segunda-feira, fevereiro 26, 2024
CasaEditoriasAlerj aprova Dia Contra o Racismo no Futebol

Alerj aprova Dia Contra o Racismo no Futebol

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio aprovou, em primeira discussão, nesta quinta, 25, o Projeto de Lei 64/23, que institui o 7 de abril como Dia da Resposta Histórica Contra o Racismo no Futebol. A medida foi apresentada pelos deputados Verônica Lima (PT), Felipinho Ravis (SDD) e Andrezinho Ceciliano (PT), mas durante a votação, foi cedida a coautoria para as deputadas Martha Rocha (PDT) e Dani Monteiro (PSol). A medida ainda precisa ser votada em segunda discussão.

O projeto foi inserido na pauta de votações após a manifestação de diversos deputados contra os atos racistas sofridos pelo jogador Vinicius Jr durante partida na Espanha. “Para o povo brasileiro, o futebol significa a possibilidade de ascensão social e econômica de muitos jovens e adolescentes que se inspiram nos atletas de alta performance, como o Vini Jr. Então, quando atacam esses atletas também estão atacando milhares de meninos e meninas que têm no futebol e na figura desses atletas uma referência positiva”, lamentou Verônica Lima (na foto).

Entenda o caso de racismo

Durante o jogo entre o Real Madrid e Valência, no domingo, 21, no Estádio Mestalla, a torcida valenciana gritou insultos como “macaco” direcionados ao jogador do Real Madrid. A partida foi interrompida e até o locutor do estádio teve que pedir para que torcedores parassem de insultar o atacante para que a partida pudesse ser reiniciada.

Nos minutos finais da partida, o goleiro do Valência, Mamardashvili, partiu para cima de Vini Jr, iniciando uma confusão generalizada. Vinícius sofreu uma espécie de ‘mata-leão’ do jogador Hugo Duro, foi empurrado e, ao reagir, acabou sendo expulso após análise do VAR. Nada aconteceu com os jogadores do Valência.

Entre outros casos de racismo envolvendo o atleta brasileiro na Espanha, um de maior destaque ocorreu em janeiro deste ano, quando torcedores do Atlético de Madrid penduraram em uma ponte da capital espanhola um boneco com a camisa do Vinícius Júnior e uma faixa escrita “Madri odeia o Real”.

Resposta histórica do Vasco

Os autores escolheram o dia 7 de abril em alusão à manifestação do Vasco, em 7 de abril de 1924, quando o clube teve sua inscrição recusada pela Associação Metropolitana de Esportes Athleticos (AMEA).

A entidade só permitiria a filiação do clube caso todos os 12 jogadores, negros e operários, fossem dispensados sob a acusação de que teriam “profissão duvidosa” e que não apresentavam “condições sociais apropriadas para o convívio esportivo”.

O Club de Regatas Vasco da Gama recusou a proposta de excluir seus jogadores e no dia 7 de abril de 1924, o então presidente do clube enviou uma carta resposta ao presidente da entidade, que ficou conhecida como “Resposta Histórica”, e como um marco da luta contra a discriminação racial no futebol brasileiro.

ARTIGOS RELACIONADOS

LEIA MAIS

Bate-Bola Sérgio Luiz

Lazer

7 dicas para sair do sufoco

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp