segunda-feira, junho 17, 2024
CasaEditoriasCSNDiretoria Executiva pode mover ação contra Edimar & Tarcísio

Diretoria Executiva pode mover ação contra Edimar & Tarcísio

Odair Mariano e José Marcos voltam à diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos

Da esquerda para a direita: Leandro Vaz, Alex Clemente, José Marcos, Odair Mariano e Maurício Faustino.

Por Pollyanna Xavier

A 5a Turma do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) negou o recurso da CSN e manteve a decisão de reintegração de nove ex- trabalhadores da Usina Presidente Vargas, demitidos em abril de 2022. Entre eles, o vice- presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Odair Mariano, e o diretor de Formação, Comunicação e Assuntos Econômicos, José Marcos da Silva, até então afastados dos cargos por decisão judicial, já que não teriam vínculo empregatício com a CSN. O julgamento aconteceu na quarta, 13, e, imediatamente à sentença, os dois reassumiram seus cargos no Sindicato. “Eles tiveram o vínculo empregatício (com a CSN) reconhecido e já assumiram seus lugares na Executiva”, contou uma fonte do aQui.
Na prática, a decisão do TRT vai movimentar muito mais o Sindicato do que a própria CSN. É que, dos nove demitidos, apenas um está desempregado e talvez retorne ao antigo trabalho na Usina Presidente Vargas. Seis deles já trabalham em outros lugares, até mesmo em empresas fora de Volta Redonda. Porém, para Odair Mariano e José Marcos, a reintegração judicial tem mais valor. Significa a volta ao Sindicato e, de quebra, poderá fortalecer a diretoria executiva, hoje rachada com o presidente Edimar Miguel.
Segundo a fonte, pelo estatuto do Sindicato, a Executiva tem mais poder de decisão do que o próprio presidente, porque tudo o que é decidido por ele precisa ser apreciado e aprovado pelos diretores executivos. E a realidade interna do Sindicato hoje, em tese, mostra que a maioria (são sete executivos incluindo o presidente) anda se estranhando com o líder sindical. O desgaste teria começado quando Edimar passou a supervalorizar o trabalho do assessor jurídico Tarcísio Xavier, ignorando seus próprios diretores. “O Tarcísio virou uma espécie de oitavo executivo, que não tem poder de decisão sobre o Sindicato, mas tem sobre o Edimar”, alfineta a fonte.
Com o retorno de Odair e José Marcos, a executiva pode até abrir um processo administrativo contra Edimar Miguel, esperando que o processo enfraqueça a atuação não apenas de Edimar, mas também de Tarcísio. A estratégia pode fazer algum sentido, já que o processo contra o presidente atingiria diretamente o próprio Tarcísio, por estar baseada na denúncia de assédio moral feita ao MPT e à Justiça do Trabalho pela ex-advogada do Sindicato, Ana Paula Martins. Denúncia que Edimar, segundo outra fonte, nega, tanto que tomou a decisão de demitir a advogada por justa causa, o que não é nada comum.

REAÇÃO
Até o fechamento desta edição, a página do TRT não tinha sido atualizada, e a decisão do julgamento do recurso da CSN não estava disponível para consulta. Mas, segundo apurado pelo aQui junto ao TRT, os desembargadores que compõem a 5a Turma recursal foram unânimes em decidir pela reintegração dos nove ex- metalúrgicos. A decisão não é definitiva, como chegamos a divulgar em edições passadas, com base em informações repassadas por um advogado especialista em direito sindical. Ainda cabe um Recurso de Revista com Efeito Suspensivo. A ação pode subir para o TST, em Brasília, ou a CSN pode conseguir uma nova correição na Corregedoria Geral do Trabalho. Tudo é possível.
Seja como for, Odair e José Marcos retornaram à Executiva e comemoraram a decisão do TRT. Em vídeo postado na página do Sindicato no Instagram, Edimar se manteve sério o tempo todo e, apesar de dizer que era um dia de “muita alegria”, não demonstrou estar feliz com o retorno dos dois membros da executiva. Em seu discurso, elogiou Tarcísio pela defesa dos nove trabalhadores, disse que era uma vitória da Comissão (eleitoral do Sindicato) e só então citou sua diretoria jurídica. Visivelmente sisudo, Edimar disse que “estava com o coração saltitante de alegria”. A reação do presidente em nada lembrava a euforia demonstrada nos primeiros vídeos gravados quando assumiu a presidência do Sindicato.
O retorno de Odair e José Marcos também reforça a CSP Conlutas, que é a Central Sindical da maioria dos diretores do Sindicato. Hoje, dos sete que compõem a Executiva, apenas Edimar e o diretor de Comunicação, Edson Batista, são filiados à CTB. Até Tarcísio Xavier – braço direito e esquerdo de Edimar – é filiado à CSP Conlutas. As duas centrais sindicais também estariam se estranhando, porém há um esforço em manter uma postura cordial entre elas perante os trabalhadores e as empresas da base, apenas para não agravar o racha da Executiva e não atrapalhar as negociações coletivas feitas pelo Sindicato.

NOTA DA REDAÇÃO: O aQui enviou e- mail e mensagens de WhatsApp para Edimar Miguel pedindo que ele comentasse o retorno dos dois diretores e falasse do possível racha sindical. O jornal também enviou mensagem para a CSN para saber se a empresa vai recorrer da decisão do TRT. Até o fechamento desta edição, tanto Edimar quanto a CSN não deram qualquer retorno.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

LEIA MAIS

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp