sexta-feira, fevereiro 23, 2024
CasaEditoriasEstadoEstado já está se organizando para enfrentar uma epidemia de dengue

Estado já está se organizando para enfrentar uma epidemia de dengue

A secretaria de Estado de Saúde decidiu que a partir desta semana passará a divulgar um boletim semanal sobre a situação epidemiológica da dengue nas nove regiões do Rio de Janeiro. A medida foi tomada a partir da análise feita pelo Centro de Inteligência em Saúde da SES- RJ, que apontou uma tendência de aumento do número de casos da doença, que já se encontra muito acima do esperado para o momento. Os boletins serão divulgados às terças-feiras pelo site da SES-RJ.
A situação no Médio Paraíba, onde se encontra Volta Redonda, não apresenta atraso de notificação, mas uma região em alerta por conta do aumento exponencial de casos registrados em Resende. Até ontem, sexta, 15, eram 1.404 casos, sendo que 334 em Volta Redonda e 97 em Barra Mansa. Itatiaia e Porto Real são citados pela SES como municípios bem acima do esperado em casos notificados e confirmados. O risco de um surto de dengue em todo o estado do Rio é iminente. Não é para menos. Já foram registrados em todo o estado 44.571 casos prováveis de dengue, com 2.603 internações e 26 óbitos.
No início do mês, a Vigilância Epidemiológica do Estado do Rio detectou o primeiro caso de dengue do tipo 4, em uma mulher, de 47 anos, que mora na capital. O tipo 4 (DEN4) não circulava no estado desde 2016 e o seu retorno acendeu um alerta entre as
autoridades sanitárias, pela associação a outra cepa – o DEN3 –, considerada a mais letal, podendo provocar dengue com complicações e levar o paciente a óbito.
Desde setembro, a SES-RJ vem sinalizando aos municípios um possível enfrentamento a uma epidemia de dengue em todo o estado . A situação se agravou com as ondas de calor e as fortes chuvas que atingiram as cidades nos últimos dois meses. No início do mês, o Ministério da Saúde anunciou investimentos para as vigilâncias epidemiológicas e ambientais dos estados e municípios, para a compra de insumos e material de trabalho para os agentes de combate às endemias. Também cobrou das prefeituras a atualização do plano de contingência da dengue, com a recomendação de acioná-lo quando a curva de casos ultrapassar o limite de positividade para a doença.
Tem mais. O Ministério da Saúde abriu consulta pública para a incorporação da primeira vacina contra a dengue (QDenga) no calendário vacinal do SUS. O imunizante, apesar de aprovado pela Anvisa, ainda está em avaliação pela Comissão Nacional de Incorporações de Tecnologia do SUS (Conitec). A consulta pública estará aberta até a próxima segunda, 18, e pode ser acessada no site gov.br, através da página https://www.gov.br/ participamaisbrasil/consultas-publicas.
Independentemente da vacina, é sempre bom lembrar que as medidas de combate ao mosquito Aedes aegypti – causador da dengue, zika, chikungunya e febre amarela urbana – permanecem as mesmas, com a eliminação de depósitos com água parada e de inservíveis que possam servir de focos.

Artigo anterior
Artigo seguinte
ARTIGOS RELACIONADOS

LEIA MAIS

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp