sexta-feira, fevereiro 23, 2024
CasaEditoriasEspecialCentavos de ouro

Centavos de ouro

De aluguel de carro blindado a propaganda na internet, confira os gastos de campanha dos candidatos

Mateus Gusmão

Como todos devem se recordar, na edição passada o aQui revelou quanto os partidos políticos estavam distribuindo de verbas de campanha, mostrando os que teriam sido ‘protegidos’ e, claro, os que caíram no ‘conto do milhão’, que foram simplesmente ignorados por suas legendas. De forma bem desigual, poucos ganharam muito e muitos ganharam pouco. E agora, faltando cerca de 20 dias para as eleições, cada centavo vale ouro. E não pode – e nem deve – ser desperdiçado.
Nesta edição, o aQui apresenta um novo levantamento sobre as campanhas dos políticos da região, mostrando, por exemplo, que é evidente a disparidade nas disputas. É que enquanto alguns gastaram bem pouquinho, outros chegaram a alugar até carro blindado, como fez o deputado estadual Gustavo Tutuca (PP), que atualmente mora em Volta Redonda. O político, natural de Piraí, gastou R$ 10 mil com o aluguel de um Jeep à prova de balas.
Por falar em balas, o delegado Furtado, que também passou a residir na cidade do aço, embora tenha recebido R$ 2 milhões do União Brasil para gastar na campanha, prestou contas garantindo que só gastou R$ 17 mil com santinhos e folhetos.
Pelo que o aQui apurou, a maioria preferiu mesmo foi usar os parcos recursos que receberam para produzir bandeiras, adesivos, pragas de mãe e santinhos. Tem ainda os precavidos que já desembolsaram altas somas com advogados. Foi o caso de Betinho Albertassi que gastou R$ 15 mil para garantir assessoria jurídica durante a campanha.
A coisa não para por aí. Para desespero dos internautas, a maioria anda impulsionando suas postagens nas redes sociais. O campeão, por enquanto, é de Resende. Trata-se de Renan Marassi, candidato à Câmara, que já torrou R$ 50 mil só com propaganda eleitoral.
Existem, também, aqueles que andam escondendo o ouro. Gente que ainda não divulgou seus gastos de campanha, embora o primeiro prazo estabelecido pelo TRE para que façam isto se esgota na terça, 13. É o caso de Munir, Samuca, Marcelo Cabelereiro, e outros, que, mesmo com muita gente e muito material na rua, ainda não prestaram contas dos gastos eleitorais. Correm o risco de cair na malha fina da Justiça Eleitoral.
Confira abaixo os gastos apresentados à Justiça Eleitoral pela maioria dos candidatos do Sul Fluminense:

DEPUTADO FEDERAL
Delegado Furtado – Teria gasto R$ 17.980 com materiais gráficos.

Paulo Baltazar – gastou R$ 3.300 com impulsionamento de conteúdos nas redes sociais, R$ 6 mil com aluguel de imóvel e R$ 7,5 mil com serviço de comunicação e jornalismo.
Furlani – investiu apenas R$ 40,00 até agora com a criação de página na internet.

Deley – é um dos que mais gastou até o momento, informando ter investido R$ 5,6 mil em adesivos, R$ 5 mil nas redes sociais, R$ 3 mil com cabos eleitorais, R$ 2.250,00 com bandeiras, R$ 1,1 mil com santinhos, R$ 750 com aluguel de imóvel e R$ 250,00 de aluguel do Clube Náutico para evento de campanha.

Dinho – gastou R$ 3.122,00 com adesivos e pragas de mãe, R$ 4 mil com santinhos, R$ 1 mil com consultoria jurídica, R$ 1 mil com contabilidade de campanha e R$ 2 mil com propaganda eleitoral na internet.

Raone – gastou R$ 735 com bandeiras, R$ 950 com preguinhas de mãe, R$ 1.640 com adesivos, R$ 3.700 com folhetos, R$ 580 com impulsionamento nas redes sociais e R$ 2,3 mil com cabo eleitoral.

Leo – investiu R$ 3 mil com equipe de marketing, R$ 500 com estúdio de fotografia, R$ 300 com santinho, R$ 200 com praga de mãe, R$ 260 com adesivos e R$ 572 com propaganda no Facebook.

Hermiton Moura – disse ter gasto R$ 4,5 mil com consultoria jurídica, R$ 2 mil com aluguel de comitê de campanha e R$ 1,5 mil com materiais impressos.

Renan Marassi, de Resende – R$ 50 mil gastos com propaganda eleitoral nas redes sociais, R$ 6,2 mil com adesivos para carros, R$ 750 com preguinhas de mãe e R$ 12 mil com santinhos.

Os candidatos Neném; Arimathéa; Geraldinho do Gelo; Samuca; Paulo Cesar Alves; Fuede, Carlinhos Santana e Ademir Melo ainda não divulgaram gastos de campanha.

DEPUTADO
ESTADUAL
Betinho Albertassi – gastou R$ 2.898 com preguinhas de mãe, R$ 7,2 mil com bandeiras, R$ 10,5 mil com adesivos, R$ 15 mil com consultoria jurídica, R$ 10 mil com contabilidade, R$ 4,5 mil com administrador financeiro, R$ 2,2 mil com criação de site, R$ 1,2 mil com marketing e R$ 100,00 com divulgação na internet.

Alexandre Fonseca – gastou R$ 1 mil com propaganda eleitoral na internet.

Thiago Valério – gastou R$ 6 mil com adesivos, R$ 1.615 com bandeiras, R$ 10 mil com santinhos e folhetos, R$ 12 mil com aluguel de três veículos.

Gustavo Tutuca – gastou R$ 18,9 mil com preguinhas de mãe, R$ 35 mil com santinhos e folders, R$ 30 mil com consultoria jurídica, R$ 10 mil de aluguel de um carro blindado (modelo Pajero), R$ 9 mil com propagandas nas redes sociais, R$ 7,5 mil de transporte de cabos eleitorais e R$ 2,5 mil de aluguel de comitê de campanha.

André Correa – gastou R$ 43 mil com propaganda no Facebook, R$ 13,125 com santinhos, R$ 4,3 mil com bandeiras, R$ 17,6 mil com adesivos, R$ 14 mil com informativos, R$ 7,9 mil com folhetos.

Tande Vieira – gastou R$ 640 com máscaras para fotografias, R$ 14 mil com bandeiras, R$ 42 mil com adesivos, R$ 13 mil com pragão de mãe, R$ 10 mil com praguinha, R$ 12 mil com materiais impressos, R$ 20 mil com consultoria jurídica, R$ 6 mil com instalação de comitê eleitoral, R$ 2 mil com impulsiona-mentos no Facebook e R$ 8 mil com contabilidade.
Os candidatos Marcelo Cabelereiro; Danny Villas Boas; Inês Pandeló; Abílio Pedra; Noel de Carvalho; Célia Jordão; Marcell Castro; Mauricio Batista; Joice Nicolau; Alan Cunha, Zoinho, Nelson Gonçalves, Guto Nader; Munir; Dayse Penna; Jari; Renan Cury, vereador de Volta Redonda e Rosana Ber-gone ainda não informaram gastos de campanha.

Artigo anterior
Artigo seguinte
ARTIGOS RELACIONADOS

LEIA MAIS

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp