segunda-feira, fevereiro 26, 2024
CasaColuna SocialColuna Social

Coluna Social

Parabéns pra você!
Na quarta, 1, o Hospital Santa Cecília comemorou dois anos sob a gestão do grupo ICC, após ser rebatizado e reinaugurado. A história do hospital, no entanto, é muito mais antiga. Inaugurada pela CSN em 1953 como Hospital da Companhia Siderúrgica Nacional, a unidade sempre foi referência na região pela qualidade do atendimento e do seu corpo médico.
A diretora técnica Lúcia Ramos, uma das mais antigas profissionais do Hospital, destaca que o Grupo ICC manteve o corpo médico e de funcionários, reconhecidos pela qualidade técnica. “Com isso, conseguimos aliar a tradição dos nossos profissionais com inovações trazidas pelo grupo ICC”, destacou.
O Hospital Santa Cecília atende um grande rol de operadoras de saúde e, em parceria com o poder público, atende pacientes encaminhados pelo Sistema Único de Saúde, sendo credenciado para procedimentos como cirurgia cardiovascular, cateterismo, angioplastia, implante de marca-passo e internações na UTI Neo Natal e Pediátrica.
Nesses dois últimos anos, o HSC realizou 9.601 cirurgias, sendo 920 partos e 2.507 cirurgias hemodinâmicas. Só de exames, foram 129.964, a maioria no Centro de Diagnóstico por Imagem (120.838), além de exames de cardiologia (5.283) e endoscopia (3.843). Foram 2.305 atendimentos na área de oncologia. O pronto-socorro também teve números expressivos: foram 125.567 atendimentos, sendo 22.665 no P.S Infantil e 102.902 no P.S. Adulto. Já o Centro Médico realizou 208.118 atendimentos e o número de internações foi de 16.033. Ou seja, o Hospital Santa Cecília tem o que comemorar.

Biblioteca para deficientes visuais
Na manhã de quarta, 1, o prefeito Neto anunciou que Volta Redonda terá uma biblioteca para deficientes visuais, a ser criada na sede da secretaria da Pessoa com Deficiência (SMPD), no Aterrado. O anúncio foi feito durante a entrega de duas bíblias em braile doadas pelo coordenador de projetos sociais da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) nos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, Dani Paes. “Estamos adquirindo bíblias e outros materiais que possam compor a biblioteca do deficiente visual. Vamos fazer uma biblioteca o mais rápido possível. Queremos inaugurá-la no aniversário de Volta Redonda, dia 17 de julho”, disse Neto. “Nós queremos garantir e fazer acontecer a acessibilidade no município. O aniversário de Volta Redonda vai ser o da inclusão. Será uma grande festa”, adiantou.

UniFOA prorroga inscrições do vestibular
O UniFOA prorrogou até 1º de julho as inscrições do vestibular específico do Programa Educação em Ação, que oferta bolsas de estudos de até 75% para cursos de graduação. As vagas são limitadas e destinadas aos candidatos que tenham concluído o Ensino Médio ou que possuam o certificado de conclusão e/ou diploma deste nível pelos Centros de Educação de Jovens e Adultos (CEJAs).
São 121 vagas igualmente distribuídas entre Administração; Ciências Biológicas; Ciências Contábeis; Design; Direito; Educação Física; Engenharias; Jornalismo; Nutrição; Publicidade e Propaganda e Sistemas de Informação – 11 para cada curso. Os interessados devem se inscrever pelo site do UniFOA, até as 21 horas do dia 1º de julho (sexta-feira).
Serão ofertadas 11 bolsas de estudos com 75% de desconto no valor da mensalidade aos candidatos que ocuparem o 1º lugar no ranking de cada curso. Outras 11 bolsas de 50% serão concedidas aos que conquistarem o 2º lugar. Mais 11 de 30% para aqueles que ficarem em 3º lugar na lista de aprovados da respectiva graduação. O UniFOA ofertará ainda outras 88 bolsas de 20% de desconto para os que se classificarem do 4º ao 11º lugar de cada curso. As bolsas terão validade pelo prazo de duração de cada curso. Os editais com as informações completas referentes ao processo seletivo e à prorrogação podem ser conferidos no site do UniFOA. O Programa Educação em Ação é uma parceria do UniFOA com o CEJA.

Juventude em dados
A coordenadoria da Juventude (Coordjuv) lançou na segunda, 30, o “Juventude em Dados”, trabalho que tem o objetivo de reunir informações que possam contribuir com o desenvolvimento de políticas públicas para jovens na cidade do aço. A ação será realizada através de uma parceria entre a Coordjuv e a UFF, por meio do ICHS (Instituto de Ciências Humanas e Sociais). A pesquisa será aplicada por estudantes voluntários dos cursos de Administração Pública e Direito, durante visitas às comunidades com o auxílio das Associações de Moradores e coletivos locais. O público-alvo é formado por jovens de 15 a 29 anos.
O resultado poderá ser acessado no endereço eletrônico juventude.voltaredonda.rj.gov.br a partir de agosto, mês em que será celebrado o Dia Internacional da Juventude. “O levantamento vai nos basear na criação de políticas públicas para os jovens de Volta Redonda. Queremos ser o elo entre os grupos, coletivos de jovens e o Poder Público”, disse a coordenadora Larissa Garcez. “O trabalho surgiu da dificuldade em conseguirmos acesso a indicadores. Por exemplo, sabemos do grande índice de evasão escolar ou que muitos jovens não possuem documentos básicos, por exemplo. O jovem está afastado da administração pública. E esta pesquisa vai ser um grande avanço”, crê.

Sensores no estacionamento rotativo
Quem anda pelas ruas de Volta Redonda já deve ter notado que em algumas vagas do estacionamento rotativo foram instalados pequenos aparelhos circulares pretos, parecidos com pequenas tartarugas. Os equipamentos fazem parte do projeto inicial do VR Parking, lançado em janeiro de 2020, pelo ex-prefeito Samuca Silva, que prometia um sistema “moderno, eficiente e tecnológico”. Não se sabe se por falta de dinheiro ou gestão, mas o fato é que só dois anos depois de lançado, o projeto está sendo concluído.
A ideia inicial era que os usuários pudessem conferir pelo aplicativo do VR Parking, o DigiPare, se as vagas estavam ocupadas ou não em determinada rua. Painéis nas vias de maior circulação também mostrariam o número de vagas disponíveis para facilitar a vida dos motoristas. Para que isso acontecesse, era necessária a instalação dos sensores, o que começou há duas semanas.
Em nota enviada pela Secom (secretaria de Comunicação), a prefeitura de Volta Redonda informou que os sensores fazem “parte importante do projeto do estacionamento rotativo”, possibilitando que o sistema reconheça quando uma vaga está ocupada ou não. “Isso alimentará o sistema para que, através do aplicativo, seja possível visualizar de forma on-line as vagas em todos os locais onde o estacionamento rotativo funciona”, informou.
De acordo com a Secom, os sensores também vão permitir saber se a vaga ocupada está paga ou não, o tempo que está ocupada, entre outras. “Inicialmente serão 600 sensores na zona laranja, incluindo as vagas para idosos e pessoas com deficiência. Com a aprovação técnica, eles serão instalados nas demais vagas”, finalizou.

Artigo anterior
Artigo seguinte
ARTIGOS RELACIONADOS

Coluna Social

Coluna Social

Coluna Social

LEIA MAIS

Bate-Bola Sérgio Luiz

Lazer

7 dicas para sair do sufoco

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp