Briga em 4 rodas

A polêmica não acabou. Na noite de quinta, 6, debaixo de muita confusão, com direito a agressões envolvendo motoristas de táxis, Ubers e parlamentares, a Câmara de Volta Redonda aprovou, em primeira discussão, a mensagem 024/2018 do prefeito Samuca Silva  regulamentando o uso de Ubers e aplicativos similares na cidade do aço. Na próxima quinta, 13, o projeto voltará à pauta com a discussão das emendas parlamentares, o que poderá levar a mais uma noite de baixarias.   

 

Hoje, em Volta Redonda, há uma lei municipal que proíbe os motoristas de Uber – e similares – de circularem pela cidade. Por isso, o prefeito Samuca Silva enviou a Mensagem 024/2018 para tentar regulamentar o serviço, o que desagradou a gregos e troianos. Os taxistas, por exemplo, querem que o número de Ubers seja controlado – em no máximo 200 veículos, mais ou menos. Já os motoristas que usam apliucativos, com apoio de apenas dois vereadores – Jari e Paulinho do Raio-x – querem liberar geral. Inclusive a motoristas de fora, como os da Baixada Fluminense.

 

 E isso pode piorar, se passar a emenda  de não restringir a atividade apenas aos motoristas que moram em Volta Redonda. É que o prefeito Marcelo Crivela está sendo pressionado a reduzir o número de Ubers circulando pelo Rio de Janeiro de 100 mil para 8 mil.

 

Há quem defenda, entretanto, que a quantidade de carros seja liberada, desde que o dono do carro more em Volta Redonda.  “O único consenso é que para dirigir Uber em Volta Redonda a pessoa tem que ser de Volta Redonda”, confirmou um vereador.

 

Durante a votação da matéria, em primeira votação, simpatizantes do Uber – inclusive do Movimento Brasil Livre (MBL) do Rio de Janeiro – vaiaram os vereadores quando os parlamentares defenderam a ideia acima. E não gostaram da resposta que ouviram. “Vocês que voltem para a cidade de vocês e peçam para que façam a regulamentação. Porque vamos fazer a nossa em Volta Re-donda e para os moradores de Volta Redonda”, disparou Granato.

 

O encontro contou com a presença ostensiva de guardas municipais e policiais, mas não foi suficiente para acalmar os ânimos entre taxistas e motoristas de Uber. Segundo uma fonte do aQui, o clima fechou entre eles e foi necessário a intervenção de Policiais Militares, para evitar que confrontos maiores entre os dois grupos acontecessem. O bicho pegou! (veja vídeo em http://bit.ly/2QyWoaL)

Deixe uma resposta