Grampos

huarda

GM – Na gestão Neto, os GMs de Volta Redonda faziam o que queriam, sem ser punidos. Mudou o prefeito, mas tudo continua como dantes… Os guardas continuam estacionando em local proibido e ninguém faz nada.  Tem mais. A viatura que deveria ser usada no combate a quem desrespeita a Lei Maria da Penha virou, na manhã de quarta, 3, veículo de trânsito. Péssimo exemplo!

 

Especiais – Na quarta, 10, às 18h30min, a Câmara de Volta Redonda vai debater o tema “Buscando soluções para portadores de necessidades especiais”. A audiência pública foi marcada a pedido do vereador Washington.  

 

Vai vendo – Ao participar de uma reunião no Fórum Permanente das Entidades Empresariais de Volta Redonda (o MEP da Burguesia), na terça, 2, o prefeito Samuca Silva anunciou que vai lançar um programa de negociação de dívidas de empresas com o município. “Estamos estruturando o projeto do Refis e, em breve, vamos apresentar os termos”, afirmou. Para quem não se lembra, há bem pouco tempo, o aQui mostrou que até mesmo a família de um dos ‘assessores especiais’ do Palácio 17 de Julho deve cerca de R$ 170 mil aos cofres públicos. A dívida se refere a IPTUs não pagos no período de 2011 a 2016. E olha que a família é uma das maiores latifundiárias do município. 

 

Ambulantes (I) – O presidente do ‘MEP da Burguesia’, sem nenhum demérito ao Fórum ou às pessoas que dele participam, Evandro Queiróz Glória, questionou Samu-ca sobre a fiscalização de ambulantes nas áreas comerciais. “Percebemos um aumento significativo de ambulantes nas ruas e queremos saber como está sendo feita a fiscalização”, perguntou, meio que confirmando a notícia dada pelo aQui de que a fiscalização e a GM não estariam incomodando os ambulantes.

 

Ambulantes (II) – Na sua resposta, Samuca confirmou que a prefeitura cadastrou recentemente 770 ambulantes. Mas não tocou no que é mais importante para os empresários, a fiscalização. Veja o que ele respondeu: “Estamos realizando operações constantes nos centros comerciais para tirar das ruas aqueles que não possuem alvará. Hoje, existem 43 boxes vazios nos três mercados populares e temos 300 pessoas cadastradas para ocupação. Vamos fazer sorteio para definir quem irá usufruir dos boxes. Também planejamos criar, em breve, a Casa do Empreendedor, um espaço para abrigar microempreendedores individuais de diversas áreas”, contou. Ou seja: ambulante com alvará pode ficar nas ruas…

 

Itbim(I) – Coincidência ou não, como que para compensar a noite, Samuca informou que o Código Municipal de Obras e o Plano Diretor de Volta Redonda serão revisados na sua gestão. “Também estamos estudando a atualização da forma de cobrança do Itbim (Imposto Sobre a Transmissão de Bens Imóveis)”, afirmou. Para quem não sabe, o ex-prefeito Neto, ao mudar a cobrança do imposto, caiu em desgraça junto aos latifundiários e especuladores da cidade do aço. O imposto, passou a ser cobrado em cima do valor real do imóvel e não do valor venal, como era antes de Neto mexer no vespeiro.

 

Itbim (II)– Para que o leitor entenda melhor o caso, pode-se usar o exemplo de uma casa negociada por R$ 1 milhão. Antes, o dono pagaria imposto em cima de uns R$ 200 mil, baseado no valor venal do imóvel. Com a mudança de Neto, o imposto passou a ser baseado no valor real, ou seja, em cima de R$ 1 milhão.

 

Da série perguntar… – Se o Itbim acaba com a sonegação, por que mexer na cobrança do mesmo? 

Trabalho – Em contato com a redação, o professor Francisco Jacome Gurgel Júnior reclama do descaso da secretaria de Educação de Volta Redonda. Segundo ele, no dia 13 de dezembro ele encaminhou um ofício à pasta solicitando informações sobre a Educação Ambiental que é desenvolvida no município para “subsidiar um trabalho acadêmico” que estava fazendo. Até hoje, segundo ele, nenhuma resposta recebeu.

 

A confirmar (I) – Márcia Cury, secretária de Saúde do governo Samuca, teria jogado a toalha. Como não é bobo, o prefeito não aceitou o pedido e a convenceu a ficar… mais um pouco.

 

A confirmar (II) – O pedido de demissão de Márcia Cury, segundo uma fonte, teria a ver com uma ordem de Samuca: de cortar 30% do pessoal da área de Saúde em Volta Redonda.  

 

Racha (I) – Em e-mail enviado ao aQui, um empresário com trânsito no Palácio 17 de Julho diz que o racha existente na direção da Aciap é muito maior do que os repórteres do jornal imaginam. E cita alguns dos motivos. Um deles é que a Associação Comercial teria virado uma extensão (sucursal) da prefeitura de Volta Redonda. “No 0800, funciona aqui (na sede da entidade) o Instituto Dagaz (cultura), o Observatório Social, a Jucerja, entre outros, com tudo bancado pelos sócios da Associação, até o cafezinho”, ironiza, lembrando que o salão social da Aciap é cedido gratuitamente para a Smac”, enumera.

