segunda-feira, junho 27, 2022

Crime animal

Idoso que abusou de cadela teria esquizofrenia; um animal passa por maus-tratos a cada dia na cidade

Mateus Gusmão

Os volta-redondenses ficaram chocados na terça, 17, quando o aQui divulgou que um idoso foi flagrado praticando ato sexual com uma cadelinha (ver foto) atrás de um carro. Nas redes sociais, como esperado, os internautas reagiram. Cobravam, entre outras, que o acusado fosse preso e queriam notícias do animal. Pois bem. A cachorra, chamada Maria, foi atendida em uma clínica veterinária, está bem e foi entregue ao seu dono. Já o acusado vai responder pelo crime em liberdade.
A Coordenadoria de Proteção e Bem-Estar Animal, órgão da prefeitura de Volta Redonda, fez a denúncia de maus-tratos à cadela na 93a Delegacia de Polícia. O idoso, mesmo iden-tificado, até quinta, 19, ainda não tinha prestado depoimento. Motivo: ele sofreria de esquizofrenia, como foi relatado pelo seu irmão, que esteve na delegacia para tentar explicar o caso.
O vereador Renan Cury – que recebeu a denúncia de maus-tratos ao animal e chamou a fiscalização da coordenadoria – utilizou as redes sociais para denunciar o caso. “Muitos me perguntando se o idoso que abusou da cadelinha ontem ficou preso. A resposta é: não. Na delegacia, foi alegado que o idoso é portador de transtornos mentais, quadro de esquizofrenia paranóide, distúrbios sensoperceptivos e alucinações, possuindo caráter permanente e irreversível”, detalhou. “Por ser crime inimputável, tudo deve terminar em pizza”, lamentou. “Ontem foi com uma cadela, o que por si só é repugnante. E se amanhã for com uma criança?”, pontuou.
Renan aproveitou para dar notícias da cadela, que foi atendida em uma clínica veterinária. “A cadelinha Maria, violentada sexualmente por um idoso, passou por cuidados veterinários e graças a Deus está bem”, disse, ressaltando que a cachorrinha tem dono (tutor), mas que ele a deixava solta pela rua. “Animais domésticos são para ficar em casa. Claro que passear com o pet é muito saudável, mas isso deve ser feito junto ao tutor e utilizando uma coleira”, alertou.
O caso da cadelinha Maria, infelizmente, não é exceção em Volta Redonda. Somente de janeiro a março de 2022, a prefeitura de Volta Redonda recebeu 157 denúncias de maus-tratos a animais. Uma média superior a uma denúncia por dia. O dado foi revelado pelo aQui, com exclusividade, em abril, pela Coordenadoria de Proteção e Bem-Estar Animal. “O tipo de maus-tratos mais comum, ainda hoje, é o animal acorrentado/preso em correntes, o que já caracteriza o crime”, informou o órgão.
Segundo a Coordenadoria de Proteção e Bem-Estar Animal, casos de maus-tratos podem gerar multa de mais de R$ 10 mil, caso o bichinho morra por conta de abusos. “A penalidade é aplicada sempre que a Coordenadoria e o proprietário do animal, identificado, não entram em um acordo para mudar a realidade do animal. A multa atualmente é 18 Ufivres (R$ 3.915,72), podendo triplicar caso o animal venha a óbito ou desapareça”, acrescentou, informando que qualquer pessoa pode denunciar casos de maus-tratos. Detalhe: o anonimato é garantido. As denúncias podem ser feitas pelos telefones 156 – CAU (Central de Atendimento Único) e (24) 3350-7123. “Além disso, o denunciante, tendo provas (fotos ou vídeos), pode realizar também um Boletim de Ocorrência na 93ª DP (Delegacia de Polícia Civil)”, explicou o órgão.

Artigo anteriorBate bola – Sergio Luiz
Artigo seguinteMania de polícia
ARTIGOS RELACIONADOS

Parcerias de ocasião

Julgamento do crime

Sem trégua

LEIA MAIS

Grampos

Grampos Barra Mansa

Voltou a subir

Vagas abertas

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp