Agora vai

Mateus Gusmão

DSCN3301

Quando anunciou nas redes sociais, na segunda, 7, que queria a opinião da população sobre o Uber em Volta Redonda, o prefeito Samuca Silva viu sua página do Facebook receber uma enxurrada de mensagens favoráveis ao aplicativo. O fenômeno já tinha ocorrido quando o aQui fez a mesma enquete e provou que o Uber seria bem aceito pelos voltarredondenses. O curioso é que a pesquisa verde foi acompanhada por uma apreensão – a primeira – de um carro Uber. Foi na quinta, 11, quando o motorista de um carro estaria usando o aplicativo e acabou multado com base na lei 5.167/15, regulamentada recentemente por Samuca. Só que a armadilha usada para atrair o motorista serviu para acelerar o desejo dos atuais vereadores em regulamentar a operação do Uber em Volta Redonda.

 

Na sessão de quinta, 11, vários motoristas do Uber foram até a Câmara para fazer, digamos, um protesto silencioso. Logo após, sabendo da presença dos Ubers, cerca de 50 taxistas também foram para a Casa. Mas não houve manifestação dos dois lados, nem provocações. E a presença dos grupos acabou acelerando o processo de regulamentação do aplica-tivo na cidade do aço, com ou sem pesquisa de Samuca. “Essa é a Casa do povo e quero que vocês, do Uber e do táxi, sejam sempre bem-vindos. Peço ainda que criem uma comissão, com três representantes de cada lado, para que possamos nos reunir e debater essa questão do transporte, do Uber, aqui na Câmara”, pontuou o presidente da Câmara, Sidney Dinho.

 

Quem anunciou que a Casa de Leis estaria preparando uma lei para regulamentar a operação do Uber foi Washington Granato (PTC). Segundo ele, na segunda, 16, os parlamentares já receberão uma minuta do projeto. “Vamos fazer essa regulamentação com equilíbrio para que ninguém seja prejudicado. Essa é a casa do equilíbrio. Esse é um debate importante, vamos fazer uma audiência pública e conversar com todo mundo”, anunciou Granato, ressaltando que o Uber já é uma realidade no mundo todo. Granato aproveitou e fez alusão à pesquisa de Samuca. “Essa lei vai sair daqui, e não da prefeitura”, alfinetou.

 

Fernando Martins (PMDB) lembrou que, na Legislatura passada, a Câmara aprovou a lei que proibia o Uber de operar, mas ele destacou que agora mudou de opinião. “Quero parabenizar os Ubers, estão aqui na Câmara, se organizaram. Temos uma lei municipal em vigor que proíbe o Uber, mas precisamos definir essa situação. O prefeito está fazendo uma pesquisa sobre isso. Mas fatalmente esse assunto deverá ser votado aqui na Câmara. E já adianto: vou votar a favor da regulamentação do Uber”, anunciou.

 

O vereador Paulinho do Raio-X (PMDB) revelou que fez uma pesquisa em seu Facebook querendo saber a opinião dos internautas sobre o Uber. “E de 100 pessoas, 99 foram favoráveis ao Uber. Apenas uma foi contra e era um taxista. Vamos debater esse tema, no país inteiro o Uber funciona normalmente “, destacou. 

Apreensão

A revelação de que os vereadores vão elaborar uma lei para que o Uber possa operar na cidade do aço aconteceu cerca de três horas após o primeiro carro do aplicativo ser multado e apreendido. E tudo leva a crer que foi criada uma armadilha para o motorista do Uber. Em entrevista ao aQui, Fernando de Melo Gomes destacou que estava levando uma passageira para a Rodoviária, quando apareceu em seu aplicativo um passageiro pedindo um Uber. Estava na Rodoviária, e ele aceitou a corrida. “Quando a passageira desembarcou, percebi que havia dois táxis parados. Parece que eles alertaram o Guarda Municipal que estava ao lado do fiscal da Suser”, destacou.

 

“Primeiramente o fiscal do Uber apenas disse que iria me notificar. Depois avisou que eu seria multado e o carro rebocado. Eu tentei argumentar, mas não adiantou. Rebocaram meu carro”, reclamou Fernando, que tem uma Space Fox. A multa é de R$ 828,00 – mas se for paga até 9 de junho, cai pela metade. “Não sei se o Uber paga isso. Mas eles já estão nos dando toda a assistência jurídica. O advogado de São Paulo já me ligou e vamos tomar as medidas necessárias”, avisou.

 

A apreensão aconteceu na semana em que a prefeitura de Volta Redonda lançou uma pesquisa para descobrir a opinião da população em relação ao Uber. “Esse processo todo começou ainda no outro governo (Neto). Não participamos daquele momento. Então é importante que, de forma clara, transparente e com muito diálogo, esse governo conheça a opinião das pessoas. Essa consulta é uma forma democrática para que a população expresse sua opinião. O resultado dessa consulta é mais um elemento dentro desse tema tão importante, para o transporte público da nossa cidade. A partir deste levantamento e conhecimento da população adotaremos as estratégias”, comentou Samuca, mudando o discurso adotado quando regulamentou a lei de proibição do uso do Uber.

 

Aliás, até o próprio Uber está usando a pesquisa de Samuca e pede que seus usuários respondam aos verdes. “A prefeitura de Volta Redonda está fazendo uma enquete sobre a operação do Uber na cidade. Dê a sua opinião e defenda seu direito de escolha para se locomover pela cidade”, diz o email que o Uber está enviando aos seus usuários, deixando o link https://goo.gl/31WbL9 à disposição dos internautas. A pesquisa vai até terça, 16. Participe!

Deixe uma resposta