Coisa de ‘loco’

ApaeVR - Camisa Loco Abreu

Dois fatos marcaram os últimos dias na região: O primeiro foi que o prefeito de Piraí, Luiz Antônio, enviou à Câmara uma mensagem pedindo autorização para destinar R$ 460 mil à Apae do Município, em 10 parcelas iguais e consecutivas. Um dinheiro que servirá para a entidade continuar atendendo cerca de 140 alunos. O segundo foi mais emblemático.  Na noite de segunda, 7, prestes a enfrentar o time do Voltaço, o craque Loco Abreu, atualmente defendendo o Bangu, doou uma camisa autografada por ele para a Apae de Volta Redonda, que luta para não fechar as portas. “Causas assim nos comovem. O Bangu tem um histórico de apoio a causas sociais, pois é um clube do povo. Fico feliz em ajudar a Apae de Volta Redonda nesta luta, que é seguir realizando este belo trabalho. Como capitão do Bangu, é um prazer (doar a camisa)”, declarou o jogador uruguaio, autor do gol do empate do time carioca.

 

O presidente da Apae, Mário Vitor, comemorou a doação como se o gol fosse do Volta Redonda e parabenizou o Bangu pela ousadia de contratar um ídolo internacional. “Só de ele (Loco) emprestar o nome e ainda doar a camisa para a Apae nos motiva muito a continuar trabalhando. Ele é um ídolo, Volta Redonda têm muitos botafoguenses fanáticos e por isso a gente agradece muito”, pontuou Mário, que ainda estuda a melhor forma de utilizar a camisa autografada.

 

Como forma de agradecimento, a diretoria da Apae entregou ao presidente do Bangu, Jorge Francisco Varela, antes da partida de segunda, disputada no Raulino de Oliveira (terminou empatada em 1 a 1), um mosaico feito pelos alunos da Apae.

 

Pedido de ajuda 

Logo depois de assumir a prefeitura de Volta Redonda, o presidente da Apae-VR, Mário Vitor Lopes Neto, procurou o prefeito Samuca Silva para lhe apresentar a nova diretoria da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais. E não perdeu tempo, deixando claro que a entidade precisa de ajuda financeira. Foi aconselhado a apresentar um pedido formal à prefeitura para que o mesmo pudesse ser analisado pela Procuradoria Geral do Município. Samuca fez mais. Prometeu enviar um projeto de lei à Câmara para aprovar o repasse de recursos. “Queremos ajudá-los”, disse Samuca, lembrando que, ainda como prefeito eleito, teria conseguido uma emenda parlamentar no valor de R$ 500 mil para a Apae-VR. “Porém, a entidade não pôde receber porque a conta do governo está negativada com a União”, disse na época. Além de Samuca e Mário Vitor, estiveram presentes o presidente da Câmara, Sidney da Silva, o Dinho; o vereador Edson Quinto; o vice da Apae-VR, José Carlos Pereira; e o diretor financeiro da entidade, José Alexandre Ribeiro dos Santos. “Caso a prefeitura precise da Câmara para aprovar a liberação de recursos, vou convocar os parlamentares para (marcar) sessão extraordinária. Acredito que nenhum vereador vai se opor a isso”, garantiu Dinho. Edson Quinto concordou e complementou: “Não há cor partidária quando se fala de Apae”, disparou.

 

“Embaixadores da Apae”

Na reunião com Samuca, Mário Vitor informou que pretende lançar a campanha ‘Embaixadores da Apae’, sendo que a entidade vai escolher 40 moradores de Volta Redonda – os mais famosos, por exemplo – e, cada um deles, terá que conseguir 50 amigos dispostos a doarem R$ 20,00 todo mês para a Apae-VR. “Com isso, conseguiremos arrecadar R$ 40 mil por mês”, avalia José Alexandre Ribeiro dos Santos, diretor financeiro da entidade.

 

Hoje, Ribeiro, só com a folha de pagamento, a Apae gasta R$ 95 mil por mês. Ainda de acordo com a direção da entidade, 358 famílias são atendidas pela associação. “Nosso objetivo é que, em curto prazo, nos tornemos autossustentáveis. Por isso que topamos o desafio de administrar a Apae-VR”, finalizou Mario Neto.

 

Festa

No sábado, 4, a direção da Apae promoveu uma série de atividades na sede da instituição, na Sessenta, aberto à população.”Os artistas Anderson de Souza e Hayala Garcia (grafiteiros) se dispuseram a embelezar a instituição. Tivemos também a bateria do bloco Lençol, um pirata Jack Sparrow, os Falcões do Aço e apresentações de capoeira. E enquanto a festa acontecia, a APAE estava sendo pintada e reformada por voluntários. Um dia para não se esquecer!!”, comemorou Mário Vítor na sua página do Facebook . 

 

Piraí
Para abrir os trabalhos na Câmara de Vereadores, o prefeito Luiz Antônio encaminhou o projeto de lei nº 01/2017, que autoriza a concessão de uma subvenção anual à APAE de Piraí no valor de R$ 462.240,00, que deverão ser pagos em 10 parcelas mensais. A Associação de Paes e Amigos dos Excepcionais de Piraí é uma entidade reconhecida como de utilidade pública pelo município e atende a cerda de 140 alunos, contando atualmente com 32 profissionais.
Mesmo com os repasses da prefeitura realizados no ano passado, de igual valor, a entidade vem enfrentando dificuldades desde março de 2016 quando o governo Pezão, já em crise, interrompeu o envio de recursos para a Apae, que eram feitos através da FIA (Fundação para a Infância e Adolescente do Estado do Rio de Janeiro. Os funcionários, por exemplo, estão com os pagamentos atrasados há seis meses e nem receberam o 13º salário de dezembro.

Deixe uma resposta