Grampos

Briga de família

Benjamin Steinbruch e seus irmãos (Ricardo e Elizabeth) estão em pé de guerra com os primos Clarice e Léo Steinbruch. O dono da CSN quer destituir os primos do bloco de controle da Vicunha Steel S/A, controlada indireta da CSN, e não estaria mais disposto a reconhecer o acordo de acionistas em vigor desde 1994. A disputa pode mudar o controle da CSN.

Na última assembleia extraordinária, no dia 9 de janeiro, os primos se desentenderam de vez e Benjamin não aceitou as indicações para o Conselho Fiscal feitas por Clarice. Acontece que, mesmo com fatias societárias diferentes, os herdeiros do clã teriam o mesmo peso nas decisões dos negócios (CSN e Vicunha), mas Benjamin costuma centralizar as principais decisões da CSN, o que teria causado a indignação dos primos.

Para piorar, o inventário de Dorothea Steinbruch, mãe de Benjamin, está suspenso pela Justiça. Aberto no final de 2015, o inventário enfrenta um revés na Procuradoria-Geral do Estado de São Paulo, pela cobrança do tributo devido sobre herança. O valor do imposto seria de R$ 60 milhões. Benjamin e seus irmãos, Elisabeth e Ricardo, entraram na Justiça questionando a cobrança.

 

Dívida – A CSN finalmente conseguiu prolongar suas dívidas com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica. Pelo acordo, fechado na quarta, 31, a CSN vai quitar as parcelas em 45 meses – antes era 26. A previsão de amortização recuou de R$ 10,3 bilhões (até 2020) para R$ 4,4 bilhões e as amortizações para depois de 2020 subiram de R$3,6 bilhões para R$9,8 bilhões.

 

Ativo – Para fechar o alongamento das dívidas, a CSN teve que se comprometer a vender um ativo de valor relevante. O mais simples de vender, no momento, pode ser a participação acionária na Usiminas. Ou a LLC – a unidade de laminação de aços planos nos EUA. A conferir.

 

Da série perguntar… – Porque os bancos só são bonzinhos com os grandes? Por que não prolongam as dividas dos milhares de pequenos e médios empresários como fizeram para agradar a Benjamin Steinbruch?

 

Preocupação – Apesar do acordo de prolongamento das dívidas, a situação da CSN está longe de ser confortável. Ela ainda tem R$ 12,5 bilhões a serem pagos até 2020. Só para constar, o caixa da CSN era de R$ 4,3 bilhões no final do terceiro trimestre de 2017, ou seja, apenas um terço da dívida total.

Só isso? – Atualmente, segundo dados oficiais do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), existem 36.940 pessoas trabalhando com carteira assinada nas diversas indústrias da região. Em Volta Redonda seriam 16.893, o que corresponde a 45,73%. Não deve ser verdade. Só a CSN tem hoje mais de 10 mil colaboradores, sem contar os cerca de sete mil que trabalham nas empreiteiras que atuam na UPV. E sem contabilizar os ‘fichados’ nas indústrias associadas ao Metalsul.

Eloi e Fuede

PHS (I) – O ex-vereador Jorginho Fuede, na foto acima  ao lado de Elói Carneiro, presidente do diretório do PHS em Volta Redonda, deverá ter seu nome lançado como candidato a deputado estadual pela legenda. Deverá fazer dobradinha com o empresário Geraldinho do Gelo, hoje subprefeito do Retiro na gestão Samuca, e que é pré-candidato a deputado federal. “Jorginho Fuede preenche todos os requisitos exigidos pela comissão de ética do partido e atende o apelo do eleitor por uma mudança sólida”, destacou Eloy. “Buscamos candidatos que sejam filhos de Volta Redonda, que tenham  caráter,  princípios e que conheçam de perto os problemas da nossa comunidade”, completou.

 

PHS (II) – Uma fonte garante que o prefeito Samuca Silva (Podemos),  que era contra o lançamento do nome de Geraldinho do Gelo, seu subprefeito, à Câmara já teria mudado de ideia. “A conversa foi tensa, mas acabou bem”, diz a fonte a respeito do ‘papo’ que Samuca e Geraldinho teriam tido. 

 

PCdoB – Outro nome que voltou a ocupar as páginas dos jornais foi o do professor Alexandre Habib, presidente do diretório do partido comunista em Volta Redonda. Ele estaria querendo se lançar como pré-candidato à Alerj.

 

Saindo – Na semana passada, quando estávamos elaborando a edição de sábado, 20, a reportagem do aQui procurou o ex-prefeito Gotardo Netto para saber se era verdade o boato de que ele não iria disputar a eleição de outubro. Gotardo foi categórico e jurou que seria candidato à reeleição. Seu ‘não’ pode ser um ‘sim’. É que o o seu nome está na lista do governador Pezão para assumir uma vaga no conselho da Agetransp – Agência que regula os serviços de transportes por barcas, trens e metrô no estado do Rio. Se a indicação for aprovada pelos deputados estaduais, Gotardo não poderá legalmente sair candidato.

Votos – Por falar em eleições, a da Alerj esse ano vai ser bem curiosa. É que vários políticos, como Gotardo – que é suplente de deputado -, podem ficar de fora, deixando milhares de eleitores órfãos de pai e mãe. Isso vai fortalecer as candidaturas de novos nomes na política local.

 

Nomes – Só para a Alerj, por exemplo, nomes como o de Marcelo Moreira, Samuquinha, Jorginho Fuede, Betinho Albertassi, Paulo Conrado, Novaes, Dinho e Rogério Loureiro podem brigar para herdar os votos de Gotardo Netto, Edson Albertassi e até Nelson Gonçalves, que teria feito um acordo com o prefeito Samuca Silva para não ser candidato, quando este mandou contratar seu filho, Nelsinho (ex-vice-prefeito).             

 

Uniformes – No recente encontro que teve com a secretária de Educação, Rita de Cássia, o vereador Laydson Cruz (MDB), conforme divulgado pela imprensa local, teria cobrado várias demandas para 2018, entre elas a liberação dos uniformes para 40 mil alunos da rede municipal de ensino. Fica a pergunta: será que ele acreditava que os uniformes não seriam entregues até segunda, 5 quando os estudantes voltarão às aulas? Ou só quis registrar ‘sua preocupação’ para poder mostrar aos pais dos alunos que está antenado em tudo?

 

Plantando – Por falar no vereador, que é do meio evangélico, ele anda plantando seu nome como uma ‘boa opção’ para ser líder do prefeito Samuca na Câmara de Volta Redonda. Tem mais. Quer se lançar como pré-candidato à Alerj. Há quem discorde.

 

Opção (I) – O líder do governo Samuca deverá ser… ninguém. Ou melhor, Samuca mesmo. É que o prefeito entende que ele mesmo pode ‘exercer a função’. Em épocas de crise que surgirem, por exemplo, chama os vereadores e negocia a paz.

 

Opção (II) – A decisão de Samuca também tem a ver com os nomes que já surgiram, indicados por aliados do Palácio 17 de Julho. Há quem lute pela escolha de Edson Quinto. Ou Dinho, ex-presidente da Casa.      

 

BR 393 (I)- A sinalização da BR-393, ainda rodovia federal, no trecho que vai da passarela da CSN, na Vila, até o bairro Nove de Abril, em Barra Mansa, teria sido acertada entre o deputado estadual Nelson Gonçalves (PSD) e Fernando Correa, coordenador do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes). Realmente precisa.

 

BR-393 (II) – Vale lembrar que esse trecho da BR-393 deverá ser municipalizado, afinal, com a Rodovia do Contorno em uso, a previsão é que o número de veículos que passam pela rodovia caia sensivelmente. E, cá pra nós, o Dnit nunca deu muita bola para o trecho, não é mesmo?

 

Buraqueira – A obra de drenagem que está sendo feita por uma emprei-teira contratada pelo Shopping Park Sul na Rodovia dos Metalúrgicos virou uma bagunça.

O trecho parece até com Marte, de tanto buracos. Para piorar, os desvios utilizados estão muito mal sinalizados, já que os cones que os marcavam estão sumindo a cada dia. O risco de acidentes é grande. No final da tarde de quarta, 31, por exemplo, uma colisão envolveu dois carros no local, e um deles chegou a rodar na pista.

 

Risco – Já na tarde de quinta, 1º, tratores cruzavam a pista no sentido São Geraldo – na altura do trevo com o bairro – sem nenhuma sinalização dos funcionários da empreiteira responsável pela obra (Plenaplan). Eles paravam o trânsito na marra. Ou pior, no trator. Um risco para motoristas e trabalhadores.

 

Visual – Falando em risco, a prefeitura precisa cortar o mato alto no trevo de acesso ao bairro Jardim Tiradentes (próximo ao supermercado Makro). A situação está tão feia que os motoristas não estão enxergando os carros que passam pela Rodovia dos Metalúrgicos. Um perigo.

 

Ciclorotas (I) – A prefeitura de Volta Redonda anunciou a implantação de ‘ciclorotas’, com cerca de cinco quilômetros para ligar o Santo Agostinho, a Vila Americana e o Aterrado. O projeto da secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana prevê que carros e bicicletas dividam a mesma pista, “conforme a legislação federal”, informa a prefeitura.

 

Ciclorotas (II) – O projeto está sendo bombardeado nas redes sociais. Vários internautas, que se identificam como ciclistas, afirmam que não usarão com segurança a ‘ciclorota’. “Se a turma do volante não respeita nem sinal vermelho, vai respeitar as bicicletas?”, indagam. Fica a dúvida.

 

Reclama – Mas nem todas as reclamações foram contra a ‘ciclorota’: sobrou também para os ônibus da Sul Fluminense, principalmente, e ainda para a quantidade de buracos nas ruas. Um internauta chegou a reclamar ao saber que tinha que ligar para o telefone fixo da SMTU para fazer as reclamações. “A gente ainda tem que pagar pra reclamar? Telefone fixo, prefeitura? Sério mesmo?”, chiou. Foi respondido pela prefeitura, que disponibilizou um número de Whatsapp (99300-2786) para quem quer reclamar de graça. Melhor assim.

 

Fazenda – O governador Luiz Fernando Pezão aceitou o pedido de exoneração do secretário de Estado de Fazenda, Gustavo Barbosa. O atual subsecretário de Fazenda, Luiz Cláudio Fernandes Lourenço Gomes, assumirá a titularidade da secretaria de Fazenda a partir de segunda, 5.

 

Sem tempo (I) – Nos ajustes que pretendia fazer na sua equipe, o prefeito Samuca Silva desistiu de dispensar a presidente do IPPU-VR, alegando que Maria Ilma, a titular, lhe teria pedido um tempo para provar que poderia ficar comandando os engenheiros e arquitetos do Palácio 17 de Julho. O que ele ainda não sabe – vai saber quando ler o aQui – é que eles estão muito fulos da vida com ela.

 

Sem tempo (II) – Um dos motivos da insatisfação diz respeito a uma gratificação que era para ter sido paga a eles em novembro. Só começou a sair na semana passada e, para piorar, estaria saindo errado. Em vez de contemplar 11 profissionais envolvidos, só estaria contemplando cinco deles. Ilma ficou queimada no chão das salas…

 

Sem tempo (III) – Ilma também não estaria se dando bem com uma de suas diretoras. Detalhe: que seria protegida de Maurinho Pereira, o empresário-assessor político de Samuca. As duas, segundo uma fonte, estariam em rota de colisão. Ganha um doce quem acertar para onde a balança vai pender…

 

Náutico – O juízo da 5ª Vara Civil de Volta Redonda determinou que a CSN e o Clube Náutico se manifestem quanto aos valores apurados pela perícia judicial para o pagamento de um aluguel, por parte do Náutico, pelo uso do clube. A decisão foi publicada na última quarta, 31, no Diário Eletrônico do TJ e faz parte da ação por reintegração de posse que a CSN move contra o Náutico. Os valores não foram divulgados. Vale lembrar que em setembro do ano passado, a Justiça designou um perito para avaliar o imóvel onde funciona o Náutico e apresentasse o valor de mercado para a locação do clube.

 

Perdeu – A direção da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda não conseguiu convencer os seus associados a mudar a regra do jogo, divulgada com exclusividade pelo aQui, de acabar com a cobrança da 13ª mensalidade aumentando, por tabela, o percentual do reajuste que é feito pela correção do INSS. Caíram na real. É que a 13ª mensalidade seria diluída nas outras doze. Detalhe: a derrota foi por apenas seis votos. 

 

De perder o rebolado – O Carnaval de um determinado grupo de voltarredondenses pode ser terrível, inesquecível até. Tudo por conta de uma decisão Judicial que deve ser conhecida na quinta, 8, e que ameaça a sobrevivência de todos os seus integrantes, alguns até da Terceira Idade. 

123456789

Lixo – O serviço de manutenção da empresa responsável pela coleta do lixo em Volta Redonda é uma porcaria. O caminhão da foto, por exemplo, parou de recolher lixo pelas ruas do Jardim Normândia na madrugada de quarta, por volta das duas horas, por estar com um pneu furado. Ficou fora de serviço a noite toda. Detalhe: até às 7h40min, de quarta, 31, ninguém apareceu para trocar o pneu do veículo.

 

Pisca-pisca – Na madrugada de ontem, sexta, um internauta fazendo caminhada pelo Jardim Normândia, bairro de classe média, viu que mais de 10 postes de iluminação estavam com problemas. As lâmpadas, quando não estavam apagadas em definitivo, piscavam quando alguém passava por perto. “Parecia poste de Natal com lâmpadas do Paraguai”, ironizou.

 

Apagou – Na Vila ocorre o mesmo. Na Rua 40, por exemplo, em dezembro, antes do Natal, uma moradora pediu à prefeitura que trocasse a lâmpada de um poste que estava queimada. Até hoje, véspera do Carnaval, ninguém deu a luz. Ah, vale lembrar que no Monte Castelo funcionários da prefeitura andaram trocando algumas lâmpadas. Desde que recebam alguns por fora.

 

Luz (I) – Janeiro é tradicionalmente um mês de fortes temporais. As chamadas chuvas de verão, que costumam ocorrer no fim da tarde. Por isso, em vários lugares ocorrem alagamentos e deslizamentos, sem contar os malditos problemas elétricos. A falta de luz da cerveja gelada, do jogo de futebol, do ar-condicionado… Moradores do Jardim Tiradentes, por exemplo, vivem na escuridão antes, durante e depois da chuvarada. Até em dias de ventania, sem chuvas.

 

Luz (II) – Ao ser questionada, a Light, através de Mauro Ramos, garante que o corte de energia ocorre “principalmente por tempestades com ventanias e fortes precipitações, ocasionando na queda de galhos ou árvores inteiras sobre a fiação”, afirmou, podendo causar danos no sistema elétrico. Tem mais. Garante que o reparo, muitas vezes, é prejudicado devido à dificuldade de acesso aos pontos sem luz, por conta de alagamentos. Tá bom!!!

 

Luz (III) – A Light aproveitou para ressaltar que está realizando uma série de serviços de manutenção e inspeção preventiva nos aparelhos, como troca de equipamentos obsoletos e até mesmo poda de árvores. Essas ações teriam como prazo final fevereiro. Amém!

 

Carnaval – O Detran informa que todas as suas unidades no estado e o teleatendimento funcionarão até as 12 horas de sexta, 9. De sábado, 10, até a Quarta-Feira de Cinzas, 14, todos os postos ficarão fechados e o teleatendimento, inoperante. A retomada dos serviços acontecerá na quinta, 15.  

 

Política – O governo do Estado enviou na quinta, 1, à Assembleia Legislativa, projeto de lei fixando o piso salarial regional, que beneficiará milhões de trabalhadores da iniciativa privada que não contam com piso definido em lei federal, convenção ou acordo coletivo de trabalho. A proposta do novo piso varia entre R$ 1.165,17 e R$ 2.972,82. Com a caneta é fácil, não é mesmo? A tendência é que o reajuste só aumente o número de desempregados, isso sim.

 

“Volta às Aulas”– A prefeitura de Volta Redonda vai intensificar a partir de segunda, 5, a fiscalização para coibir o transporte clandestino que leva os alunos para as escolas da cidade.

 

ISS – Os donos das escolas particulares de Volta Redonda estariam insatisfeitos com o governo Samuca Silva. Motivo: a prefeitura teria mudado a fórmula de cobrança do Imposto Sobre Serviços. Agora estaria calculando o ISS em cima da maior mensalidade aplicada pela escola. O que o MEP da Burguesia, comandado por Joselito e Maurinho, tem a dizer?

Deixe uma resposta