sexta-feira, fevereiro 23, 2024
CasaEditoriasVolta RedondaAtendimento prioritário

Atendimento prioritário

Cerca de 650 pessoas já receberam o ‘cordão de girassol’ fornecido pelo Palácio 17 de Julho

A secretaria da Pessoa com Deficiência de Volta Redonda já entregou, gratuitamente, 650 unidades do ‘cordão de girassol’ – que ajuda a identificar as pessoas com deficiências ocultas e não visíveis, garantindo mais agilidade no atendimento prioritário nos estabelecimentos públicos e privados. Washington Uchôa, vereador licenciado e titular da pasta, comemorou a marca alcançada. “O Conselho Nacional de Justiça acaba de relembrar que, em 2023, foi sancionada a lei que instituiu o uso do cordão de fita com desenhos de girassóis para identificar as pessoas com deficiência oculta, como o surdo, por exemplo. É importante levar à população o conhecimento do que significa o uso do cordão, e é necessário fazê-la ter empatia com as pessoas que estão utilizando o cordão, e também fazer com que as pessoas que têm direito conheçam a lei que os ampara”, explicou, garantindo que a secretaria vai receber uma nova remessa para distribuição em 2024.
As pessoas identificadas pelo ‘cordão de girassol’ têm assegurados os direitos a atenção especial, atendimento prioritário e humanizado e serviços individualizados em repartições públicas, empresas prestadoras de serviços públicos e em estabelecimentos comerciais, como supermercados, bancos, farmácias, bares e restaurantes, lojas em geral e outros que exerçam atividades similares. “A distribuição do ‘cordão de girassol’ vem para garantir o conforto e reduzir o estresse das pessoas que, por alguma condição pré-determinada, não suportam situações rotineiras, como aglomerações, ruídos intensos ou longos períodos de espera”, lembrou Washington Uchôa.

Quem pode receber o cordão
São definidas como deficiências ocultas aquelas que trazem um impedimento de longo prazo, de natureza mental, intelectual ou sensorial, e que impossibilitam as pessoas de participarem de maneira plena e efetiva na sociedade, em igualdade de condições com as demais. Entre os exemplos estão o autismo; Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH); demência; doença de Crohn; paralisia cerebral; fibromialgia; esclerose múltipla; deficiência intelectual; síndrome de Tourette; e deficiência auditiva e visual.

Como ter acesso ao cordão
Para ter acesso à identificação, é necessário apresentar documentos pessoais e o laudo médico que comprove a doença, deficiências e/ou transtorno que possui (com o número do CID – Classificação Internacional de Doenças). “Vale ressaltar que o ‘cordão de girassol’ não exime a pessoa de apresentar um laudo que comprove a deficiência, visto que hoje em dia qualquer pessoa pode comprar no mercado”, destacou o secretário, lembrando que a solicitação pode ser feita através do link: www.sociaut.com/cordaodogirassol. Se for o caso, a pessoa pode comparecer à SMPD, que fica na Avenida 17 de Julho, no 20, no Aterrado. O telefone de contato é 3339-9031.

ARTIGOS RELACIONADOS

LEIA MAIS

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp