Andar por andar

      Samuca Silva aproveitou a manhã de sábado, 10, ensolarada, mas calma e distante dos jornalistas, para visitar as instalações do ex Hospital Santa Margarida, adquirido pelo Palácio 17 de Julho. Além de inspecionar os dois primeiros andares do prédio, o prefeito também  verificou o restante  das instalações da antiga unidade, as condições dos equipamentos que estavam incluídos no pacote (leilão) e o mobiliário de cada um dos noves andares do edifício. “Estava com receio (do que ia encontrar)”, disse ao aQui.

 

“Fizemos um planejamento para oferecer conforto na capacidade de leitos hospitalares. A aquisição do Hospital Santa Margarida representará um investimento para os 20 anos a frente na saúde, numa cidade que cresce e continuará crescendo, precisando de mais investimentos. Em dezembro, vamos mostrar um grande projeto estratégico para a cidade junto com a nossa equipe. Vamos em breve mostrar o projeto estratégico para todos os 9 andares, explicando como ficará andar por andar. Vamos criar um site para dar transparência e a população acompanhar”, acrescentou Samuca.

 

O secretário de Saúde, Alfredo Peixoto, estava na inspeção e comentou  as ações previstas pela prefeitura de Volta Redonda. “O nosso objetivo é ampliar o número de leitos e melhorar o atendimento à população. É isso que o prefeito Samuca deseja e é o que estamos implantando na saúde da cidade. Com o Hospital do Idoso, abrimos 32 leitos e iniciamos este trabalho. E para o Santa Margarida, estamos realizando um planejamento que, progressivamente, será colocado em prática” teorizou.

 

Na nota enviada aos jornais, Alfredo anunciou que a prefeitura devolveu um galpão, localizado no Retiro, que era usado pelo município como depósito de soro e materiais diversos (arquivo), mediante o pagamento de R$ 10 mil de aluguel mensal. Tudo, segundo ele, agora está sendo guardado nas instalações do Santa Margarida, “gerando economia aos cofres públicos”.

 

Para o funcionamento do futuro hospital municipal será necessária a instalação de uma nova subestação, que receberá a energia em alta tensão e a reduzirá para 220 volts.  A antiga subestação foi danificada e teve roubada toda a sua fiação de cobre enquanto o prédio ficou fechado durante anos, antes de ir a leilão.

Outra novidade é que, segundo Samuca, o Hospital Santa Margarida já está integrado à rede municipal de saúde de Volta Redonda, tendo enviado vários mobiliários para os demais hospitais públicos e unidades de Saúde. Cadeiras, camas, mesas, roupas de cama, uniformes, cobertores, capotes, monitores, armários, todos em bom estado, estão sendo utilizados em outras unidades de emergência e hospitais.

Deixe uma resposta