Bate bola – Sergio Luiz

Esta é a seleção de Barra Mansa em 1963 – pertence ao acervo do Marinheiro. O maior acervo do futebol amador de Barra Mansa. Em pé da esquerda para a direita: José Carlos, Nelson, Mariano, Raimundo Braga, Piranguinha e Hamilton. Agachados: Alexandrino, Badu, Odir, Maurino e Darci.

‘Voltaço delivery’

O gol de Alef Manga logo aos dois minutos do primeiro tempo, deu a impressão que era o início de uma goleada do Volta Redonda sobre o Madureira. Ledo engano. Apesar de dominar a partida, o time de Neto Colucci acabou cedendo o empate. Mesmo assim, reagiu e passou a frente com gol de João Carlos. Porém, deu mole e o time suburbano empatou em uma cobrança de falta. Depois disso, o jogo ficou equilibrado com os goleiros se destacando com defesas importantes.
O resultado foi bom para o Madureira, que conquistou um ponto fora de casa, mas foi ruim para o Voltaço, que deixou de ganhar três pontos, que poderão fazer falta mais à frente.
Entretanto, foi o primeiro jogo e o Voltaço pode se recuperar, já a partir de hoje, sábado, 6, às 21 horas, diante do Vasco, no Raulino de Oliveira. Isso porque, o carioca deste ano será mais curto, e com um formato diferente, em turno único. A Taça Guanabara terá 11 rodadas e os quatro primeiros colocados decidirão o campeonato. Os dois melhores classificados terão vantagem de jogar pelo empate na semifinal. Já na final, não haverá vantagem. O primeiro clássico será o Fla-Flu, na terceira rodada. A Taça Rio será disputada entre o 5° e 8° colocados.
Vale lembrar que dos 11 jogos, o Voltaço fará seis deles em casa, portanto, terá boas chances de se recuperar de algum tropeço para disputar uma vaga na semifinal. Mas não pode dar mole e dar uma de “Voltaço Delivery”, que entrega em casa. Quem viver verá!

Decepção
A primeira rodada do estadual 2021 não foi nada boa para Vasco, que perdeu por 1 a 0 para a Portuguesa; para o Botafogo, que empatou em 0 a 0 com o Boavista; para o Voltaço, que empatou, em casa, por 2 a 2 com o Madureira, e ainda para o Fluminense, que perdeu para o Resende por 2 a 1. Decepcionaram suas torcidas. Já o Flamengo, que derrotou o Nova Iguaçu, por 1 a 0; e o Bangu, que venceu o Macaé por 1 a 0, se deram bem. Importante dizer que todos os grandes jogaram com a garotada do sub20.
2ª Rodada
Começa hoje, sábado, 6, às 21h05 minutos, com o Volta Redonda enfrentando o Vasco, no Raulino de Oliveira, com transmissão pela TV Record. Antes, às 18 horas, o Flamengo pega o Macaé no Maracanã. Amanhã, domingo, 7, jogam Nova Iguaçu e Madureira, no Laranjão, e Fluminense e Portuguesa se enfrentam, às 16 horas, no Maracanã, e Boavista e Bangu jogam em Bacaxá. Fechando a rodada, na segunda, 8, às 21 horas, o Botafogo tentará a sua primeira vitória contra o Resende.

História
Essa aconteceu na minha querida Além Paraíba-MG. Lá pelas bandas de 1960, um “candidato” a jogador de futebol, conhecido como Jair Bicão, resolveu fazer testes no time do Nacional. O treinador Xodó, querendo saber qual era a sua posição perguntou: “E aí rapaz? Você joga de que?”. Jair não conversou e disparou essa pérola: “Ora meu treinador, eu jogo de Kichute, olha aqui”. E apontando para o pé, o dono de um 44 bico largo, mostrou dois furos nas laterais do Kichute, na altura do dedão, por onde despontavam dois baitas joanetes. Foi dispensado ali mesmo. É mole?

Reforma I
O esforço de todos que participaram da reforma do Estádio Raulino de Oliveira foi recompensador. O gramado ficou quase impecável. Apenas na lateral esquerda do gol à direita das cabines, é que a grama ainda não pegou legal. Os vestiários, as salas de aquecimento, bancos de reservas, placar, refletores, cabines estão de encher os olhos até dos mais exigentes.

Reforma II
A reforma teve o comando do administrador do estádio, Nilton Farias, que contou com a ajuda do Flávio Fubá, torcedor e supervisor da obra, e de vários voluntários que abraçaram a causa. Agora ninguém poderá dizer que uma má campanha ocorreu por falta de um estádio próprio. Fica a dica: Vamos partir para a recuperação das arquibancadas, para que, quando for liberada a presença do público, o Raulino esteja pronto para receber a sua imensa torcida.

Copa do Brasil
O Voltaço estreia na Copa do Brasil na próxima quarta, 10, jogando contra o Castanhal, em Castanheira, no Pará. O tricolor de aço joga por dois resultados: vitória ou empate. Não tem jogo de volta. No ano passado, o tricolor de aço foi eliminado precocemente pelo Lagarto, em Sergipe. Que esse ano a história seja diferente.

Bola fora
Para um cidadão, que seria um atleta ou membro da comissão técnica do Voltaço e que estava sentado nas cadeiras do Raulino de Oliveira, durante o jogo contra o Madureira, e que se recusava a colocar o crachá de credenciamento. Foi preciso a intervenção do representante da Federação junto aos dirigentes do Volta Redonda, para que o dito cujo colocasse o crachá. Só faltou dizer: ‘sabe com quem está falando?’. Não é por aí que banda toca. Todos têm que respeitar os procedimentos estabelecidos pela entidade.

Bola dentro
Para a força-tarefa que recuperou o Estádio Raulino de Oliveira em tempo recorde. Detalhe: Sem que a prefeitura de Volta Redonda gastasse um tostão, graças ao apoio obtido junto ao comércio e aos torcedores. Um exemplo de solidariedade. Valeu!

Deixe uma resposta