Como solicitar e usar o ID Jovem

ID Jovem

unnamed

Cerca de 750 mil jovens de baixa renda do Rio de Janeiro poderão ter mais acesso à cultura, ao esporte e ao lazer. O Programa Identidade Jovem-ID Jovem, do governo Federal, possibilita o pagamento de meia-entrada em eventos e disponibiliza vagas, gratuitamente ou com 50% de desconto, em viagens rodoviárias interestaduais. Na quinta, 29, o auditório do Museu do Amanhã ficou lotado de estudantes, educadores e autoridades dos 92 municípios fluminenses para celebrar o lançamento do programa no estado. O evento foi uma iniciativa do governo Pezão em parceria com a Assembleia Legislativa (Alerj) e a prefeitura do Rio.

Criado pelo Decreto 8.537/2015, o ID Jovem é voltado aos jovens entre 15 e 29 anos com renda familiar de até dois salários mínimos, sendo uma regulamentação de parte do Estatuto da Juventude, de 2013. Além dos descontos em eventos, ele possibilita o uso de duas vagas gratuitas e outras duas com 50% de desconto nos ônibus interestaduais. “É uma honra imensa participar dessa política pública para a juventude em um país onde as oportunidades são cada vez mais necessárias e o desemprego é crescente. É a efetivação de um sonho”, disse o secretário de Estado de Esporte, Lazer e Juventude, Thiago Pampolha.

O secretário Nacional da Juventude, Francisco de Assis, comentou que a equipe do ID Jovem tem viajado por todo o país para divulgar o programa, que pretende atender cerca de 16 milhões de jovens em todo o país. “Nós já montamos equipes em todos os estados, incluindo o Rio, fazendo parcerias com assistentes sociais, secretarias e prefeituras para disseminar o programa, que tem um ambiente favorável para o seu crescimento”, declarou.

Para divulgar essa iniciativa, o secretário de Estado de Educação, Wagner Victer, afirmou que fará um ciclo de visitas a 16 escolas de diferentes bairros da capital, estendendo posteriormente para todo o estado. “Diversos prefeitos vieram ao evento e nós iremos fazer lançamentos regionais, usando algumas das 1.240 escolas estaduais do Rio de Janeiro. Certamente, será um sucesso tão grande como foi hoje”, explicou.

Para dar mais amplitude ao programa, a Alerj vem elaborando propostas para aumentar os benefícios no estado. Na última terça-feira (27/06), os parlamentares aprovaram o Projeto de Lei 3.018/17, do deputado Rafael Picciani (PMDB), que obriga as concessionárias de transportes a divulgar em seus guichês os benefícios do programa. O parlamentar também foi responsável pela indicação legislativa, ainda em análise pelo governador, que autoriza o uso do programa para isenção da taxa de inscrição em concursos público.

Além disso, já foi publicado no Diário Oficial do Estado o Decreto 46.034/17, que cria um comitê fiscalizador para evitar fraudes no benefício. A medida também foi uma proposição do deputado Rafael Picciani. “A Alerj está tendo um papel fundamental na criação de leis que deem mais bases para o funcionamento do programa. Além disso, os deputados estão divulgando o programa em seus municípios e isso tem sido de fundamental importância”, reconheceu Jéssica Ohana, superintendente de Políticas para a Juventude da secretaria de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje). O secretário Thiago Pampolha, deputado licenciado, comentou que pretende sugerir à Casa o uso do ID Jovem na isenção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Como solicitar e usar seu ID Jovem

Para obter o benefício, é preciso se encaixar nas faixas etárias e de renda, além de estar cadastrado no CadÚnico e possuir o Número de Identificação Social (NIS), feito pelo Centro de Referência da Assistência Social (Cras) de cada município. Caso já possua o cadastro, basta solicitar o ID Jovem pelo site da Caixa Econômica Federal ou pelo aplicativo de celular disponível para iOS e Android.

O ID Jovem funciona através do aplicativo, que deverá ser apresentado no ato da compra do ingresso ou no momento do embarque no transporte. O comprovante também pode ser impresso e é preciso apresentar um documento oficial com foto.

 

Flores de Aço

pingente FOA

A coordenadora do curso de Design do UniFOA, Patrícia Rocha, e o professor Laert dos Santos criaram o modelo de um pingente para o projeto “Flores de Aço”. E cada uma das 14 mil mulheres voltarre-dondenses que estão participando do mesmo deverão ganhar um pingente de presente graças à parceria que está sendo desenvolvida pelo curso de Design, através da coordenação de Projetos Especiais do UniFOA, por meio da professora Rita de Carvalho, com a CSN e a secretaria de Políticas Públicas para Mulheres, da prefeitura de Volta Redonda.

“Fui convidada pelo vice-presidente da FOA, Eduardo Prado, segundo solicitação da secretária de Políticas Públicas para Mulheres, Dayse Penna, para criar o pingente. A partir disso desenvolvi vários modelos até chegar ao formato final, que é uma rosa envolvida pela curva da cidade. Na sequência, contei com a ajuda do professor Laert na fase computacional”, lembrou Patrícia, esclarecendo que a flor escolhida representa a feminilidade da mulher e a cor vermelha simboliza o fogo da CSN.

O processo de elaboração do pingente partiu do projeto “Cartas” da secretaria de Políticas Públicas para Mulheres, que pretende receber 14 mil cartas de voltarredondenses e presenteá-las com o pingente. Com isso, todas as mulheres que depositarem suas cartas nos Cras e Postos de Saúde da cidade poderão receber o acessório assim que estiverem disponíveis. “É uma honra poder contribuir para esse projeto, agradeço ao UniFOA e ao vice-presidente Eduardo Prado pela oportunidade. Será gratificante ver essas 14 mil mulheres carregando no pescoço um símbolo da cidade, feito com um pouquinho do aço da CSN”, concluiu Patrícia Rocha.

Até agora, mais de mil cartas já foram entregues e, a partir de algumas delas, a secretaria fará a elaboração de planos de ações para ajudar as mulheres em necessidades específicas. Após isso, elas receberão seus pingentes na exposição denominada ‘Flores de Aço’, evento de lançamento que será realizado em agosto, no Espaço das Artes Zélia Arbex, na Vila.

Design inovador

O design do pingente foi feito em 3D, no programa Fusion 360, da Autodesk. Segundo o professor Laert dos Santos, o software já está sendo utilizado pelos alunos de Design, na disciplina de Computação Gráfica, ministrada por ele. “Desenvolvi toda a parte computacional. Através do software, novo na plataforma Autodesk, pude fazer todo o design do produto”, finalizou.

Samuca na escola

O prefeito Samuca Silva esteve visitando a Escola Técnica Pandiá Calógeras (ETPC), junto com o presidente do Cederj (Centro de Educação Superior à Distância do Estado do Rio), Carlos Eduardo Bielschowsky, e o deputado federal Celso Pansera. Eles foram recebidos pela direção da escola e discutiram a possibilidade do uso do prédio da unidade, que pertence ao grupo CSN, para instalar novas turmas do Cederj e do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ). A parceria seria entre o governo do Estado e a Fundação CSN.  “Precisamos investir na formação de mão de obra para atrairmos ainda mais empresas para Volta Redonda. Quero ser um incentivador dessa parceria entre o estado e a Fundação CSN”, disse Samuca. 

CRAS com internet

A secretaria de Ação Social conseguiu recuperar várias máquinas para poder colocar sinal de internet em 17 dos 26 Cras equipados com telecentro, que oferecem cursos de informática para todas as idades, com aulas direcionadas por faixa etária. “No início do ano somente cinco telecentros funcionavam com internet. Após um levantamento detalhado e um cadastramento de todos os equipamentos existentes nessas unidades que contam com no programa federal Tele-centros.BR, conseguimos recuperar máquinas que se encontravam em más condições de uso. Além disso, outras unidades voltaram a ser equipadas com novas máquinas, antena, modem e material de escritório”, afirmou Maycon, secretário de Ação Comunitária.

Apenas quatro unidades ainda não receberam a internet: Voldac, Verde Vale, São Sebastião e São Cristóvão. “O objetivo é que todos os Cras tenham internet para melhor atender a população. Os que não têm telecentro contarão com internet da EPD, Aldeia Digital ou uma empresa terceirizada”, afirmou Marlos Guerra, gestor dos telecentros.

 

Deixe uma resposta