 

Racha (II)– Pedindo para que seu nome não seja revelado, ele vai além. “O racha é entre o presidente de fato e o presidente de direito. O eleito cede às vontades do Maurinho (Pereira). Já o Luis Fernando Cardoso, esse não abre a mão nem para dar bom dia e vem batendo de frente com o Joselito por causa de despesas, inclusive pela pesquisa contratada e paga pelas entidades. Luis Fernando, que é bocudo, anda falando pra todo mundo que Joselito vai quebrar a Aciap”, avalia.

 

Racha (III) – A fonte diz que a direção da Aciap-VR estava negociando o aluguel do salão social da sede para um curso de pós-graduação, “com um bom aluguel mensal” dispara. “O Maurinho não deixou, pois seu plano era ceder para o Observatório Social e isso aconteceu”, garante. “Tudo no 0800”, acrescenta.

 

Racha (IV) – Antes de encerrar, a fonte solta uma notícia que não vai agradar a um peso pesado da Aciap-VR. “Dizem as más línguas que Joselito só continuou como presidente para evitar a eleição de Loureiro, seu vice, como presidente, uma exigência de Maurinho, que não queria o dono da transportadora atrapalhando seus planos”, revelou, referindo-se a Rogério Loureiro, ex-presidente do Voltaço e suplente de deputado estadual pelo PPS.

 

Praça – Comerciantes e moradores das proximidades da Praça do Rodo, no Conjunto Habitacional Vila Rica, estão preparando um abaixo-assinado que será entregue ao vereador Mauricio Pessôa para que este consiga junto ao prefeito Samuca a revitalização da praça, e a torne mais atraente e  melhor frequentada. “Esta é a principal do bairro. E nós queremos que o local seja um ponto de encontro das famílias, principalmente nos finais de semana e feriados”, escreveu um deles, sem se identificar.

 

Segurança – O presidente da Câmara de Volta Redonda, Sidney Dinho, vai promover um café da tarde, na terça 9, às 15 horas, no salão nobre da Casa, para as autoridades da área de segurança pública do município.

 

Igualdade – Acontece na quinta, 12, às 20 horas, o IV Encontro Promoção da Igualdade Racial do UniFOA. Destaque para a palestra “A Defensoria Pública Federal e o seu compromisso com a igualdade racial”, com o defensor público-geral Federal, Carlos Eduardo Barbosa Paz.  

 

Barra Mansa – A prefeitura de Barra Mansa promove amanhã, domingo, 7, o “Pedal da Beleza”, que sairá às 7h30min, do Parque da Cidade, no Centro, em direção ao distrito de Rialto. Já no dia 12, promoverá o “Dia de Bike ao Trabalho”, inspirado no “Bike To Work Day”, um evento anual realizado em vários países do mundo para promover a bicicleta como uma opção de transporte para o trabalho. os dos eventos estão sendo organizados pelo grupo Sou + Pedal.

 

Indignação – Uma moradora da São Geraldo está mais do que indignada com o prefeito Samuca Silva. E com razão. E que na gestão Neto, como ela frisou em seu comentário, os postos de Saúde repassavam amostras grátis de remédios aos pacientes que atendiam. A prática, denuncia, foi proibida na atual gestão. “Minha mãe ganhava esses remédios da médica que lhe atendia e hoje não pode mais porque isso?”, indaga. “O prefeito e a secretária de Saúde não estão nos consultórios, nos postos e nem na Clinica do Idoso para saber a necessidade do paciente. Tem gente que não tem nem dinheiro para pagar  a passagem para ir uma consulta, ainda mais para comprar remédio”, dispara. “O que me parece é que estão querendo ajudar as farmácias de Volta Redonda!”, avaliou, ironizando. Não satisfeita disse estar arrependida de ter votado em Samuca.

dia do trabalhador1

É pouco – A prefeitura de Volta Redonda calcula que cerca de dois mil servidores participaram da festa dos trabalhadores organizada pelos verdes na segunda, 1, nas dependências do Estádio Raulino de Oliveira. Apesar da distribuição de prêmios, se considerarmos que a cidade conta com uns 11 mil servidores, o público presente foi pequeno, bem pequeno. É o que dar acreditar apenas nas redes sociais. Ou melhor, só no Facebook…

 

É sacanagem – Na festa do trabalhador, os verdes promoveram o 1° Desafio de Futebol Society dos Servidores Municipais, com a participação de 10 equipes das diversas secretarias municipais. O campeão foi o time da Smel. Tudo certo, muito bonito. Mas fica a pergunta: o gramado suporta tanta pelada assim?

 

Resultado – O prefeito Samuca para ‘tristeza’ dos companheiros jogou de atacante (artilheiro como Neto) e entrou em campo com a camisa 11, tendo ao lado o vice-prefeito Maycon. Os dois jogaram contra a equipe dos amigos dos vereadores e a ‘pelada’ terminou empatada em 3 a 3. O presidente da Câmara, Sidney Dinho jogou. Mas nenhum dos três chegou a fazer um golzinho. Ah, o goleiro do time dos parlamentares foi Edson Quinto, que apesar de estar completamente fora de forma, se destacou em campo.      

IMG_2286 (1)

Estrela – Quem também fez bonito na festa do trabalhador verde foi Paloma, agora CC do governo Samuca. A transsexual mais famosa de Volta Redonda, anunciada como assessora de Cultura, deu uma senhora aula de zumba… (ver foto)

 

Convênio – Termina no próximo dia 22 o convênio entre o Ministério dos Esportes e a prefeitura de Volta Redonda para a realização do projeto Segundo Tempo – que acontece nos ginásios da cidade do aço. Cerca de 3,5 mil crianças e adolescentes participam do projeto. A última renovação do convênio foi feita no final de 2016, por meio de emenda do deputado Deley de Oliveira. Ao aQui, entretanto, a secretária de Esportes de Volta Redonda, Maria Paula Tavares, a Paulinha, diz que o convênio não pôde ser renovado. “Em função desse projeto estar em seu quinto aditivo, de acordo com o Ministério do Esporte o mesmo não pode mais ser aditivado, sendo necessário participar do novo edital que será publicado ainda no primeiro semestre, conforme informado pelo Ministério, porém ainda sem data confirmada”, disse.

Apesar do problema, Paulinha garante que a prefeitura vai arcar com os custos do projeto até que Volta Redonda firme novo convênio com o governo Federal. “Para não haver interrupção das atividades e do atendimento à população, a Prefeitura manterá as atividades com recursos próprios enquanto o novo edital não for aberto pelo Ministério do Esporte”, prometeu, ressaltando que pelo Segundo Tempo são ofertadas aulas de modalidades coletivas e individuais em 50 locais distribuídos em 22 bairros pelo com viés de esporte educação/participação para crianças e adolescentes a partir dos seis anos.

 

Crítica (I) – O vereador Carlinhos Santana (SD), de oposição ao prefeito Samuca, não compareceu ao evento da Festa do Trabalhador no Raulino de Oliveira. “Me parece que foi algo elitizado, com cerveja e hambúrguer artesanal. Nada que os servidores comuns consigam pagar”, disparou.

 

Crítica (II) – Paulinho do Raio-X (PMDB), por sua vez, fez questão de criticar a divulgação da festa verde. “Achei que faltou divulgação. Mas foi bacana, vi muitos amigos servidores, que são humildes, participando do evento. Mas de fato faltou divulgação”, comentou. 

IMG_2293

Sujeira – Os frequentadores do Ginásio da Ilha São João estão ‘pê’ da vida com a administração do local. É que os vestiários estão sempre sujos, como mostra a foto. Detalhe: no banheiro feminino, a situação é pior.

 

Cancelada – A CSN cancelou a assembleia que realizaria na sexta, 28, para eleição da nova diretoria, por falta de quórum. A empresa alegou que a paralisação geral ocorrida no dia 28 acabou atrapalhando a realização da assembleia. Os sócios minoritários da CSN chiaram. Para eles, a razão do cancelamento foi um pedido de impugnação do nome indicado pela CBS, justamente para a cadeira destinada a eles, os minoritários.

 

Contratações – A CSN pode contratar até dois mil trabalhadores nos próximos dois anos. As novas vagas, porém, são para a CSN Congonhas, onde a empresa pretende investir R$ 400 milhões na região do Alto Paraopeba, com a ampliação da produção minerária.

 

Acordo coletivo – CSN e Sindicato dos Metalúrgicos ainda não iniciaram as discussões em torno da renovação do acordo coletivo 2017/2018. A data base foi 1º de maio e nem a pauta de reivindicação, com os itens econômicos e sociais pleiteados pelo Sindicato, ainda foi entregue.

18275277_1975428502703277_3886210281882323318_n

Açude – Na noite de domingo, 30, aconteceu no Ciep 403, no Açude 1, a posse de Alan Cunha como presidente da Amaba (Associação de Moradores e Amigos do Bairro Açude I-II-III-IV), e dos demais integrantes de sua diretoria, formada por 18 pessoas. Ao ser empossado, Alan disse que o seu maior desafio será estabelecer uma consciência na comunidade, em relação aos problemas crônicos como a alta velocidade de veículos pelos bairros e ainda dos entulhos que são lançados constantemente pelas ruas. “Vamos promover campanhas de conscientização contra esses problemas”, prometeu. O evento contou com a presença do presidente da Câmara, vereador Sidney Dinho, e ainda do vereador Marcel Castro, de Barra Mansa, entre outros.

Deixe um comentário