Efeito colateral

bloco_cor

O leitor do aQui ficou sabendo na edição 1029, de 21 de janeiro, que os blocos clandestinos, conhecidos como ‘Isoporzinhos’, voltaram a agitar as tardes de Volta Redonda. Organizados pelas redes sociais, sem lideranças identificadas, os blocos levaram milhares de jovens, por dois finais de semana seguidos, à Praça da Colina, na São Geraldo, e ainda na Vila Mury. Sem estrutura, os ‘foliões’ faziam suas necessidades em qualquer árvore ou parede de casas, e os bares tiveram que fechar as portas, pois os clientes sumiram, com medo, é claro. Os próprios moradores não conseguiam sair de carro, pois as ruas estavam fechadas. Isso sem falar no funk, na maior altura, nas brigas e bebedeiras. Resultado final: a chiadeira ecoou por toda a cidade.

 

Foi tanta que bateu no Palácio 17 de Julho que, diante da reclamação de moradores e comerciantes, decidiu montar uma Força Tarefa para evitar que o Isoporzinho ocupasse a Colina no sábado, 25. A Guarda Municipal, por exemplo, fechou as ruas para evitar o acesso dos carros dos foliões, permitindo apenas que moradores usassem seus veículos. Um ônibus do Ciosp ficou estacionado na praça e até uma faixa, alertando que vender bebidas alcoólicas para adolescentes é crime e pode levar à prisão, foi colocada em vários pontos da pracinha do bairro. A operação foi um sucesso. Nem sequer um desavisado apareceu com bolsa térmica em busca do bloco, fato comemorado pelo prefeito Samuca Silva.

 

Mas nem tudo pode ser visto como confete e serpentina. Inviabilizado na Colina, o Isoporzinho foi parar em diversos bairros, três para ser exato e no mesmo horário. “Esse ‘Bloco do Isopor-zinho’ não tem hora para acabar, incomoda moradores, há venda de bebidas alcoólicas para menores. Então precisamos unir forças para coibir esse tipo de evento. Conseguimos desarticular o bloco que acontecia na Colina, mas como efeito colateral ele foi para outros bairros, como Aero Clube, Vila Mury e Vila Rica”, comentou o prefeito Samuca Silva (PV). Ele tem razão. Tanto que para ontem, sexta, 4, estava marcado para acontecer no Água Limpa.

 

O comentário de Samuca foi feito na terça, 31, depois de uma reunião marcada justamente para criar uma Força Tarefa para ajustar a conduta dos blocos. E para evitar que adolescentes consumam bebidas alcoólicas e que os eventos não tirem o sossego dos moradores. Participaram do encontro representantes da Vara da Infância e Juventude, do Ministério Público Estadual, Câmara de Vereadores, Conselho Tutelar, Guarda Municipal e polícias Militar e Civil. O prefeito Samuca e o juiz da Infância e Juventude, Alberto Pontes, sugeriram que a força tarefa se preocupasse principalmente com os menores de idade. “São ambientes degradantes e maléficos aos menores. Esses jovens e crianças não devem estar lá e sim num local protegido”, disse Pontes, que colocou a sua equipe à disposição da Força Tarefa para combater o ‘Isoporzinho’.

 

O comandante da Guarda Municipal, Paulo Henrique Dalboni, lembrou que o movimento já existiu em outros anos. Porém, em 2017, os blocos do Isoporzinho estão se proliferando. “Tem encontros que reúnem mais de dois mil jovens. É uma perturbação da ordem pública que precisa do apoio de todos para evitar as ações criminosas dentro desse movimento, como o consumo e venda de entorpecentes”, esclareceu Dalboni. “Isso já aconteceu há alguns anos e a maioria é criança e adolescente. Eles buscam lugares onde há venda de bebida alcoólica, bares e mercados”, destacou.

 

Tem mais. Uma equipe de inteligência da Polícia Civil, segundo o delegado da 93ª DP Eliezer Lourenço, já está identificando os organizadores desse movimento para que sejam chamados a prestar esclarecimentos. “Nossos homens estão empenhados em descobrir cada líder desse movimento. E punir aqueles que estão infringindo a lei”, afirmou o delegado. O comandante do 28º Batalhão da Polícia Militar (BPM), Damião Luiz Portella, sugeriu que o trabalho em conjunto seja permanente. “Acredito que esse movimento cresceu por conta da proximidade do Carnaval. Porém, temos que ter atenção durante o ano inteiro”, ressaltou o comandante do 28º BPM, que foi acompanhado por um representante da 5ª Risp (Região Integrada de Segurança Pública). O presidente da Câmara, Sidney Dinho, e a promotora da Infância e Juventude, Luciana Menezes, também participaram do encontro.

De Bloco Gay ao Que Merda é Essa

A Folia de Momo – autorizada pelo Palácio 17 de Julho – vai começar, oficialmente, amanhã, domingo, 5, em Volta Redonda. O ‘Bloquinho Universitário’ desfilará pela Rua Jayme Pantaleão, no Aterrado, a partir das 13 horas. Ele é um dos 21, entre 42, que conseguiram autorização da secretaria de Cultura para sair nas ruas da cidade do aço. Detalhe: terá até bloco LGBT – trata-se do ‘Tô no Brilho’, que vai desfilar no domingo, 12. O único bloco que receberá subsídio do governo é o Bloco da Vida, voltado à terceira idade, que desfilará no dia 24, abrindo o Carnaval da Família. Os demais receberão apoios logísticos para que façam um carnaval organizado e ordeiro – sem custo para a prefeitura. E sem isoporzinho.

A estimativa é que mais de 30 mil pessoas acompanhem os blocos de Volta Redonda, segundo a secretária de Cultura, Márcia Fernandes. Para o ano que vem, a intenção é que seja criada uma Liga Carnavalesca para reunir os blocos carnavalescos e escolas de samba. “Desta forma, Volta Redonda entra oficialmente no circuito do Carnaval do estado do Rio. Assim, eles poderão buscar patrocínios da iniciativa privada”, salientou Márcia Fernandes.

Confira a lista dos blocos autorizados pela prefeitura

5/02: domingo

Bloquinho Universitário – Aterrado

 

11/02: sábado

Vai que Cola -Vila Mury

Que Merda é Essa – Conforto

 

12/02: domingo

 Tô no Brilho (primeiro bloco LGTB da cidade) – Centro

 Meninos do Batuque – Belmonte

 

17/02: sexta

 Bloco da Orla – Volta Grande III

 Bloco do Cabecinha – Limite entre Conforto/Eucaliptal

 

18/02: sábado

Alegria Alegria – Parque das Ilhas

Os Caretas – Sessenta

Camisolas – Limoeiro

Loucos Pela Arte – Vila Americana

Piranhas da São Geraldo

 

19/02: domingo

De Volta na Redonda – Vila

Bloco do Lençol – Aterrado

Em Cima da Hora – Bom Jesus

 

23/02: quinta

Bloco do Créu – S. Rita do Zarur

 

24/02: sexta

Bloco da Vida – Vila 

 

26/02: domingo

Pé de Galinha – Vila Rica

 

28/02: terça

Nóis Trupica, Mas Não Cai, – Morro da Conquista (Santo Agostinho)

Emoxonados – Siderópolis

 

5/03: domingo

Bloco Galo Vermelho – Aterrado

Deixe uma resposta