quarta-feira, maio 29, 2024

Grampos

EXCLUSIVO – O feriado de 7 de setembro foi marcado pela notícia exclusiva, divulgada pelo aQui nas redes sociais, de que o atual gerente geral de Redutores da Usina Presidente Vargas, Júlio Amaral, iria assumir uma nova diretoria que está sendo criada para a CSN Siderurgia. Agora ele é o diretor responsável pelas áreas da Aciaria de Planos, Sinterização, Coqueria, Carboquímicos e Pátios de Matérias- Primas. O atual diretor de Metalurgia, Fabiam Franklin, assumiu a diretoria das áreas de alto- fornos, fábrica de Aços Longos, fábrica de Cal e Gestão de coprodutos.

ERRAMOS – O Escritório Central da CSN não foi construído na década de 40, como noticiamos na edição passada. Ele é da década de 60 e foi inaugurado em 1966.

ACIDENTE (I) – A morte de Antônio Carlos da Silva, 61, na tarde de terça, 12, no interior da UPV, movimentou a diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos. Edimar Miguel, presidente, e Alan, vice-presidente, estão acompanhando a investigação e apuração do acidente. E os dois se solidarizaram com os familiares de Antônio Carlos.

ACIDENTE (II) – Em postagem nas redes sociais, Edimar foi além. Se disse preocupado com o número de acidentes fatais na UPV. “Pedimos um levantamento dos acidentes registrados este ano, e os dados são preocupantes, com 32 ocorrências, sendo 29 trabalhadores afastados e 3 mortes contabilizadas”, disse, prometendo cobrar da CSN que implante o Programa de Acidente Zero na usina.

ACIDENTE (III) – A CSN, em nota, lamentou a morte do colaborador da empresa Rema Tip Top Serviços de Vulcanização, confirmando que ele sofreu um acidente na usina por volta das 16 horas do dia 12. “Manifestamos nossa solidariedade e apoio aos familiares e amigos. As causas do acidente estão sendo investigadas”, comentou.

STF – O Supremo Tribunal Federal julgou constitucional a instituição, por acordo ou convenção coletivos, de contribuições assistenciais para todos os empregados de uma categoria, ainda que não sejam sindicalizados, desde que assegurado o direito de oposição. A decisão foi tomada na sessão de segunda, 11.

CRISE (I) – Pode-se dizer que o Bradesco salvou a pele do governador Cláudio Castro ao arrematar, por R$ 1,692 bilhão, a folha de pagamento dos servidores ativos, inativos e pensionistas dos próximos 5 anos – de 2023 a 2027. “O dinheiro que arrecadamos com a venda da folha será utilizado na gestão estadual e em projetos que gerem benefícios para a população. Esse é mais um resultado que mostra o nosso comprometimento com o bom uso das finanças públicas”, declarou Castro. Há controvérsias.

CRISE (II) – Além dos salários, o Bradesco também ficará responsável pelo pagamento a fornecedores, de despesas entre órgãos, pela arrecadação de receitas e tributos, entre outras transações bancárias. “O governo receberá o pagamento do banco, para continuar a efetuar os serviços, em cinco parcelas. A primeira entra no caixa estadual em novembro. As outras quatro serão depositadas pelo banco em maio de 2024, dezembro de 2024, maio de 2025 e dezembro de 2025”, explicou o secretário de Estado da Casa Civil, Nicola Miccione. Ah, o Estado tem cerca de 456 mil servidores ativos, inativos e pensionistas. E o valor líquido médio da folha de pagamento mensal é de R$ 2,2 bilhões.

CRISE (III) – A falta de dinheiro nos cofres estaduais era tanta que o Inea do Sul Fluminense, por exemplo, só estava com uma viatura em uso para cobrir uma área de atuação que vai de Paraíba do Sul a Itatiaia. Existiam mais quatro, só que elas enguiçaram e já há quatro meses deixaram de rodar pelo trecho que abrange 19 municípios.

SACOLAS – Os deputados estaduais Márcio Canella (União) e Filippe Poubel (PL) apresentaram projetos de lei que pretendem proibir a cobrança por sacolas plásticas em supermercados e lojas comerciais. Que passe e entre em vigor, pois a lei que instituiu a venda das sacolas, de 2019, criada para reduzir o descarte do plástico no meio ambiente, de autoria de Carlos Minc (PSB), no fundo, no fundo, só deu mais dinheiro aos grandes supermercados. E penalizou o consumidor.

SANGUE – Uma boa notícia: o Hemonúcleo de Volta Redonda, que funciona anexo ao HosFFPGpital São João Batista, alcançou o maior recorde histórico de doações em agosto, desde a inauguração, em 2009. Foram 543 bolsas de sangue coletadas, superando o que já havia sido registrado em julho, 523. Esses resultados positivos colocam o Hemonúcleo de Volta Redonda em segundo lugar no estado em número de doações, ficando atrás apenas do Hemorio, na capital.

TREM – A Frente Parlamentar Pró- Ferrovias Fluminense, da Assembleia Legislativa, promoveu ontem, sexta, 15, uma reunião para debater a modelagem, traçados e inclusão no Plano Estratégico de Desenvolvimento Social (Pedes) da Ferrovia EF- 118, que liga o Rio de Janeiro a Vitória, capital do Espírito Santo. “A reativação da malha ferroviária é fundamental para o desenvolvimento do Rio de Janeiro. Se essas políticas não entrarem formalmente no orçamento do Estado, não vão sair do papel. Estamos aproveitando o desenvolvimento do Pedes para se ter uma proposta de estado e não de governo. Sabemos que as ferrovias não acontecem da noite para o dia”, explicou Luiz Paulo, coordenador do colegiado.

Artigo anterior
Artigo seguinte
ARTIGOS RELACIONADOS

Grampos

Grampos

Grampos

LEIA MAIS

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp