rita do Zarur. A previsão é que até o final do mês a obra, que não foi revelada pela sua assessoria, seja entregue aos moradores. “Todos esses investimentos no bairro são para evitar possíveis estragos com a chuva. Santa Rita era um ponto crítico na cidade”, comentou Samuca, que estava acompanhado pelos vereadores Edson Quinto e Vair Duré.

 

Tour (V) – Depois do almoço, Samuca foi para a Avenida Beira Rio, onde a secretaria municipal de Infraestrutura está realizando obras de manutenção. “Estamos deixando a Beira Rio, que é um local muito utilizado para a prática de esporte e lazer, muito melhor. A SMI está revitalizando todo o calçamento e a ciclovia, além de ter feito a limpeza geral dos bueiros. O guarda-corpo também está sendo pintado. A Beira Rio vai ficar com uma cara nova”, destacou.

 

Tour (VI) – A quinta obra visitada por Samuca foi na localidade conhecida como Terra Vermelha, próxima da Fundação Beatriz Gama. No local, o Saae-VR está implantando uma nova rede de abastecimento de água, com 1.540 metros. “Essa era uma reivindicação antiga da comunidade e vai beneficiar, entre os moradores do Terra Vermelha e da Estrada União, cerca de mil pessoas”, explicou o presidente do Saae-, José Geraldo, o Zeca. A visita foi acompanhada pelo vereador Sidney Dinho.

 

Tour (VII) – Seguindo o cronograma do ‘Oito obras em oito horas’, Samuca foi vistoriar a obra de contenção de encosta que está sendo realizada na Viela 11, na Vila Brasília. A obra, feita pelo Furban, deve ser entregue em 30 dias. No local, houve um deslizamento de terra no final de 2017 que gerou a interdição de duas casas.

Tour (VIII) – A última obra visitada pelo prefeito foi no Eucaliptal, na Rua Mário Ramos, onde a prefeitura está recuperando a calçada e fazendo a construção de uma encosta. Um deslizamento de terra, em 2016, atingiu o local e destruiu a calçada. Orçada em R$ 31 mil, a obra já está em fase de conclusão.

 

Resultado – No final do dia, meio que exausto, Samuca destacou a importância do projeto ‘Oito obras em oito horas’. “Estamos acompanhando de perto esses investimentos, que são de cerca de R$ 1 milhão. Fiscalizando a aplicação desses investimentos, mostramos o respeito que temos aos recursos públicos. Apesar das dificuldades financeiras, com uma gestão eficiente e respeito ao dinheiro público, estamos avançando”, concluiu.

 

Amador – Na quarta, 4, o prefeito Samuca Silva se reuniu com representantes de cerca de 20 times de futebol amador da cidade do aço. E tratou de desmentir o boato de que a prefeitura não iria apoiar o campeonato da modalidade. Aproveitou e deu outra boa noticia: que o TCE liberou a licitação para a contratação de uma empresa que vai cuidar da manutenção de nove campos de peladas de Volta Redonda. E, por último, que usando recursos próprios, a prefeitura vai reformar os campos do Siderlândia e do Vila Rica/Três Poços.

Deixe uma resposta